F1 – Paddy Lowe deixa oficialmente a Mercedes

Paddy Lowe e Andy Cowewll

Paddy Lowe e Andy Cowewll

O acordo que leva Paddy Lowe à Williams e que traz Valtteri Bottas para Mercedes como companheiro de equipe de Lewis Hamilton está agora em andamento e deve ser anunciado em breve, depois de alguns atrasos durante o período de Ano Novo.

Uma outra conseqüência é o retorno do piloto brasileiro Felipe Massa, que tinha anunciado sua aposentadoria em 2016. O brasileiro estava em uma posição de negociação muito forte. em razão da Mercedes querer Bottas e a Williams precisar de um piloto rápido e experiente ao lado do novato Lance Stroll para 2017. É esperado que Massa corra mais um ou dois anos pela Williams.

A saída de Lowe de Mercedes, anunciada oficialmente hoje, foi postergada por muitos meses. Seu contrato deveria expirar no final de 2016 e as negociações foram relatadas como difíceis. Enquanto isso, a Williams, com o ímpeto da família Stroll, estava ansiosa para agitar o lado técnico da equipe e, juntamente com a saída de Pat Symonds, houve uma série de outros chefes de departamento que deixaram a equipe.

Ironicamente, quando Lowe deixou a McLaren em 2013, ele foi se juntar a Toto Wolff na Williams, onde ele era um acionista minoritário. Mas, em seguida, Wolff foi nomeado chefe de equipe da Mercedes F1 e foi para lá, ao invés de ir para a Williams. Ele trabalhou ao lado de Ross Brawn, antes deste último se afastar da equipe, tendo posto em prática grande parte do terreno para o dominante carro turbo híbrido de 2014..

Lowe foi uma das peças-chave para a Mercedes ganhar 51 GPs em 59 em três anos, perdendo a pole apenas três vezes nesse período.

Assim, Lowe está chegando ao seu destino original três anos e meio – e seis campeonatos mundiais de pilotos e construtores – mais tarde do que o esperado!

A expectativa nos círculos da F1 é que o ex-diretor técnico da Ferrari, James Allison, venha para a equipe da Mercedes, uma vez que seu período de “quarentena” terminar no verão europeu, mas não há menção disso hoje.

“A curto prazo, nossa organização técnica estável continuará a operar sob a liderança comprovada e estabelecida de nossos diretores seniores Aldo Costa (diretor de engenharia), Mark Ellis (diretor de desempenho), Rob Thomas (diretor de operações) E Geoff Willis (Diretor de Tecnologia)”.

“Paddy desempenhou um papel importante no nosso sucesso nos últimos três anos e meio e agradecemos a sua contribuição para este importante capítulo da história do automobilismo da Mercedes”, afirmou o chefe da equipe Toto Wolff.

“O sucesso na Fórmula 1 não é sobre indivíduos isolados, mas sobre a força e a capacidade técnica profundas de uma organização.Temos o talento no lugar para continuar o nosso sucesso dos últimos anos e planejamos construir sobre ele em 2017 e além.”

AS - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.