F1 – FIA: Multa para a Ferrari não estabelece precedente

Charles Leclerc

A FIA insiste que punir a Ferrari apenas com uma multa pela liberação perigosa de Charles Leclerc no GP da Alemanha não estabeleceu um precedente.

Leclerc foi liberado no caminho de Romain Grosjean, tendo feito um pit-stop logo depois do período de safety car provocado por Sergio Perez. Grosjean foi forçado a frear para evitar uma batida, e o incidente foi investigado. Leclerc acabou escapando de uma punição de tempo, mas a Ferrari foi multada em 5 mil euros.

Michael Masi, diretor de prova da Fórmula 1, diz que a decisão de impor uma multa foi tomada após conversas com as equipes antes do fim de semana na Alemanha sobre o risco de incidentes causados pelas condições meteorológicas instáveis.

“Parte da discussão que tivemos com os diretores de equipe outro dia, sabendo que as condições poderiam ser instáveis, foi sobre levar em conta se todos entrassem no pitlane para trocar pneus ao mesmo tempo”, explicou Masi. “Isso teve de ser um fator. Apesar do pitlane ser amplo, o fato de todas as equipes estarem lá não permitiu o que vimos em Silverstone, com um carro passando na área pintada”.

Ao ser questionado se acredita que existe o risco das equipes correrem mais riscos com liberações perigosas, Masi respondeu: “Não, acho que não. Acredito firmemente, e todas as equipes concordam, que você deve tratar cada caso individualmente. Por mais que você tente ver as coisas de modo geral, é necessário julgar cada circunstância que surge. Portanto, creio que acabou sendo bem simples”.

“Não é algo que está acontecendo regularmente, é um caso isolado. As equipes também se preocupam bastante com a autopreservação. Existe o risco de danificar seu carro, e as consequências disso são muito maiores que qualquer outra coisa”.

 

LS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.