Jump to content
Forum Autoracing
Sign in to follow this  
Maverick

.: Tributo a Nelson Piquet

Recommended Posts

se foi isso, so posso dizer:

willians: fazendo cagada na estrategia de corrida desde mil novecentos e bolinha

mas que a terra eh redonda, eh.

:risada:

:zamigos:

A tradução de "Williams" para o português é "fazendo cagada nas estratégias desde sempre".... :wallbash::wallbash::risada::risada::risada:

 

 

A Terra é chata e oca ao mesmo tempo, no centro dela existe outra civilização.... :mongol::mongol::risada1::risada1: :risada1:

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Entrevista bacana com Nelsão falando sobre sua carreira, seu lado empresarial e mostrando sua coleção de carros

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nelson Piquet vai contar as memórias da carreira em livro produzido pelo filho

AUGUST 15, 2020

 

Durante a pandemia do novo coronavírus, o tricampeão mundial de Fórmula 1 Nelson Piquet resolveu atender a um pedido que ouvia há quase dez anos do filho, o piloto Nelsinho Piquet, da Stock Car. Os dois estavam em casa, em Brasília, e se reuniram para conversar por horas e iniciar um projeto inédito nos 68 anos de vida do ex-piloto. Pela primeira vez ele permitiu que os relatos e curiosidades da carreira sejam transformadas em um livro de memórias com material colhido nas entrevistas feitas pelo próprio filho.

O intuito é concluir a série de relatos sobre a carreira do ex-piloto em 2021 para aproveitar o aniversário dos 40 anos do primeiro título mundial na Fórmula 1. O projeto também tem a participação do jornalista Luis Ferrari. Mas o próprio Nelsinho, de 35 anos, admite que o prazo pode até ser revisto, pois não pretende apressar o pai apenas para atender prazos.

A ideia de ter um livro de memórias surgiu da inquietação do filho de perceber que falta um registro oficial para deixar a carreira do tricampeão imortalizada. "Por tudo o que ele lutou, pelas dificuldades que ele passou, isso não pode ficar em branco. Meu pai era mecânico em Brasília e depois virou campeão mundial. Para ele não faz diferença ter ou não esse livro, mas eu não quero deixar isso esquecido. Quando ele não estiver mais com a gente, é preciso que a história dele fique marcada", disse Nelsinho ao Estadão.

Segundo o filho do tricampeão, o livro pode até mesmo possibilitar no futuro que o material renda um documentário e possa ajudar a trajetória de Piquet ser mais conhecida pelos mais jovens. "Meu pai se afastou da mídia e as gerações novas não sabem quem ele foi. Um dos grandes motivos que faz o nome do Senna ser lembrado é o trabalho de marketing. Uma criança de dez anos sabe quem ele foi. Obviamente, não esse o meu objetivo (com o livro), mas no mínimo quero deixar registrado o que o meu pai fez e conquistou", afirmou Nelsinho.

 

Segundo o filho do tricampeão, o livro pode até mesmo possibilitar no futuro que o material renda um documentário e possa ajudar a trajetória de Piquet ser mais conhecida pelos mais jovens. "Meu pai se afastou da mídia e as gerações novas não sabem quem ele foi. Um dos grandes motivos que faz o nome do Senna ser lembrado é o trabalho de marketing. Uma criança de dez anos sabe quem ele foi. Obviamente, não esse o meu objetivo (com o livro), mas no mínimo quero deixar registrado o que o meu pai fez e conquistou", afirmou Nelsinho.

Até agora pai e filho já gravaram cinco horas de entrevistas. A primeira delas foi em março. O material rendeu cerca de 20 capítulos, divididos por assunto e fora de ordem cronológica. O foco será totalmente à carreira de Piquet e em explorar detalhes diferentes de passagens como a chegada à Fórmula 1, a convivência com Ayrton Senna, os três títulos mundiais e as dificuldades na carreira.

