Jump to content
Forum Autoracing
Filhão

Rubens Barrichello : bala de prata ou estaca no peito ?

Recommended Posts

Com Barrichello, Hero Motosport fecha ano com vitória dramática nas 500 Milhas de Kart

domingo, 17 de dezembro de 2017 às 9:22

 

Barrichello-Hero-300x199.jpg

Our Hero

 

 

O calor foi impiedoso durante as 12 horas de duração das 500 Milhas de Kart, prova de gala do kartismo brasileiro que fechou a temporada 2017 reunindo os melhores pilotos do país e vários nomes internacionais. Com temperatura superando os 30 graus e os pilotos visivelmente desgastados após uma maratona em alta velocidade de aproximadamente 800 quilômetros – equivalente a duas vezes a distância entre as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro –, a equipe Hero Motorsport cruzou a linha de chegada em primeiro com o kart pilotado naquele momento por Rubens Barrichello :shock: . Outros oito pilotos compuseram o time. A prova deste sábado teve largada às 12h30 e se encerrou depois da meia-noite, com mais de 50 karts tentando a vitória.

 

“Foi muito legal vencer essa corrida tendo meu filho na equipe, uma coisa única na vida certamente”, disse Rubens Barrichello, bastante emocionado. “Essa foi uma prova decidida na estratégia. Nós chegamos a achar que estávamos muito bem na prova, mas quando percebemos estávamos em terceiro e uma volta atrás. Mas o kart estava muito rápido e nós trabalhamos bem também. Estávamos recuperando o terreno, mas possivelmente não levaríamos essa vitória não fosse o caos que aconteceu no final”, completou Barrichello, que conquistou sua décima vitória, tornando-se agora o único piloto a subir tantas vezes no topo do pódio das 500 Milhas. :risada:

 

 

Briga e desclassificação – As voltas finais da prova tiveram momentos dramáticos da mais legítima competição, mas também contaram com um toque do imprevisível oferecido pela briga – aos socos – dos pilotos Tuka Rocha e Rodrigo Dantas. Em uma disputa de posição, já nas voltas finais, os dois se tocaram, foram parar na barreira de pneus e iniciaram uma discussão que degenerou em agressão física. Como as equipes dos dois pilotos já vinham se estranhando dentro e fora do traçado, causando inclusive batidas, a direção de prova aplicou a punição máxima prevista pelo regulamento, o que acabou resultando na desclassificação dos dois times – Sambaíba Centerbus e MDG Matrix. Esta última era também defendida pelo então líder da prova, Felipe Massa, que foi obrigado a abandonar a competição, deixando o primeiro lugar com Barrichello.

 

“Eu fiz questão de todos os pilotos subirem ao pódio por que essa molecada merece”, lembrou Rubinho, chamando a atenção para o fato de sua equipe ser formada por pilotos experientes, como ele, e outros bem jovens, como o pernambucano Kiko Porto, de 13 anos. “Eles são uma lição de como se comportar em certas situações. Às vezes você acaba lutando por uma posição na primeira hora e não vale a pena. Então, chegar ao final com o kart “vivo” mostrou que fizemos tudo certo. Agradeço a todos que estiveram conosco, aos mecânicos, à equipe, à Granja Vianna. E certamente no ano que vem estaremos aí”, prometeu o campeão de 2017.

 

A equipe Hero Motorsport contou com três karts, que foram pilotados por Barrichello, Gary Chapman (kartista norte-americano), Rafa Martins (jovem piloto brasileiro de Turismo), os kartistas Kiko Porto, Dudu Barrichello, Arthur “Tuio” Leist e João Cunha, e os pilotos de Stock Car Diego Nunes, Rafael Suzuki e Betinho Valério. Os pilotos se revezaram na pilotagem dos karts em turnos de aproximadamente uma hora. “Nós lideramos grane parte da corrida com o kart 71, não tivemos nenhum problema, não aconteceu nenhum erro dos pilotos”, resumiu Rafael Suzuki. “Então eu estou certo que fizemos muito bem a nossa parte. E temos que lembrar que ganhamos de mais de 50 karts concorrentes de alto nível. O Rubens, que foi o líder do time, leva isso aqui muito a sério, a equipe é muito unida e acho que o time mereceu ganhar”, completou

