MotoGP – Conheça um pouco da história de Sachsenring

Marc Marquez em Sachsenring

Desde a década de 20 do século passado, corridas de automóveis e motos eram realizadas em ruas particulares fechadas ao redor da cidade de Chemnitz, na Alemanha. Com o tempo, a área ficou muito povoada e um novo circuito foi construído a cerca de 8 km a oeste da cidade.

Embora fosse utilizado fundamentalmente para a realização de testes, Sachsenring hospedou uma prova do MotoGP pela primeira vez em 1998. Desde então, diversas reformas foram realizadas para a melhoria da pista e das instalações do circuito.

A pista com 10 metros de largura têm 3,704 km de extensão, dez curvas para a esquerda, quatro para a direita e uma reta principal com 780 metros. As várias curvas fechadas fazem de Sachsenring uma das pistas mais lentas do calendário da MotoGP, mas nem por isso menos emocionante.

2016 – MÁRQUEZ VENCE NA ESTRATÉGIA

A corrida iniciou com pista molhada mas terminou no seco. Marc Márquez (Honda) largou na pole, mas foi caindo. Na sexta volta já estava em sexto. A coisa piorou após uma escapada na última curva na 11ª volta, quando perdeu mais quatro posições. Com a pista secando, a estratégia passou a ser fundamental. Márquez foi para os boxes trocar de moto a 12 voltas do final, enquanto os líderes permaneciam na pista. A Honda chegou a estar em 14º, mas “voou” na pista e já vinha em sexto, atrás apenas de cinco pilotos que não haviam parado. Quando eles decidiram parar, faltando sete voltas, já era tarde. Jack Miller (Marc VDS) não entrou e foi passado na pista por Márquez a seis voltas do final. Scott Redding (Pramac) assumiu o segundo posto, mas não resistiu no final a Cal Crutchlow (LCR Honda), que terminou em segundo, e a Dovizioso, que fechou o pódio.

2015 – MÁRQUEZ VENCE EM DOBRADINHA DA HONDA

Marc Márquez depois de ter dominado todas as sessões de treinos, venceu sem qualquer problema . Vindo da pole position, o espanhol da Honda se viu surpreendido por Jorge Lorenzo. O compatriota da Yamaha fez uma largada brilhante para assumir o comando no início da corrida. Contudo, após cinco voltas, Lorenzo viu-se superado por Márquez, que não mais cedeu a primeira posição e rumou, tranquilo, para a vitória. Lorenzo ainda se manteve no segundo lugar por mais três voltas e depois em terceiro por outras tantas, mas após 11 voltas se viu relegado para o quarto posto, em que viria a terminar. Desde a oitava volta, era Valentino Rossi, quem corria atrás de Márquez. Mas a verdade é que a Honda se apresentou muito forte, com Dani Pedrosa superando Rossi, que tinha partido do sexto posto.

2014 – MÁRQUEZ VENCE MESMO LARGANDO DOS BOXES

O início foi afetado pela chuva antes da largada, com o vencedor Marc Márquez (Honda) e mais 13 pilotos partindo dos boxes. De terceiro do grid, Stefan Bradl (LCR Honda) partiu sozinho na frente do pelotão com pneus slicks e liderou as primeiras voltas depois da chuva. Com a pista secando muito rapidamente, a maior parte do resto do pelotão trocou de pneus de chuva para slicks após a última volta de reconhecimento, o que fez com que fossem muitos os que partissem do pitlane. O acerto da moto de Bradl parecia permitir-lhe fazer uma prova vencedora após a troca de última hora, no grid, para os pneus slicks. Mas ele acabou caindo na classificação para terminar a corrida em casa na 16ª posição. Márquez voltou a estar soberano, recuperando posições pelo pelotão nas que foram caóticas primeiras voltas e acabou se isolando na frente com o colega de equipe Dani Pedrosa, que terminou a 1s5 de distância. Nove segundos atrás, Jorge Lorenzo (Yamaha) fez um bem-vindo regresso ao pódio.

2013 – MÁRQUEZ VENCE NA AUSÊNCIA DE RIVAIS

Sem os dois principais favoritos, ficou fácil para Marc Márquez (Honda) triunfar na oitava etapa da Moto GP, em Sachsenring (Alemanha). Jorge Lorenzo (Yamaha) e Dani Pedrosa (Honda) ficaram de fora devido a acidentes nos treinos. Mas não foi tão fácil: pole position Márquez caiu para quarto na largada. No entanto, em poucas voltas já estava em primeiro de novo, tendo ultrapassado respectivamente Aleix Espargaró (Aspar), Valentino Rossi (Yamaha) e Stefan Bradl (LCR Honda). Nas voltas finais a pressão foi de Cal Crutchlow (Teh 3 Yamaha), o segundo colocado na bandeirada. Rossi liderou após a largada, mas foi ultrapassado ainda na primeira volta por Bradl. Conseguiu retomar em cima do alemão, mas não pode suportar o ritmo mais forte de Márquez e de Crutchlow, completando o pódio em terceiro.

