F1 – Comentários pós treinos livres – Haas – GP de Cingapura 2017

Romain Grosjean

Romain Grosjean

Romain Grosjean, 15º/18º colocado: Foi um dia difícil. Cingapura é um desafio por conta própria – para os mecânicos, os pilotos e os carros – com todo o calor e a umidade. Nós tivemos dificuldades o dia todo para tirar o melhor proveito disso. Eu acho que fizemos algum progresso na parte traseira do carro, mas ainda precisamos fazer a dianteira funcionar. Isso é algo com o qual lutamos nos circuitos de rua como Mônaco, mas acabamos encontrando isso na classificação. Não há muita sensação com a dianteira – estou lutando para tirar o melhor proveito disso. Eu acho que hoje a noite vamos tentar algumas coisas para amanhã e, espero, obter a resposta correta.

Kevin Magnussen, não participou/17º colocado: Obviamente, o ritmo não foi ótimo. Precisamos trabalhar nisso e ver se podemos encontrar mais algum ritmo. Caso contrário, vai ser difícil para nós neste fim de semana. Acho que temos algumas coisas para trabalhar, se será o suficiente, nós veremos. Foi divertido pilotar aqui, mas nossa principal prioridade é ser competitivo.

Antonio Giovinazzi, 16º colocado/não participou: Em primeiro lugar, agradeço a Haas e Ferrari por essa oportunidade. Foi uma sessão importante para mim. A última vez que eu dirigi o carro foi o início de agosto, então voltei e em uma pista difícil como Cingapura – foi uma experiência difícil, mas eu realmente gostei da pista. Foi fantástico. Eu estou realmente feliz. Eu fiz o melhor trabalho para a equipe. Nós fizemos todas as voltas que poderíamos fazer, então estou muito feliz com a sessão. Claro, perder Monza foi decepcionante porque estava na frente de meus fãs, mas no final, estou muito feliz em trocar Monza com essa pista, pois pude aprender um novo circuito e ganhar uma nova experiência.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.