F1 – Magnussen: “Péssimos” retrovisores deixam os pilotos “cegos”

Charles Leclerc e Kevin Magnussen

Os “péssimos” retrovisores dos carros de Fórmula 1 frequentemente deixam os pilotos “cegos” nas batalhas, avalia Kevin Magnussen – que está no centro das recentes controvérsias sobre bloqueios.

Magnussen não foi penalizado por um incidente enquanto tentava se defender de Charles Leclerc no GP do Japão. No entanto, Charlie Whiting, diretor de prova da FIA, posteriormente mudou de opinião e disse que o piloto da Haas se movimentou muito tarde.

O dinamarquês agora também admite que cometeu um erro. Porém, ele argumentou que as posições atuais dos retrovisores o impediram de ver Leclerc até ser tarde demais.

“Obviamente, eu fiquei sabendo de sua opinião pela conferência de imprensa que ele fez”, disse Magnussen sobre Whiting.

“Preciso dizer que acho que ele estava certo ao mudar de opinião, porque eu me movimentei tarde demais. Mas o problema é que é impossível enxergar o piloto atrás de você até ele se movimentar. É um problema que todos nós temos de resolver juntos”.

A falta de visibilidade traseira tem sido uma reclamação comum desde que as regras aerodinâmicas revisadas – particularmente as asas traseiras mais largas – foram introduzidas no ano passado.

“Com a asa traseira, você não enxerga quando o piloto está bem atrás”, acrescentou Magnussen. “Ele só se torna visível quando se movimenta. Portanto, você não pode fazer nada, a não ser reagir quando o vê”.

“Estes carros são realmente ruins. Você só consegue enxergar (alguém atrás) quando ele está em ângulo, como em uma curva. Quando está exatamente atrás, você fica cego”.

Quer concorrer a uma réplica do capacete do Ayrton Senna? Clique AQUI e palpite sobre quem vai vencer o GP do Brasil de Formula 1 em 11 de novembro!

 

LS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.