F1 – Haas: Nossos críticos só se importam porque não somos os últimos

Haas

O chefe da Haas, Guenther Steiner, disse que os críticos vocais da equipe não se importariam tanto se ela estivesse no final do pelotão.

O modelo da Haas de estar estreitamente alinhada com a Ferrari, comprando tanto quanto as regras permitem da fabricante italiana, além de usar suas instalações e depois subcontratar grande parte de seu trabalho de design para Dallara, foi recebido com uma reação negativa de algumas equipes de Fórmula 1.

No entanto, Steiner refutou as alegações de que eles estão basicamente comandando uma equipe B da Ferrari e insiste que tudo que eles fizeram está dentro das regras.

“Eu realmente não me importo”, disse Steiner sobre as críticas. “Algumas das pessoas que dizem isso, eu realmente não sei o que querem dizer com isso. Acho que elas não sabem o que querem dizer com isso”.

“Normalmente são as pessoas que não conseguem entender por que estamos fazendo um trabalho tão bom. Elas apenas dizem que estamos copiando a Ferrari. Há regras claramente escritas – o que você pode e não pode fazer – e fazemos tudo pelo livro de regras. Eu realmente não me importo se elas têm uma má opinião sobre nós”.

Ele também acredita que é apenas porque eles foram tão bem sucedidos com a maneira como operam que os críticos até levantaram o assunto, insistindo que eles não iriam piscar um olho se Haas estivesse correndo no fundo.

“Ninguém se importaria se estivéssemos no fundo”, acrescentou. “Todo mundo ficaria feliz”.

“Isso é o que todos esperavam. Foi aí que elas pensaram que estaríamos quando entrarmos na Fórmula 1. Isso se desenvolveu ao longo dos anos, com pessoas ficando mais críticas”.

“Isso anda de mãos dadas com nossas classificações. Depois de um tempo, você se acostuma. Você vive com isso e não se importa”.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.