Bia Figueiredo corre em Long Beach

indy-bia-carro2-615

Long Beach, cenário da terceira etapa do campeonato da Fórmula Indy, no próximo fim de semana, na Califórnia, é um circuito de rua extenso, difícil e perigoso. E é nele que Ana Beatriz Figueiredo voltará às corridas depois de fraturar um osso da mão direita na primeira etapa, em Saint Petersburg, há três semanas.

Ela não disputou na segunda etapa, no Alabama, no domingo passado, e recebeu autorização médica para voltar a acelerar o carro azul e amarelo da Ipiranga Dreyer & Reinbold Racing em sua temporada de estreia no campeonato integral a partir da próxima sexta-feira.

“Fiquei muito feliz quando fui liberada para correr em Long Beach. Sei que não vou estar 100% e talvez ainda sinta dores musculares para dirigir, mas não há riscos de piorar a recuperação da minha fratura. O osso já está praticamente calcificado. Terei um protetor de fibra de carbono na mão, que me dará suporte e segurança”, comenta a pilota.

Bia Figueiredo continua com a rotina de restabelecimento e os treinamentos físicos diários habituais: musculação, preparação cardiovascular e os dois juntos em circuitos, mas tudo sem usar a mão lesada. “A fisioterapia para a recuperação da minha mão consiste em uns dez movimentos que tenho que fazer umas oito vezes por dia. Nesta fase final estou apertando massinha e esponjas para recuperar a musculatura do antebraço. Além disso, tenho um aparelho eletrônico que acelera em 40% a calcificação do osso escafóide, o que eu quebrei”, conta a brasileira.

O circuito da prova do próximo domingo é um dos preferidos de Bia, que correu lá uma vez na Indy Lights, em 2009, e terminou na quinta posição. “Long Beach é uma pista de rua longa e difícil. São muitas curvas de 90 graus e tem um herpin de primeira marcha antes da reta principal. É uma pista física, tem bastante curvas seguidas e tem alguns bumps e desníveis que dificultam o acerto do carro. Mas é um circuito muito divertido”, ela comenta.

Inaugurado em 1975 com uma corrida da Fórmula 5000, a primeira prova de rua da cidade, e um dos mais belos do calendário, o circuito de Long Beach localiza-se à beira da Queensway Bay, é vizinho ao Shoreline Aquatic Park e à Marina Green Park. Recebeu a Fórmula 1, de 1976 a 1983, e, desde 1984, sediou corridas da CART, da Champ Car e da Indy. O GP de Long Beach é um megaevento, com muitas atrações paralelas à corrida e costuma atrair mais de 200 mil pessoas.

A pilota da Ipiranga Racing espera uma prova muito disputada. “Mas em Long Beach é dificil de ultrapassar”, observa. Por isso, a classificação é muito importante. O objetivo da brasileira que corre na categoria estreante da Indy é claro: cruzar a linha de chegada ao fim das 85 voltas de 1,968 milhas (3.168 metros) do Toyota Grand Prix of Long Beach. “Quero terminar a corrida e ganhar os pontos”, conclui Ana Beatriz Figueiredo.

Agenda – 3ª etapa Fórmula Indy, Long Beach

Sexta-feira, 15 de abril
16h00 às 16h45: Treino livre para estreantes no circuito
16h45 às 17h15: Treino livre para todos os carros
20h25 às 21h25: Treino livre

Sábado, 16 de abril
16h25 às 17h25: Treino livre
20h30 às 21h50: Classificação

Domingo, 17 de abril
15h15 às 15h45: Warm-up
19h30 às 21h30: Corrida, 85 voltas

Bia Figueiredo
Única brasileira em uma categoria top do automobilismo internacional e única brasileira a correr nas 500 Milhas de Indianápolis, Bia Figueiredo é a única mulher a vencer na Fórmula Renault, três vezes, em 2005; a primeira mulher a vencer na Indy Lights, duas vezes, em 2008 e 2009; e a única mulher a competir e vencer no Desafio das Estrelas, torneio de kart organizado por Felipe Massa, em 2010. Depois de disputar quatro corridas da Indy no ano passado, nesta temporada ela disputará todo o campeonato da categoria.

AS – www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.