F1 – Assoalho e difusor novos da Ferrari

Ferrari

O site oficial da F1 mostrou como a Ferrari – com um novo assoalho e difusor, além do motor produzindo grande potência- provou ser o carro mais rápido no GP da Inglaterra.

Sebastian Vettel abriu com facilidade nos estágios iniciais da corrida. Com muitas das rápidas mudanças de direção de Silverstone – Abbey, Copse, Maggots – agora essencialmente retas, na medida em que são feitas “flat” por todos os carros, o grande diferencial entre os carros mudou da força descendente em alta velocidade para a potência do motor e eficiência aerodinâmica (ou seja, quanto arrasto o carro tem para uma determinada quantidade de downforce).

Dados os padrões de desempenho de cada carro antes de Silverstone, muitos esperavam que essas demandas favorecessem a Mercedes. Mas a atualização mais recente da Ferrari, juntamente com o quanto mais agressivo eles estão agora confiantes em operar o motor, virou o jogo.

Na França, a Mercedes estreou seu motor fase 2.1 e na Áustria uma atualização aerodinâmica significativa em torno dos sidepods. Em Paul Ricard as coisas pareceram ter funcionado, mas as atualizações da aero na Áustria não surtiram o efeito esperado.

Enquanto isso, a trajetória de desenvolvimento da Ferrari neste ano tem sido agressiva e frutífera, e a atualização de Silverstone foi um duro golpe na concorrência. Isso compreendeu versões aprimoradas das lâminas longitudinais (introduzidas na Espanha) percorrendo todo o comprimento das bordas externas do assoalho. Isso aumentou o poder dos vórtices dentro da parte debaixo do mesmo. Esses círculos giratórios de ar efetivamente vedam a lacuna entre o assoalho e o asfalto, evitando que o fluxo de ar que passa pela parte central do assoalho se espalhe pelos lados (ou seja, eles fazem o trabalho que as saias de vedação de nylon faziam na época do efeito-solo no final dos anos 70 e início dos anos 80).

Isso aumenta a pressão negativa do assoalho, puxando o carro com mais força para baixo. Quanto mais selado, maior a força descendente, ou seja, maior o downforce. As novas ripas de reforço de vórtices mudaram o padrão do fluxo de ar, e assim as alterações de acompanhamento foram feitas nas formas do difusor. Há também um winglet mais complexo, com vários elementos, como parte do conjunto do duto do freio traseiro.

AS - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.