F1 – Eu teria feito o mesmo!

Gasly fora, Albon dentro!

Por: Adauto Silva

Após a promoção de Alexander Albon à Red Bull Racing, muitos jornalistas especializados em F1 estão alertando o piloto tailandês britânico sobre a mudança da Toro Rosso para a equipe principal.

Albon está na metade de sua temporada de estreia na F1 e está me impressionando – assim como tenho dito no Podcast do Autoracing Loucos por Automobilismo, mas muitas pessoas ficaram surpresas que a Red Bull tenha chamado o jovem piloto de sua equipe irmã Toro Rosso.

Eu não fiquei.

Com Daniil Kvyat tendo um pódio – ajudado demais pela sorte – nesta temporada, bem como quase o dobro dos pontos, o russo pode estar se sentindo muito mal por não ter sido o piloto chamado para correr ao lado de Max Verstappen.

O problema é que apesar dos números melhores de Kvyat, o desempenho na pista de Albon – considerando que ele é novato, não conhecia o ambiente de F1 e várias das pistas – tem sido superior.

Além disso, a Red Bull já viu o que Kvyat pode fazer contra os grandes da F1, uma vez que ele já teve oportunidade na equipe principal, chegou até a ter bons resultados contra Ricciardo, muito em virtude de seu carro na época quebrar bem menos que o do australiano, mas sua performance não foi das melhores.

Considero muito saudável esse tipo de atitude da Red Bull em dar oportunidades reais a seus pilotos, depois de abrigá-los nas categorias de base.

Pode parecer cruel rebaixar Gasly após apenas meia temporada na equipe principal, mas a verdade é que o francês não estava conseguindo apresentar uma performance compatível com o carro, além de estar sendo massacrado por Max Verstappen.

Gasly vinha dizendo desde o inicio da temporada que seu maior problema era encontrar o acerto do carro para as variadas pistas. Então, depois de muitas tentativas frustradas em colocar o carro “ao gosto” do francês, a Red Bull determinou que Gasly andaria com o mesmo acerto de Verstappen, Na primeira vez – GP da Inglaterra – a coisa pareceu ter funcionado com Gasly fazendo uma boa classificação e corrida.

Mas depois tudo desandou de novo e Max chegou a colocar volta em Gasly na Hungria, mesmo com a equipe ajudando o francês em tudo que era possível.

Não será uma tarefa fácil para Albon andar perto de Verstappen, principalmente nas quatro ou cinco primeiras corridas, mas ele terá que usar todas as ferramentas e truques do repertório dos ótimos pilotos de F1 para sobreviver na implacável avaliação costumeiramente feita pela Red Bull e ser confirmado para 2020.

E se Albon andar bem, ou seja, perto de Max após quatro ou cinco corridas, isso pode encorajar Toto Wolff a arriscar colocar o talentoso, rápido e muito inteligente  George Russel ao lado de Lewis Hamilton em 2020, caso dispensem Valtteri Bottas.

Boa sorte a Albon!

Em tempo: Veja Albon no GP da China desse ano, apenas sua terceira corrida de F1!

Adauto Silva
Leia e comente outras colunas do Adauto Silva

AS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.