Nelsinho conta ter levado anos para convencer o pai a aceitar o projeto. "Ele percebeu que deixar a trajetória apagada é o mesmo que abandonar uma empresa. Os feitos dele ninguém apaga, mas tem muita história que muita gente não sabe", contou ele.

O desafio na produção tem sido buscar detalhes inéditos mesmo de histórias já conhecidas. Uma delas se passa em 1984, quando, já bicampeão mundial, Piquet pensou em parar de correr por estar cansado da rotina de viagens e dos pernoites em aeroportos à espera de voos. Quem lhe deu a sugestão salvadora foi o piloto austríaco Niki Lauda: "Nelson, por que não você compra um avião?", questionou. O brasileiro jamais tinha pensado nessa possibilidade, comprou uma aeronave e manteve a carreira rumo a mais um título, em 1987.

O Estadão recebeu um dos principais trechos do livro (leia abaixo). Nele, Piquet relembra uma passagem no fim de 1983, quando ele e Senna testaram na França o mesmo carro, uma Brabham. Então campeão do mundo com aquele mesmo modelo, Piquet se esforçou em marcar um tempo melhor que o do compatriota, que naquela época apenas um novato em busca da primeira chance na Fórmula 1 e com a fama de superar nos testes o desempenho dos pilotos titulares.

"Quando o Senna andou no mesmo carro do que eu, virei dois segundos mais rápido do que ele, 1s9. O dia que ele foi lá, que era o ‘bam-bam-bam’, que virava mais rápido que a McLaren.... Acabei com ele por tudo, em Paul Ricard", narra Piquet no trecho. "Olha o 'nabo' que ele tomou", acrescenta o tricampeão, com a habitual irreverência.

Para ter mais detalhes, Nelsinho pretende entrevistar outras pessoas que acompanharam a carreira do pai. Um dos procurados será Bernie Ecclestone, ex-chefe da Fórmula 1 e antigo dono da Brabham, escuderia pela qual o ex-piloto venceu duas temporadas. Mecânicos e amigos de longa data também vão ser ouvidos. Fora as entrevistas, o momento também tem sido de procurar editoras interessadas e planejar até mesmo o lançamento da obra em outros idiomas.

https://esportes.estadao.com.br/noticias/velocidade,nelson-piquet-vai-contar-as-memorias-da-carreira-em-livro-produzido-pelo-filho,70003400854

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 minutes ago, Irado said:

Nelson Piquet vai contar as memórias da carreira em livro produzido pelo filho

AUGUST 15, 2020

 

Durante a pandemia do novo coronavírus, o tricampeão mundial de Fórmula 1 Nelson Piquet resolveu atender a um pedido que ouvia há quase dez anos do filho, o piloto Nelsinho Piquet, da Stock Car. Os dois estavam em casa, em Brasília, e se reuniram para conversar por horas e iniciar um projeto inédito nos 68 anos de vida do ex-piloto. Pela primeira vez ele permitiu que os relatos e curiosidades da carreira sejam transformadas em um livro de memórias com material colhido nas entrevistas feitas pelo próprio filho.

O intuito é concluir a série de relatos sobre a carreira do ex-piloto em 2021 para aproveitar o aniversário dos 40 anos do primeiro título mundial na Fórmula 1. O projeto também tem a participação do jornalista Luis Ferrari. Mas o próprio Nelsinho, de 35 anos, admite que o prazo pode até ser revisto, pois não pretende apressar o pai apenas para atender prazos.

A ideia de ter um livro de memórias surgiu da inquietação do filho de perceber que falta um registro oficial para deixar a carreira do tricampeão imortalizada. "Por tudo o que ele lutou, pelas dificuldades que ele passou, isso não pode ficar em branco. Meu pai era mecânico em Brasília e depois virou campeão mundial. Para ele não faz diferença ter ou não esse livro, mas eu não quero deixar isso esquecido. Quando ele não estiver mais com a gente, é preciso que a história dele fique marcada", disse Nelsinho ao Estadão.

