F1 – “É uma situação um pouco embaraçosa”

McLaren e Renault

A McLaren está liderando o caminho no segundo pelotão, mas o chefe da Renault, Cyril Abiteboul, creditou parte do renascimento da equipe baseada em Woking em sua unidade de potência.

A McLaren mudou do motor Honda para a UP Renault na temporada de 2018, mas lutou no primeiro ano com eles. No entanto, nesta temporada a McLaren de um salto considerável em sua tentativa de voltar ao topo do grid, com Carlos Sainz e Lando Norris no comando de seus carros.

A Renault está um pouco abaixo dos rivais, mas seu desempenho no GP da Itália deu-lhes uma nova esperança. Abiteboul insistiu que sua UP melhorou a forma da McLaren, mas admitiu que o chassi da Renault é inferior.

“É uma situação um pouco embaraçosa, mas claramente a ressurreição da McLaren também se deve a uma combinação de ressurgimento no lado da P e do do chassi”, disse Abiteboul à Autosport.

“Acho que eles têm um chassi melhor em determinadas condições, temos um carro melhor em geral e um chassi melhor nas outras condições.”

“Isso é um fato, então acho que será sobre as características das pistas e quem será capaz de aproveitar a oportunidade oferecida por cada pista”.

“O objetivo era terminar o campeonato em P4 e continua sendo o objetivo. Parecia um alvo difícil, agora parece um alvo viável, e é nisso que estamos focando.”

“A pressão não está mudando e, na verdade, quando você não está alinhado com o seu objetivo, sente a pressão, mas tenho certeza de que é o mesmo para todos no grid, caso contrário você não corre na F1.”

“É bom ter metas difíceis de alcançar, porque isso nos mantém alertas.”

“As metas precisam ser realistas, e são realistas para este ano, sendo que o P4 é um objetivo realista. Precisamos continuar trabalhando e continuar entregando.”

Abiteboul reconheceu que Spa e Monza jogaram a favor dos pontos fortes específicos do carro Renault em relação ao da McLaren, mas enfatizou que muitos pontos foram perdidos em outras pistas.

“Francamente, a vida não muda, os pontos fortes e fracos do carro não mudaram, e sabemos também os pontos positivos e negativos que se espera das próximas corridas”, acrescentou.

“Houve várias pistas nas quais poderíamos ter esse tipo de resultado de Monza e isso não aconteceu. Acho justo que isso tenha acontecido pelo menos uma vez”.

“Temos a lembrança do Bahrain – onde os dois carros abandonaram com problemas técnicos -, Montreal poderia ter sido melhor, Spa poderia ter sido melhor também.”

“Houve várias ocasiões, e desta vez foi a nosso favor. Nada realmente externo nos ajudou em Monza, além de Vettel rodando e depois sendo penalizado.”

“Fora isso, o carro era forte e mereceu essa posição.”

“É satisfatório e espero que seja um momento que possamos levar para a fábrica e continuar melhorando o carro.”

“Novamente, é o que precisamos fazer, uma amostra do que gostaríamos de sentir com mais frequência. Mas mal podemos esperar para estar em pistas especiais para que isso aconteça.”

“Acho que ainda teremos um número de pistas em que o carro pode ser decente, e só precisamos fazer o mesmo quando isso acontecer”.

AS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.