2012 – STONER CAI E PEDROSA VENCE

Um grande duelo entre os dois pilotos da Honda foi a tônica. Casey Stoner foi ao chão nas últimas curvas, e a vitória ficou com Dani Pedrosa, a primeira dele na temporada e terceira consecutiva no traçado alemão. Jorge Lorenzo (Yamaha) fez uma corrida burocrática para chegar em segundo. Andrea Dovizioso (Tech 3 Yamaha) completou o pódio em terceiro, mais uma vez levando a melhor sobre o piloto oficial Ben Spies (Yamaha), o quarto. O norte-americano ainda deu sorte, já que Cal Crutchlow (Tech 3 Yamaha) foi outro a dar uma escapada, quando estava posicionado entre os dois colegas de Yamaha.

2011: PEDROSA VENCE DE NOVO

Dani Pedrosa (Honda), na segunda prova após o seu retorno à Moto GP, superou as dores no ombro e obteve uma vitória maiúscula. A segunda posição foi decidida apenas na última curva em favor de Jorge Lorenzo (Yamaha). O favorito Casey Stoner acabou em terceiro, na frente do colega de Honda Andrea Dovizioso. Ben Spies (Yamaha) superou Marco Simoncelli (Gresini Honda) na última volta para chegar em quinto.

2010: PEDROSA VENCE E DE PUNIET QUEBRA A PERNA

Dani Pedrosa (Honda) surpreendeu o compatriota Jorge Lorenzo (Yamaha) e foi o vencedor. Casey Stoner (Ducati) completou o pódio em terceiro. Valentino Rossi (Yamaha) foi o grande destaque da prova. O italiano retornou seis semanas depois de ter fraturado a perna direita, mas mostrou-se bastante competitivo e chegou em quarto. A corrida foi interrompida pela bandeira vermelha em sua décima volta. Randy de Puniet (LCR Honda) caiu na Curva 4 e sua moto foi atingida por Alvaro Bautista (Suzuki) e Aleix Espargaró (Pramac Ducati). O francês teve a perna esquerda quebrada.

2009: ROSSI VOLTA A SUPERAR LORENZO

Valentino Rossi (Yamaha) aumentou para 14 pontos a sua vantagem na liderança da MotoGP após vencer a nona etapa. O italiano largou na pole position e se manteve em primeiro após a largada. Mas isso não significa que ele teve vida fácil, já que foi fortemente desafiado por Casey Stoner (Ducati) na primeira metade da corrida e por Jorge Lorenzo (Yamaha) na segunda, chegando a perder a liderança para ambos. O espanhol vice-líder do campeonato chegou em segundo, colado no companheiro de equipe.

2008: STONER VENCE NOVAMENTE E DÁ LIDERANÇA PARA ROSSI

Casey Stoner mudou a classificação do Campeonato do Mundo com sua terceira vitória consecutiva do ano no GP Alice Motorrad da Alemanha, em uma corrida muito molhada, disputada no circuito de Sachsenring.

2007: STONER LEVA MAIS UMA

Depois de se apresentar como o piloto mais rápido em todas as sessões de treinos no traçado californiano, o australiano da Ducati Marlboro conquistou a vitória.

2006: ROSSI CONQUISTOU VITÓRIA EMOCIONANTE EM SACHSENRING

Valentino Rossi venceu o GP da Alemanha e passou a ocupar o segundo lugar na tabela de Classificação do Campeonato. O italiano liderou o pelotão da frente com quatro pilotos que tinham a possibilidade de vencer a prova.

2005: ROSSI APROVEITOU ERRO DE GIBERNAU E VENCEU PELA 76ª VEZ EM SUA CARREIRA

Valentino Rossi (Gauloises Yamaha) somou em Sachsenring sua oitava vitória na temporada 2005 e a 76ª de sua carreira, o italiano se consagrou no terceiro piloto com mais vitórias na história do Mundial de Motovelocidade, se igualando Mike Hailwood.

2004: A VEZ DE MAX BIAGGI

Max Biaggi (Camel Honda) venceu o GP da Alemanha em 2004 completando as 30 voltas com o tempo de 42’39, a uma velocidade media de 156 km/h. Aquela foi sua primeira vitória na temporada 2004, e a 42a. de sua carreira. Com isso, ele assumiu a vice-liderança do campeonato, a apenas um ponto do primeiro colocado, Valentino Rossi (Gauloises Fortuna Yamaha).

2003: VITÓRIA DE GIBERNAU

Em uma corrida muito disputada, com uma chegada emocionante, Sete Gibernau (Telefónica Movistar Honda) venceu o GP da Alemanha completando as 30 voltas com o tempo de 42’39;41.180, a uma velocidade média de 155 km/h. Foi a quinta vitória de sua carreira e a quarta deste ano, desempatando assim o duelo particular que mantém com Valentino Rossi (Repsol Honda) pelo número de triunfos na temporada.

DEMAIS VENCEDORES:

2002: Valentino Rossi, Honda
2001: Max Biaggi, Yamaha
2000: Alex Barros, Honda
1999: Kenny Roberts, Suzuki
1998: Mick Doohan, Honda

EB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.