F1 – McLaren deve continuar com a Honda em 2018, se…

McLaren-Honda

McLaren-Honda

Antes tarde do que nunca? O motor F1 da Honda está finalmente produzindo a potência que os engenheiros queriam ter no GP da Espanha, de acordo com o site Racer. Isso coloca a potência de sua próxima atualização igual a do motor da Mercedes em de Abu Dhabi no ano passado, que era o objetivo inicial para 2017. A Honda inicialmente planejava apresentar a atualização no Canadá, mas os problemas atrasaram a atualização. A especificação atual deixa os motores a cerca de 50 cavalos de potência dos motores da Ferrari e da Mercedes, e nos calcanhares da Renault, o concorrente mais próximo da Honda.

Yusuke Hasegawa ficou ao mesmo tempo orgulhoso e decepcionado com o ritmo de desenvolvimento. “De um ponto de vista de desenvolvimento normal, alcançar esse nível em cinco meses é motivo de orgulho. No entanto, em relação ao calendário da F1, é muito tarde. Então estou meio aliviado e meio desapontado por não conseguir atingir esse nível no início da temporada “, disse ele.

A partir deste momento, isso coloca a Honda pelo menos oito meses de desenvolvimento atrás da Mercedes e Ferrari, potencialmente mais se a Mercedes tiver outra atualização sendo desenvolvida ainda para este ano. A Ferrari já anunciou que se tiver alguma atualização ainda este ano, ela será focada em confiabilidade, não mais em potência.

Enquanto a Honda provou que eles podem desenvolver-se mais rapidamente do que algumas das equipes líderes, a diferença restante entre a Honda e os ponteiros será mais difícil de diminuir, já que o segredo está nos detalhes a partir de agora. Mas seus engenheiros não terão descanso até que eles alcancem Ferrari e Mercedes ou desistam.

Se a Honda e McLaren terminassem a parceria, no entanto, isso deixaria a McLaren com uma única opção para o futuro imediato: a Renault. Mas a McLaren é muito dependente do dinheiro trazido pela Honda, e a separação aumentaria muito suas despesas no curto prazo. Ficar com a Honda por mais alguns anos seria sábio, se superarem a Renault e se encontrarem em posição de desafiar Mercedes e Ferrari.

Passando por seu desenvolvimento este ano, a idéia da Honda fazer um motor competitivo na próxima temporada pode não ser tão risível. Afinal, os japoneses planejam ultrapassar a Renault até o final de 2017.

Mesmo que a Honda não consiga ultrapassar a Renault e fique com um motor de potência e confiabilidade similar, ainda é uma decisão entre pagar e ser pago para usar um motor muito parecido. Portanto a lógica tende a prevalecer e a McLaren deve continuar com a Honda, desde que Spa e Monza demostrarem claramente que a Honda está realmente muito perto da Renault..

AS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.