F1 – Preview Pirelli do GP da Espanha: familiar, mas um desafio difícil

De todos os circuitos da Fórmula 1, o de Barcelona é, provavelmente, o mais conhecido de todos os times, já que é um local de testes – incluindo oito dias no início deste ano. Mas isso não o torna menos desafiador. A Pirelli está trazendo os três pneus mais duros da linha pela segunda vez este ano, depois do Bahrein: C1 como o composto duro – branco, C2 como o composto médio – amarelo, e C3 como o composto macio – vermelho. Eles devem estar bem adaptados às exigências de alta energia e ao clima quente do circuito de Barcelona, que dá início a temporada europeia.

CARACTERÍSTICAS DA PISTA

A pista recebeu um novo asfalto no ano passado, o que mudou sua natureza irregular e abrasiva. No entanto, a superfície já amadureceu, tornando-a mais parecida com a anterior.

Embora as equipes tivessem uma escolha livre de toda a linha de pneus P Zero Fórmula 1 2019 para os testes de pré-temporada, elas tenderam a se concentrar nos compostos mais macios (mais comumente usados ​​durante o ano). Então, eles podem ter perdido um pouco de dados dos pneus duros e médios.

Barcelona é um bom teste geral para carros e pneus, e é por isso que é usado com frequência para testes: a famosa curva 3 tira o máximo de energia dos pneus, sendo o dianteiro esquerdo o mais forçado.

No ano passado, a corrida foi ganha com uma única parada: a mesma estratégia foi usada por todos os três primeiros. Lewis Hamilton venceu para a Mercedes depois de iniciar com o pneu macio e passar para o médio na sequência. Teve quem fez duas e até três paradas.

O composto C1 deste ano é ligeiramente mais macio do que o pneu duro de 2018. Já o C2 é equivalente ao médio de 2018 e o C3 ao macio do ano passado. A seleção para o Grande Prêmio da Espanha deste ano foi feita para permitir que os pilotos acelerem ao máximo desde o início até o final de cada trecho, que provavelmente serão em condições quentes, sem ter que fazer o gerenciamento de ritmo.

MARIO ISOLA – GERENTE MUNDIAL DE MOTORSPORT DA PIRELLI

“Há muito poucos mistérios sobre o Barcelona para as equipes, especialmente neste ano, já que os testes de pré-temporada foram realizados em condições meteorológicas muito boas e que são mais representativas da temporada. No entanto, várias equipes estão planejando trazer algumas melhorias nos carros, por isso será interessante ver o efeito delas no comportamento dos pneus, juntamente com a evolução contínua da nova pista, que já observamos no início deste ano. Mesmo nos testes de pré-temporada, os carros eram incrivelmente rápidos, então isso poderá ser um indício de uma corrida como no ano passado na Espanha, onde mais recordes de pista devem cair.”

OUTRAS NOTÍCIAS DE PIRELLI

As três melhores equipes fizeram todas as nomeações de pneus de forma diferente, sugerindo uma abordagem tática variada. A Ferrari fez a seleção mais agressiva, escolhendo pneus mais macios, mas tanto os seus pilotos quanto os da Mercedes fizeram seleções ligeiramente diferentes para seus companheiros de equipe.

Na terça e quarta-feira após o Grande Prêmio da Espanha, o segundo teste do ano durante a temporada ocorrerá. A Ferrari e a Racing Point terão, cada uma, um segundo carro para a Pirelli avaliar os protótipos de 2020. Este será um teste “cego”, então os pilotos (ainda a serem anunciados) não saberão exatamente o que estão testando.

A novíssima Fórmula 3 – substituindo a GP3 – faz sua estreia na Espanha, junto com a Fórmula 2. Ela apresenta um carro totalmente novo, com novos pneus desenvolvidos pela Pirelli. As velocidades de volta devem ser muito semelhantes, mas a maneira como o carro entrega seu desempenho está mais alinhada com a F2 e F1.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.