KTM Factory Racing conquista sua 18ª vitória no Rally Dakar

TM 450 Rally

Partindo e retornando à Lima, no Peru, o Rally Dakar é um evento extremamente desafiador, que ocorreu em 70% do tempo em dunas de areia. Os organizadores da prova qualificaram a 41ª edição com o nível de “intensidade inigualável”. A décima e decisiva etapa ocorreu na última quinta-feira, dia 17, com a 18ª vitória consecutiva da KTM Factory Racing na competição, com um dos resultados de sucesso mais incríveis da história do motociclismo.

As dunas peruanas são consideradas extremamente técnicas e difíceis para pilotagem. Neblina e subidas com 2.000 metros de altitude foram alguns dos desafios enfrentados pelos competidores. O último estágio cobriu 359 quilômetros, dos quais 112 foram o especial cronometrado, com os participantes percorrendo mais de 5 mil quilômetros de distância no total, desde a cerimônia de abertura, que ocorreu no domingo dia 6, e o primeiro estágio, que ocorreu no dia 7. Apesar de terem sido estágios extremamente intensos, nada que não pudesse ser insuperável pelo espírito READY TO RACE da fabricante austríaca e seus pilotos.

Os seis pilotos da equipe laranja demonstraram muita técnica e empenho competindo com o modelo KTM 450 RALLY. Luciano Benavides, Matthias Walkner, Sam Sunderland e Toby Price disputaram pela equipe Red Bull KTM Factory Racing. Laia Sanz e o estreante Mário Patrão, pela equipe KTM Factory Racing.

Durante vários estágios, os pilotos estiveram entre os top 10 na competição com o objetivo claro por mais um título na competição. A KTM Factory Racing detém a vitória invicta desde a conquista do primeiro título, em 2001, pelo piloto italiano Fabrizio Meoni e em 2019 comemora, novamente, com Toby Price. Matthias Walkner e Sam Sunderland dominaram e formaram o pódio completamente laranja, em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

Toby Price (Red Bull KTM Factory Racing): vencedor do Dakar 2016, Price pilotou bravamente, apesar de sentir o aumento da dor em seu pulso a cada estágio, devido uma lesão sofrida antes do evento. Price subiu para a liderança da prova no oitavo estágio e continuou dominando até a décima etapa, em uma disputa eletrizante. Embora inicialmente houvesse dúvida de que Price seria capaz de competir devido às fortes dores, o piloto se superou e conquistou seu bicampeonato, após o recente título de Campeão Mundial de Cross Country Rallies FIM em 2018.

Matthias Walkner (Red Bull KTM Factory Racing): exibindo a placa com o número 1 em sua moto, o vencedor de 2018 demonstrou excelente desempenho e poucas falhas, inclusive nos estágios mais exigentes e exaustivos. Walkner foi o grande vencedor do segundo e do oitavo estágios, e mesmo sofrendo uma queda no quarto estágio, acelerou direto para a segunda colocação, abrindo a chance da dobradinha laranja no pódio com a saída de Pablo Quintanilla.

Sam Sunderland (Red Bull KTM Factory Racing): vencedor do Dakar 2017, o piloto foi o grande vencedor do quinto estágio, mesmo parando para prestar auxílio a um piloto lesionado.  Sam ocupava o oitavo lugar na classificação geral provisória ao iniciar a décima etapa, mas com o verdadeiro espírito READY TO RACE, o piloto subiu ao pódio em terceiro lugar, completando o domínio laranja em uma vitória 1-2-3.

Luciano Benavides (Red Bull KTM Factory Racing): após ter se lesionado em 2018 e não ter concluído a prova em seu ano de estreia, o piloto demonstrou muita maturidade e evolução e durante vários estágios da prova apareceu entre os top 10. Com sua confiança e muita técnica, o jovem piloto superou seu objetivo do top 10 e finalizou na oitava posição geral.

Laia Sanz (KTM Factory Racing): a representante feminina elevou seu espírito de desafios e teve uma pilotagem muito precisa. A “rainha do deserto”, como é conhecida, iniciou a prova ainda em recuperação de uma doença contraída antes do evento, por isso, não estava com 100% de rendimento em sua performance nos primeiros dias. Laia começou o décimo estágio em 11º lugar, mesma posição que completou em 2019, o segundo melhor resultado de sua carreira que viu pela nona vez a bandeira quadriculada.

Mário Patrão (KTM Factory Racing): o piloto estreante na equipe demonstrava excelente técnica e foco mas teve que abandonar a prova após um acidente. Mário foi levado de helicóptero e passa por exames para avaliação dos ferimentos. O piloto participava como um valioso ativo na equipe, pois é também um experiente mecânico e poderia auxiliar seus companheiros caso precisassem de ajuda, principalmente nos momentos em que a ajuda externa não é permitida.

O Rally Dakar é historicamente uma das provas mais intensas e desafiadoras para os competidores do mundo todo. Incomparavelmente, as motos KTM demonstraram altíssimo rendimento durante todos os estágios, com excelência em durabilidade e garantindo a confiança aos pilotos durante toda a competição, mesmo quando a ajuda dos mecânicos não era permitida. Invencível, a verdadeira lenda do Rally Dakar é a única com o DNA de racing. Enquanto comemora seu primeiro título de 2019, a KTM Factory Racing já tem claro seu objetivo para 2020: mais uma vitória invicta.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.