F1 pode reduzir limite orçamentário no futuro

Jean Todt

A Fórmula 1 vai buscar reduzir o valor do limite máximo do orçamento que será introduzido em 2021.

O presidente da FIA, Jean Todt, admitiu em Hockenheim que apenas Mercedes, Ferrari e Red Bull serão afetadas pelo valor de 175 milhões de dólares que exclui os custos, incluindo os salários dos pilotos.

“Eu teria preferido um número menor”, disse o francês. “Apenas três equipes serão afetadas ou terão que se restringir. Seria melhor ter um limite que desse a todas as equipes a mesma chance, mas isso não foi possível”.

“Pelo menos agora temos um pé na porta. Este limite orçamental é melhor do que nenhum, por isso talvez num segundo passo possamos reduzir o montante”, acrescentou Todt.

Por outro lado, o francês disse na cena do provável último GP da Alemanha por agora que o país “deveria ter um GP”. “É provavelmente o país com o maior conhecimento de construção e produção de automóveis”, afirmou ele à agência de notícias DPA em Hockenheim. “Acredito firmemente que a Alemanha deveria ter um GP”.

Hockenheim, no entanto, simplesmente não pode pagar a taxa de corrida que está sendo exigida pela Liberty Media. “Não podemos fazer muito quanto a isso”, concluiu o presidente da FIA.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.