Mercedes fez duas corridas em Cingapura

Mercedes em Cingapura 2014

Mercedes em Cingapura 2014

Por: Lorenzo De Luca e Adauto Silva

O Grande Prêmio de Cingapura é uma das corridas mais difíceis do ano e nos deu algumas dicas interessantes para o restante da temporada. Hamilton venceu com autoridade, mesmo com o safety-car tendo anulado a pequena lacuna que ele havia construído durante a primeira parte da corrida.

Como veremos mais tarde, a Mercedes fez duas corridas distintas em relação à concorrência em Cingapura; uma antes da entrada do safety-car e outra depois. Atrás de Hamilton, vimos (não por acaso) as duas Red Bulls, que graças ao desenho da pista, entregou um desempenho muito bom para ambos os pilotos.

As Ferraris ficaram fora do pódio e, mesmo depois de terem mostrado boa performance no sábado, foram incapazes de vencer a Red Bull no domingo mais uma vez. Estratégia errada? Se Alonso deixasse para fazer sua terceira troca 12 voltas após o safety-car teria sido o segundo colocado? Nunca saberemos…

O desempenho da equipe Williams também foi interessante, principalmente em razão da melhora monumental do carro dos treinos livres de sexta-feira para a classificação no sábado, o que faz com que agora ela tenha se tornado uma forte candidata a terminar a temporada em terceiro lugar na classificação geral.

O circuito de Marina Bay tem um layout muito sinuoso, com vinte e três curvas, a maioria delas de 90 graus que precisa ser enfrentada com velocidades mais baixas. Esta característica, combinada com retas muito curtas, força as equipes a escolher uma configuração com bastante downforce, a mesma de Mônaco ou Budapeste. Então downforce e tração são as chaves para entregar um bom desempenho.

Gráfico: Ritmo de corrida + tempos médios. Clique na imagem para ampliá-la

Legenda pneus: SS – Super Macio. S – Macio. (U) – Usado. (N) – Novo

Como já foi dito antes, a diferença que Hamilton impôs antes da entrada do safety-car foi muito menor do que aquela imposta após o safety-car. Na volta 30 Hamilton estava apenas 5.5 segundos à frente de Alonso, que era o segundo colocado. Isso dá uma vantagem de menos de 2 décimos de segundo em média por volta. Em compensação, na segunda parte da corrida, após o safety-car, Hamilton imprimiu um ritmo de corrida cerca de 1.7s mais rápido por volta!

Mas por quê? Por causa da estratégia. Durante o safety-car, Alonso, Vettel, Ricciardo e a maioria das outras equipes fizeram uma terceira troca de pneus, Hamilton não. As equipes que fizeram essa parada não parariam mais, portanto tinham que economizar os pneus por mais 31 voltas. E a única maneira de economizar pneus macios por tantas voltas era andar num ritmo mais lento.

Por outro lado, Hamilton só havia feito duas paradas e em ambas tinha colocado pneus super-macios. Isto significava que ele teria que fazer mais uma parada para colocar o outro composto de pneus exigido pelo regulamento. Portanto, enquanto os outros ponteiros andavam num ritmo de “cruzeiro” para chegar até o final da corrida, Hamilton, ao contrário, tinha que andar em ritmo alucinante para abrir diferença, fazer a terceira troca e ainda voltar a tempo de vencer a corrida.

Mercedes 18 kg mais leve e 60 hp mais forte

De acordo com rumores recentes, o Mercedes W05 não só tem uma unidade de potência cerca de 50 / 60 hp mais forte, mas também a vantagem de ser 18 kg mais leve que a concorrência (o que se traduz em pelo menos 0.3s de vantagem por volta). O segredo é a disposição perfeitamente encaixada na unidade de potência com o chassi e o sistema de refrigeração. O resultado é um carro mais eficiente aerodinamicamente e com mais potência disponível.

Layout da unidade de potência Mercedes:

E em Cingapura, a Mercedes limitou-se a utilizar o mesmo pacote de Budapeste, além de um assento de macaco ligeiramente revisto

Novo assento de macaco da Mercedes:

O novo tem um elemento superior duplo, de modo a aumentar a carga vertical crucial para esta corrida.

A diferença mostrada até agora pela Mercedes provavelmente se manterá a mesma para as próximas corridas. Ferrari, Renault e Honda não podem falhar no projeto do próximo ano, pois 2015 será a sua última chance (devido às regras de congelamento) para preencher pelo menos uma parte do défice de potência, já que Aldo Costa revelou que a sua unidade de potência para 2015 ganhará mais incríveis 70 hp.

