F1 – FIA trabalha em “diretrizes” após ida de funcionários para equipes

Laurent Mekies

A FIA está tentando acabar com as preocupações em relação à transferência de seus funcionários para as equipes de Fórmula 1 depois que a contratação de Laurent Mekies, vice-diretor de prova, pela Ferrari gerou nova controvérsia.

Antes da ida de Mekies para a Ferrari, a Renault contratou Marcin Budkowski, ex-chefe técnico da FIA, no ano passado.

Após aquele caso, as equipes concordaram com um período de 12 meses de afastamento remunerado para funcionários da FIA em uma reunião do Grupo de Estratégia, com Sergio Marchionne, presidente da Ferrari, sendo a força motriz por trás das discussões.

Entretanto, Mekies agora está indo para a Ferrari depois de seis meses de aviso prévio, o que levou McLaren e Red Bull a acusarem a equipe italiana de violar um acordo de cavalheiros.

Charlie Whiting, diretor de prova da FIA, disse que as equipes não fizeram nenhuma queixa formal, mas reconheceu que algumas expressaram sua frustração na mídia.

“Entendo por que algumas equipes podem estar um pouco irritadas, mas acho que Laurent tinha acesso a informações um pouco menos sensíveis do que Marcin”, declarou Whiting.

“Nenhuma equipe reclamou disso para mim. Eu li algumas histórias, mas nenhuma equipe veio conversar comigo para expressar sua insatisfação. Talvez isso seja discutido quando nos reunirmos com todas as equipes em algumas semanas”.

“Após a saída de Marcin, houve muita discussão sobre isso no Grupo de Estratégia e na Comissão da F1, como você deve ter ouvido”.

“Certas diretrizes foram sugeridas. Ainda estamos trabalhando nas coisas com as equipes relevantes e nossos advogados para ver o que pode ser feito dentro da lei em vários países. Ainda é um trabalho em andamento”.

 

LS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.