F1 – Saiba um pouco mais sobre a China e seu GP

GP da China em 2013

A Fórmula 1 chega à China neste fim de semana para disputar a segunda etapa da temporada 2017. O GP inaugural da categoria no país foi realizado em 2004, com vitória de Rubens Barrichello (Ferrari). Fernando Alonso (Renault), que acabara de ser campeão mundial pela primeira vez, triunfou em 2005; Michael Schumacher (Ferrari) venceu sua última corrida na Fórmula 1 no ano seguinte, enquanto Kimi Raikkonen (Ferrari) e Lewis Hamilton (McLaren) deram passos importantes rumo ao título com as vitórias em 2007 e 2008, respectivamente. Sebastian Vettel (Red Bull) ganhou em 2009. A McLaren ganhou com Jenson Button e Lewis Hamilton em 2010 e 2011, a Mercedes de Nico Rosberg triunfou em 2012 e 2016 e a de Hamilton em 2014 e 2015, e a Ferrari de Alonso em 2013.

A visão de um GP da China surgiu no começo dos anos 90. Inicialmente, o governo chinês tinha planos para um circuito de Fórmula 1 localizado na cidade de Zhuhai, na província de Guangdong, no sul da China. O Circuito Internacional de Zhuhai foi projetado, construído e adicionado em caráter provisório ao calendário da Fórmula 1 em 1999, mas a pista não atendeu certos padrões estabelecidos pela FIA. Entretanto, o governo chinês não desistiu, e eventualmente, com a ajuda dos organizadores do GP de Macau, o evento se tornou realidade em 2004.

F1 - Largada GP da China de 2012

Largada GP da China de 2012

Conheça um pouco mais da China

A República Popular da China é o terceiro maior país do mundo em área e o mais populoso do planeta, ocupando uma parte considerável da Ásia oriental. Com uma população de mais de 1,32 bilhão de habitantes (a maior do planeta), a China ocupa uma superfície de 9.640.821 km². Sua capital é Pequim.

A economia da China é a quarta maior do mundo em termos de PIB nominal – depois dos Estados Unidos, Japão e Alemanha. No entanto, se o PIB for calculado pelo método da paridade do poder de compra, o país já tem a segunda economia do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Por seu volume, a China participa com 13 por cento da economia mundial e 21 por cento da população do planeta. Já é a maior produtora de alimentos e manufaturas do globo, perdendo apenas no valor mundial para os Estados Unidos na mineração e no setor de serviços.

O governo da China tem sido descrito como autoritário, comunista e socialista, com pesadas restrições em diversas áreas, principalmente no que se refere às liberdades de imprensa, de reunião, de movimento, de direitos reprodutivos e de religião, além de obstáculos ao livre uso da internet. Seu atual chefe supremo é o presidente Hu Jintao; o primeiro-ministro é Wen Jiabao. O país é governado pelo Partido Comunista da China (PCC), cujo monopólio sobre o poder é garantido pela constituição chinesa.

A China é composta principalmente por planaltos e montanhas no oeste e terras mais baixas a leste. A maior parte das terras aráveis do país situa-se ao longo dos dois maiores rios, o Chang Jiang (Yangtze) e o Huang He, e ambos são centros ao redor dos quais foram fundadas as principais civilizações antigas da China.

A leste, ao longo das costas do mar Amarelo e do mar da China Oriental, encontram-se grandes planícies aluviais. A costa do mar da China Meridional é mais montanhosa e o sul da China é dominado por colinas e por cadeias montanhosas menores.

A oeste, o norte possui uma grande planície aluvial, e o sul contém uma vasta meseta calcária cortada por cadeias montanhosas de elevação moderada em relação à meseta, culminando nos Himalaias e no ponto mais elevado do país, o monte Everest. A parte noroeste também inclui planaltos elevados, entre paisagens de deserto árido, como o Takla-Makan e o deserto de Gobi, que vem se expandindo cada vez mais.

O clima do país varia bastante. A zona norte (na qual se situa Pequim) possui um clima de invernos rigorosos. A zona central (que inclui a sede do GP, Xangai) tem um clima temperado. A zona sul (onde se situa Guangzhou) tem geralmente um clima subtropical. Devido às secas prolongadas e talvez às práticas agrícolas ruins, as tempestades de poeira têm se tornado comuns na primavera chinesa.

Nico Rosberg

Rosberg venceu o GP da China de 2012

O circuito de Xangai

O Circuito Internacional de Xangai foi projetado por Hermann Tilke e custou 240 milhões de dólares. A pista tem uma extensão de 5.451km e possui uma das combinações de curvas mais difíceis do calendário da categoria, comparável à curva 8 do Istambul Park, na Turquia. As curvas 1 e 2 formam uma sequência exigente de 270 graus à direita que requer uma velocidade de entrada muito alta e vai se fechando progressivamente.

O circuito é apreciado pela maioria dos pilotos devido à variedade de suas curvas e também por contar com pelo menos dois pontos de ultrapassagem claros, a curva 6 no primeiro setor e a curva 14 no final da longa reta oposta, onde os carros superam facilmente os 300km/h. O layout da pista também lembra o personagem chinês Shang, a primeira palavra no nome da cidade de Xangai, que significa “acima” ou “elevar”.A volta mais rápida pertence a Michael Schumacher (Ferrari), 1min32s238 em 2004.

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.