Red Bull desenvolve sem parar

Cingapura foi uma das melhores chances perdidas da Red Bull vencer a Mercedes. A pista, que exige downforce e tração, teria destacado as habilidades do RB10, capaz de transferir velocidade tanto quanto possível através das curvas, de modo a compensar a falta de potência. Na tentativa de tentar alcançar a Mercedes, a Red Bull introduziu uma nova asa dianteira.

Asa dianteira da Red Bull:

Foi uma versão ligeiramente revista da utilizada em Budapeste, graças ao terceiro flap superior, agora muito maior. A fim de explorar todas as principais características do RB10, também foi introduzido um novo nariz (o quinto da temporada!)

Novo nariz da Red Bull:

Este novo nariz apresenta uma protuberância maior na parte de baixo, o que ajuda a mover o downforce mais para a frente, o que é fundamental para ter um carro mais ágil nas chicanes e que “aponte” melhor nas entradas de curvas.

Ferrari focada apenas em 2015

A Ferrari também usou o mesmo pacote introduzido em Budapeste como admitido por Pat Fry. Os esforços no desenvolvimento estão agora totalmente focados no projeto de 2015 (codinome 666). Embora algumas melhorias têm sido vistas, o F14-T ainda não pode competir com a Mercedes ou Red Bull.

A próxima temporada será crucial. A Ferrari não só tem que corrigir os erros cometidos durante o desenvolvimento do 059/3 (turbina maior, tanque de óleo entre o chassi e a fonte de alimentação, e talvez um trocador de calor na entrada de ar), mas também tem que trabalhar muito no sistema de suspensão (que foi basicamente confirmado que será do tipo push rod) e acima de tudo na aerodinâmica. A diferença para a Mercedes no momento parece muito grande e a recuperação vai demorar muito mais tempo do que todos na Ferrari esperavam.

Williams, o terceiro lugar final está agora mais perto

A Williams apresentou um bom desempenho em Cingapura, apesar do traçado não ser ideal para o FW36. A mudança no acerto do carro de sexta-feira para sábado fez toda a diferença do mundo proporcionando mais de 1s de ganho! Em Cingapura, vimos a tampa do motor com persianas sobre a coluna vertebral

Tampa do motor da Williams:

Que ajuda a prevenir a formação de vórtice, portanto o fluxo de ar que vai para a asa traseira aumenta a sua eficiência.

Outra novidade foi o duto de freio traseiro, com o objetivo não apenas resfriar a pastilha de freio e o disco, mas também para criar downforce

Duto de freio da Williams:

Na verdade, como você pode ver, o duto de freio tomou a forma de um flap, na verdade agindo como uma pequena asa para criar mais downforce.

A Force India trouxe uma nova asa dianteira e um novo difusor traseiro. A asa dianteira teve uma nova placa lateral.

Asa dianteira da Force India:

Isto gerencia o fluxo de ar de uma maneira diferente e o pequeno flap ajuda a aumentar o downforce.

O novo difusor traseiro é inspirado no da Red Bull por seus recortes colocados nas aletas do difusor, que foi ligeiramente revisto, assim como também o pequeno flap nas bordas.

Difusor traseiro da Force India:

Grandes atualizações na Sauber também. A equipe suíça lançou uma nova asa dianteira de alto downforce com um desenho diferente

Asa dianteira da Sauber:

Aa novidades foram um flap maior na placa lateral que também apresentou um assoalho maior

A tampa do motor também foi nova e mostrou uma área mais alongada nos tanques laterais para aumentar a eficiência do difusor. A concepção da coluna vertebral foi modificada para aumentar a eficiência do fluxo de ar em direção a asa traseira.

Próxima parada: Suzuka

Suzuka é uma das pistas clássicas do calendário da F1 e incorpora uma grande variedade de curvas exigentes, como a bem conhecida Spoon e a 130R no final da reta oposta, atualmente feita de pé cravado a cerca de 315 kph. Muito técnica, a pista não costuma perdoar erros, por isso é conhecida como uma “pista de pilotos por excelência”. A Mercedes tem o favoritismo novamente seguida pela Red Bull, mas a briga entre a Ferrari e Williams deve ser o ponto alto do final de semana.

AS - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.