Preview dos pneus do Grande Prêmio da Austrália da Fórmula 1

O Grande Prêmio da Austrália será realizado em um circuito de rua no Albert Park, em Melbourne, mas um que é um pouco incomum. Ao invés de ter característica mais travada como as pistas de Mônaco e Singapura, o traçado australiano tem ritmo mais acelerado com várias curvas rápidas. A Pirelli nomeou os compostos C2, C3 e C4 como as opções dura, média e macia, respectivamente, sob as regras mais simples deste ano em relação aos pneus com apenas três cores, branca, amarela e vermelha, em cada GP.

CARACTERÍSTICAS DA PISTA

Sendo um circuito de rua, a pista é particularmente verde e escorregadia no início do fim de semana contando ainda com ondulações o que complica ainda mais a questão da aderência.

Não existem muitas curvas longas, o que significa que não é sempre fácil trazer os pneus até a temperatura ideal.

A estratégia de uma parada foi a escolha vencedora no ano passado sendo utilizada pela maioria dos pilotos. Nós precisamos ver as taxas de degradação após os treinos livres, mas é provável que este cenário aconteça novamente este ano.

Há uma alta probabilidade do carro de segurança entrar em ação em Melbourne, o que pode afetar a estratégia: esta é uma das razões pelas quais largar na primeira posição não é algo tão crucial na Austrália, como pode ser em outras corridas. O pole só venceu a corrida uma vez nos últimos cinco anos.

O clima é muitas vezes instável, ajudando a tornar Melbourne uma das mais imprevisíveis corridas do ano. Previsões até o momento mostram que o fim de semana será nublado, mas seco.

Boa tração é a chave para um tempo rápido a fim de obter boas saídas de curvas que levam paras as curtas retas que caracterizam a pista.

MARIO ISOLA, GERENTE MUNDIAL DE MOTORSPORT DA PIRELLI

“Nossas nomeações dura, média e macia, C2, C3 e C4, respectivamente, deste ano, são equivalentes aos compostos médio, macio e ultramacio de 2018. Isto deve permitir aos pilotos acelerar ao máximo desde o início até o final de cada parte da corrida. Depois de um teste muito produtivo em Barcelona, nos sentimos satisfeitos que a gama de pneus de 2019 está em curso para atingir nossos objetivos de combinar desempenho com durabilidade. Claro, existem ainda alguns aspectos, tais como a degradação ao longo da corrida, o que só será revelado após os treinos livres na Austrália. Uma outra consideração importante será ver como as novas regras aerodinâmicas estão funcionando e se isso resultará em mais ultrapassagens, o que é difícil de avaliar durante testes”.

OUTRAS NOTÍCIAS PIRELLI

O piloto da Mercedes, Valtteri Bottas, testou um tipo muito diferente de pneu Pirelli durante o inverno, terminando em quinto no geral no Rali do Ártico em um Ford Fiesta WRC.

Melbourne será o próximo local a receber a boutique Pirelli P Zero World, que vai abrir ainda este ano.

O piloto da Ferrari, Charles Leclerc, é o único das três principais equipes (Ferrari, Mercedes e Red Bull) a ter feito uma escolha diferente de pneus para a corrida.

Assim como os novos pneus da Fórmula 1, a Pirelli também vem testando os pneus mais recentes de Fórmula 2 em Jerez e Barcelona, com o primeiro teste de Fórmula 3, programado para ocorrer em Paul Ricard, após o GP da Austrália.

Um festival para os fãs será realizado para lançar a temporada 2019 da Fórmula 1 na próxima quarta-feira no centro de Melbourne, com Mario Isola entre os convidados.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.