 

Liderança – Diego Nunes, no entanto, admitiu que a vitória ameaçou escapar. “Nós fomos rápidos o tempo todo e lideramos a maior parte da corrida. Mas erramos na estratégia e quase perdemos a primeira colocação”, contou o piloto da Hero Motorsport na Stock Car. “Em termos de problema técnico só tivemos uma ocorrência pequena, uma corrente que saiu do lugar. Por isso tivemos que antecipar uma parada no meio da corrida, mas isso acabou não influenciando o nosso desempenho”, ponderou.

 

Dudu Barrichello obteve sua primeira vitória na difícil 500 Milhas de Kart. Sempre de macacão e a postos, foi um dos membros mais animados da Hero Motorsport e acompanhou com interesse tudo o que se passou no box do time, especialmente os momentos das trocas de pilotos. “Fiquei muito feliz pela vitória e por ter subido lá no pódio em primeiro com o meu pai”, disse ele. “Foi bem bacana acompanhar o que aconteceu na prova. Aprendi bastante nessa corrida”, finalizou o jovem Barrichello, de 15 anos.

 

Confira o top-10 da prova após as 700 voltas da corrida:

 

1- 71 Barrichello Hero :positivo1:

2- 033 Autotrac Jaguar Racing II + 2 voltas

3- 319 Car Racing America Net + 4 voltas

4- 002 Shell Racing + 5 voltas

5- 011 CPKA + 6 voltas (melhor equipe da Thunder Light)

6- 013 Spirit Sports + 7 voltas

7- 134 Medina Motorsport + 8 voltas

8- 022 TR3 Motorsport + 8 voltas

9- 001 Shell Fittipaldi + 9 voltas

10- 018 Ygor Racing + 9 voltas

 

EB - www.autoracing.com.br

Share this post


Link to post
Share on other sites

Barrichello se veste de papai noel e visita crianças da Cracolândia, em SP

Instituto do ex-piloto de Fórmula 1 promove ações sociais na região central de São Paulo.

Por André Azeredo, SP1, São Paulo

 

 

18/12/2017 13h11 Atualizado há menos de 1 minuto

 

Cerca de 200 crianças e adolescentes que vivem na região da Cracolândia, no Centro de São Paulo, receberam na manhã desta segunda-feira a visita do ex-piloto de Fórmula 1 Rubens Barrichello vestido de papai noel. :shock:

 

Barrichello destacou o carinho que recebeu das crianças na visita. “Essa área era muito contaminada algum tempo atrás”, disse. “Todas as pessoas e instituições que estiveram conosco e fizeram dessa área muito mais limpa.”

 

Quando não estão na escola, as crianças participam de um projeto social. É uma parceria de seis anos entre a Prefeitura de São Paulo e o Instituto Família Barrichello. O foco é usar o esporte para mandar uma mensagem de paz.

rubens.jpg

 

“A maior dificuldade é a comunicação entre eles e aí a gente procura tá sempre trabalhando com a comunicação não violenta pra que essas crianças possa ter na sua vida um diálogo melhor com as pessoas”, explica a professora Regina Helena Conceição.

 

Instituto Família Barichello atende também os parentes dessas crianças uma vez por mês e dá orientação profissional para os adolescentes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Com Barrichello, Hero Motosport fecha ano com vitória dramática nas 500 Milhas de Kart

domingo, 17 de dezembro de 2017 às 9:22

 

Barrichello-Hero-300x199.jpg

Our Hero

 

 

O calor foi impiedoso durante as 12 horas de duração das 500 Milhas de Kart, prova de gala do kartismo brasileiro que fechou a temporada 2017 reunindo os melhores pilotos do país e vários nomes internacionais. Com temperatura superando os 30 graus e os pilotos visivelmente desgastados após uma maratona em alta velocidade de aproximadamente 800 quilômetros – equivalente a duas vezes a distância entre as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro –, a equipe Hero Motorsport cruzou a linha de chegada em primeiro com o kart pilotado naquele momento por Rubens Barrichello :shock: . Outros oito pilotos compuseram o time. A prova deste sábado teve largada às 12h30 e se encerrou depois da meia-noite, com mais de 50 karts tentando a vitória.

