F1 – Hamilton quer subir com a Mercedes e perturbar a Ferrari

Lewis Hamilton

Ele ainda não assinou um novo contrato com a Mercedes, mas Lewis Hamilton disse que “quer levar a equipe o mais longe que já esteve” e “realmente perturbar os carros vermelhos e a equipe vermelha”. O inglês, que comemorou sua 100ª corrida com as Flechas de Prata no GP do Bahrain, tem seu contrato expirando no final deste ano.

O tetracampeão mundial deixou claro no passado que não falou com outras equipes e, quando perguntado pelo site da Mercedes F1 sobre o futuro, ele respondeu: “Minha esperança para o futuro é que continuemos – crescendo, superando e sempre avançando. Obviamente, construir nosso relacionamento. Mas eu realmente quero levar essa equipe o mais longe que já esteve”.

“Eu quero fazer parte desta jornada onde a Mercedes é a equipe de F1 mais bem sucedida da história. Eu quero empurrá-la o mais longe que puder, com a vida útil como piloto que tenho, o que levaria muito tempo para que qualquer outra pessoa pudesse repetir. Eu acho que isso realmente aborreceria os carros vermelhos e a equipe vermelha, então esse é o meu objetivo…”, afirmou.

Ele também foi solicitado a explicar o que o convenceu a se juntar à Mercedes depois de iniciar sua carreira na McLaren. “Eu me lembro de estar em Mônaco, na beira da piscina, durante o verão de 2012, eu acho. E Niki (Lauda) me ligou e disse: ‘Nós queremos você!’. Nós nunca tínhamos realmente falado, eu e Niki. Ele não tinha uma boa visão de mim. Eu não sei o porquê. Ele realmente não me conhecia, mas conversamos”, revelou.

“Então eu ouvia essas coisas que ele dizia sobre mim na mídia e eu ficava tipo ‘Por que Niki está me odiando?’. E então, quando começamos a conversar, particularmente quando nos conhecemos, começamos a perceber que nós tínhamos muito em comum e nós éramos muito parecidos em nossas visões de corridas – como ‘Na verdade, ele não é um cara mau!'”, prosseguiu Hamilton.

“Então Ross (Brawn) veio até a casa da minha mãe e sentou na minha cozinha, o que foi muito legal. Cresci assistindo Michael (Schumacher) vencer todos esses campeonatos, via Ross nos pits em todos aqueles GPs, e eu tenho o cara na cozinha da minha mãe me pedindo para, basicamente, substituir Michael”, lembrou ele.

“Eu adoro a ideia de você assistir Michael na Ferrari e evitar que eles sejam bem-sucedidos. Fazer parte dessa jornada e vencer – parecia incrível assistir e eu queria fazer algo assim”, acrescentou.

“Eu já fiz tudo o que acho que poderia ter feito na McLaren. Eu vi a Mercedes como este bebê prestes a começar a crescer e eu queria fazer parte disso. As pessoas viram isso como um grande risco, mas eu assumo riscos e isso é empolgante. Se você não está assumindo riscos, você não está vivendo”, concluiu Hamilton.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.