F1 – Mateschitz quer solução para crise de motor em outubro

Red Bull

Dietrich Mateschitz estabeleceu uma meta para o fim da crise de motor da Red Bull, e o prazo está se aproximando rapidamente.

“Em algum momento no final de outubro”, declarou o proprietário da companhia de bebidas energéticas à Speed Week.

No começo desta semana, Christian Horner, chefe da equipe, deu a entender que, apesar das negociações com Mercedes e Ferrari aparentemente terem fracassado, as conversas na verdade ainda estavam em andamento.

Entretanto, Toto Wolff, da Mercedes, desmentiu as alegações de Horner, e agora o presidente da equipe, Niki Lauda, fez o mesmo.

“Não há discussões”, disse o austríaco ao jornal Osterreich. “Nós fechamos um acordo com a Manor, o que significa que temos quatro equipes, portanto tudo está definido para nós”.

O fato da Red Bull ainda estar comentando uma possível parceria com a Mercedes é um mistério para Lauda. “Talvez eles não queiram mais ficar aqui (na Fórmula 1)”, especulou ele.

Isso não significa que Lauda tem muita simpatia, apesar de ter dito à emissora alemã RTL que a saída de Red Bull e Toro Rosso seria uma “perda enorme”.

“Eles cancelaram o contrato com a Renault um ano antes, se colocando em uma situação sem saída no momento. Eles têm um problema real. Não há discussão com a Red Bull. A conversa deles é com a Ferrari, mas não sei qual será o resultado”.

Um rumor no paddock é que a Toro Rosso fechou um acordo para usar unidades de potência especificação 2015 da Ferrari no próximo ano. Mas essa solução foi considerada inaceitável para a equipe principal.

“Estamos tentando conseguir um motor, mas não podemos ter o que queremos”, afirmou Mateschitz. “O pré-requisito para continuar (na Fórmula 1) é um motor competitivo”.

 

LS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.