 

“Foi muito legal vencer essa corrida tendo meu filho na equipe, uma coisa única na vida certamente”, disse Rubens Barrichello, bastante emocionado. “Essa foi uma prova decidida na estratégia. Nós chegamos a achar que estávamos muito bem na prova, mas quando percebemos estávamos em terceiro e uma volta atrás. Mas o kart estava muito rápido e nós trabalhamos bem também. Estávamos recuperando o terreno, mas possivelmente não levaríamos essa vitória não fosse o caos que aconteceu no final”, completou Barrichello, que conquistou sua décima vitória, tornando-se agora o único piloto a subir tantas vezes no topo do pódio das 500 Milhas. :risada:

 

 

Briga e desclassificação – As voltas finais da prova tiveram momentos dramáticos da mais legítima competição, mas também contaram com um toque do imprevisível oferecido pela briga – aos socos – dos pilotos Tuka Rocha e Rodrigo Dantas. Em uma disputa de posição, já nas voltas finais, os dois se tocaram, foram parar na barreira de pneus e iniciaram uma discussão que degenerou em agressão física. Como as equipes dos dois pilotos já vinham se estranhando dentro e fora do traçado, causando inclusive batidas, a direção de prova aplicou a punição máxima prevista pelo regulamento, o que acabou resultando na desclassificação dos dois times – Sambaíba Centerbus e MDG Matrix. Esta última era também defendida pelo então líder da prova, Felipe Massa, que foi obrigado a abandonar a competição, deixando o primeiro lugar com Barrichello.

 

“Eu fiz questão de todos os pilotos subirem ao pódio por que essa molecada merece”, lembrou Rubinho, chamando a atenção para o fato de sua equipe ser formada por pilotos experientes, como ele, e outros bem jovens, como o pernambucano Kiko Porto, de 13 anos. “Eles são uma lição de como se comportar em certas situações. Às vezes você acaba lutando por uma posição na primeira hora e não vale a pena. Então, chegar ao final com o kart “vivo” mostrou que fizemos tudo certo. Agradeço a todos que estiveram conosco, aos mecânicos, à equipe, à Granja Vianna. E certamente no ano que vem estaremos aí”, prometeu o campeão de 2017.

 

A equipe Hero Motorsport contou com três karts, que foram pilotados por Barrichello, Gary Chapman (kartista norte-americano), Rafa Martins (jovem piloto brasileiro de Turismo), os kartistas Kiko Porto, Dudu Barrichello, Arthur “Tuio” Leist e João Cunha, e os pilotos de Stock Car Diego Nunes, Rafael Suzuki e Betinho Valério. Os pilotos se revezaram na pilotagem dos karts em turnos de aproximadamente uma hora. “Nós lideramos grane parte da corrida com o kart 71, não tivemos nenhum problema, não aconteceu nenhum erro dos pilotos”, resumiu Rafael Suzuki. “Então eu estou certo que fizemos muito bem a nossa parte. E temos que lembrar que ganhamos de mais de 50 karts concorrentes de alto nível. O Rubens, que foi o líder do time, leva isso aqui muito a sério, a equipe é muito unida e acho que o time mereceu ganhar”, completou

 

Liderança – Diego Nunes, no entanto, admitiu que a vitória ameaçou escapar. “Nós fomos rápidos o tempo todo e lideramos a maior parte da corrida. Mas erramos na estratégia e quase perdemos a primeira colocação”, contou o piloto da Hero Motorsport na Stock Car. “Em termos de problema técnico só tivemos uma ocorrência pequena, uma corrente que saiu do lugar. Por isso tivemos que antecipar uma parada no meio da corrida, mas isso acabou não influenciando o nosso desempenho”, ponderou.

