F1 – Menos ultrapassagens? Whiting culpa as equipes intermediárias

Charlie Whiting

O diretor de corrida da FIA, Charlie Whiting, diz que o maior fator que afeta a ultrapassagem na Fórmula 1 não é o carros, mas a competitividade das equipes do meio campo.

A temporada 2017 viu a metade do número de manobras de ultrapassagem após a introdução de carros mais rápidos e mais largos.

No ano passado, em Melbourne, os pilotos declararam por unanimidade que os carros com as novas especificações desafiariam a arte do ultrapassagem, o que efetivamente ocorreu.

“Os carros mais largos ficam ótimos e nos deram mais aderência, mas quando ocupam mais espaço na pista, você tem menos ar limpo, então fica mais difícil”, disse recentemente Daniel Ricciardo.

Mas Whiting discorda da avaliação do australiano, e ressalta, em vez disso, a persistente diferença de desempenho que existe entre as equipes de meio campo e os líderes.

“Eu não acho que competir de perto é o problema, e eu não acho que os carros são o problema”, disse ele ao New York Times.

“O maior problema que tivemos neste ano é que está claro que as três grandes equipes – se você quiser chamá-las assim – a Mercedes, Ferrari e Red Bull são significativamente mais rápidas que as demais”.

“Eu não acho que as corridas tenham sido ruins, é só que alguns fizeram um trabalho significativamente melhor do que outros, o que não é novidade na Fórmula 1”, acrescentou Whiting.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.