 

Dudu Barrichello obteve sua primeira vitória na difícil 500 Milhas de Kart. Sempre de macacão e a postos, foi um dos membros mais animados da Hero Motorsport e acompanhou com interesse tudo o que se passou no box do time, especialmente os momentos das trocas de pilotos. “Fiquei muito feliz pela vitória e por ter subido lá no pódio em primeiro com o meu pai”, disse ele. “Foi bem bacana acompanhar o que aconteceu na prova. Aprendi bastante nessa corrida”, finalizou o jovem Barrichello, de 15 anos.

 

Confira o top-10 da prova após as 700 voltas da corrida:

 

1- 71 Barrichello Hero :positivo1:

2- 033 Autotrac Jaguar Racing II + 2 voltas

3- 319 Car Racing America Net + 4 voltas

4- 002 Shell Racing + 5 voltas

5- 011 CPKA + 6 voltas (melhor equipe da Thunder Light)

6- 013 Spirit Sports + 7 voltas

7- 134 Medina Motorsport + 8 voltas

8- 022 TR3 Motorsport + 8 voltas

9- 001 Shell Fittipaldi + 9 voltas

10- 018 Ygor Racing + 9 voltas

 

EB - www.autoracing.com.br

 

Não sei a intenção dele, mas se for pra buscar carreira internacional, tá na hora do Dudu subir pros carros. Seja F3 brasil, seja F4, Formula Renault, BMW, ADAC...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Rubinho tem microinflamação em veia da cabeça, mas tranquiliza fãs: "Estou ótimo"
Piloto da equipe Full Time da Stock Car teve problemas no último sábado, mas segue fazendo exames: "Praticamente liberado, só alguns check-ups, coisas naturais de hospital"

 

Por GloboEsporte.com,

Estado da Flórida, Estados Unidos

 

 

01/02/2018 18h47 Atualizado há 51 minutos

 

rubinho_3.jpg

 

Piloto com mais corridas disputadas na história da Fórmula 1, Rubens Barrichello, hoje na Stock Car, sofreu um susto no último sábado. Com uma microinflamação em uma veia da cabeça, ele passou mal e foi encaminhado para um hospital na Flórida, de onde já recebeu alta. O campeão de 2014 da Stock Car já está em sua casa, nos Estados Unidos, e publicou um vídeo na internet tranquilizando os fãs:

 

https://www.instagram.com/p/BeqRjwogtbg/?utm_source=ig_embed

 

- Fala galera! Muita gente preocupada, me mandando mensagem, então eu resolvi falar. No sábado, acordei, fui tomar um banho... Uma dor de cabeça enorme. Graças a Deus a Silvana estava por lá, ligou para um amigo nosso médico, logo eu estava no hospital. Tive um problema numa veiazinha :shock: , mas estou ótimo, praticamente liberado, só fazendo alguns check-ups, coisas naturais de hospital- disse.

 

Rubinho disputou 326 Grandes Prêmios na Fórmula 1 entre 1993 e 2011, venceu onze corridas e foi vice-campeão mundial em 2002 e 2004. Atualmente com 45 anos de idade, o piloto compete na Stock Car, onde está regularmente desde 2013. A primeira corrida da categoria em 2018 será no dia 10 de março, em Interlagos (São Paulo).

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Médico da F1 diz que Rubinho precisa ser avaliado para voltar às pistas
https://motor1.uol.com.br/news/233192/medico-f1-rubens-barrichello/

rubens-barrichello-no-podio-da-corrida-1
Dino Altmann, médico da Stock Car e do GP Brasil de Fórmula 1, disse em entrevista ao Motorsport.com Brasil que o piloto vai precisar de liberação de um neurologista para poder voltar a competir

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...

×
×
  • Create New...