Segundo o filho do tricampeão, o livro pode até mesmo possibilitar no futuro que o material renda um documentário e possa ajudar a trajetória de Piquet ser mais conhecida pelos mais jovens. "Meu pai se afastou da mídia e as gerações novas não sabem quem ele foi. Um dos grandes motivos que faz o nome do Senna ser lembrado é o trabalho de marketing. Uma criança de dez anos sabe quem ele foi. Obviamente, não esse o meu objetivo (com o livro), mas no mínimo quero deixar registrado o que o meu pai fez e conquistou", afirmou Nelsinho.

 

Segundo o filho do tricampeão, o livro pode até mesmo possibilitar no futuro que o material renda um documentário e possa ajudar a trajetória de Piquet ser mais conhecida pelos mais jovens. "Meu pai se afastou da mídia e as gerações novas não sabem quem ele foi. Um dos grandes motivos que faz o nome do Senna ser lembrado é o trabalho de marketing. Uma criança de dez anos sabe quem ele foi. Obviamente, não esse o meu objetivo (com o livro), mas no mínimo quero deixar registrado o que o meu pai fez e conquistou", afirmou Nelsinho.

Até agora pai e filho já gravaram cinco horas de entrevistas. A primeira delas foi em março. O material rendeu cerca de 20 capítulos, divididos por assunto e fora de ordem cronológica. O foco será totalmente à carreira de Piquet e em explorar detalhes diferentes de passagens como a chegada à Fórmula 1, a convivência com Ayrton Senna, os três títulos mundiais e as dificuldades na carreira.

Nelsinho conta ter levado anos para convencer o pai a aceitar o projeto. "Ele percebeu que deixar a trajetória apagada é o mesmo que abandonar uma empresa. Os feitos dele ninguém apaga, mas tem muita história que muita gente não sabe", contou ele.

O desafio na produção tem sido buscar detalhes inéditos mesmo de histórias já conhecidas. Uma delas se passa em 1984, quando, já bicampeão mundial, Piquet pensou em parar de correr por estar cansado da rotina de viagens e dos pernoites em aeroportos à espera de voos. Quem lhe deu a sugestão salvadora foi o piloto austríaco Niki Lauda: "Nelson, por que não você compra um avião?", questionou. O brasileiro jamais tinha pensado nessa possibilidade, comprou uma aeronave e manteve a carreira rumo a mais um título, em 1987.

O Estadão recebeu um dos principais trechos do livro (leia abaixo). Nele, Piquet relembra uma passagem no fim de 1983, quando ele e Senna testaram na França o mesmo carro, uma Brabham. Então campeão do mundo com aquele mesmo modelo, Piquet se esforçou em marcar um tempo melhor que o do compatriota, que naquela época apenas um novato em busca da primeira chance na Fórmula 1 e com a fama de superar nos testes o desempenho dos pilotos titulares.

"Quando o Senna andou no mesmo carro do que eu, virei dois segundos mais rápido do que ele, 1s9. O dia que ele foi lá, que era o ‘bam-bam-bam’, que virava mais rápido que a McLaren.... Acabei com ele por tudo, em Paul Ricard", narra Piquet no trecho. "Olha o 'nabo' que ele tomou", acrescenta o tricampeão, com a habitual irreverência.

Para ter mais detalhes, Nelsinho pretende entrevistar outras pessoas que acompanharam a carreira do pai. Um dos procurados será Bernie Ecclestone, ex-chefe da Fórmula 1 e antigo dono da Brabham, escuderia pela qual o ex-piloto venceu duas temporadas. Mecânicos e amigos de longa data também vão ser ouvidos. Fora as entrevistas, o momento também tem sido de procurar editoras interessadas e planejar até mesmo o lançamento da obra em outros idiomas.

https://esportes.estadao.com.br/noticias/velocidade,nelson-piquet-vai-contar-as-memorias-da-carreira-em-livro-produzido-pelo-filho,70003400854

Pode ser interessante isso ai. Parece ser compra certa!

Agora nao sei se eh por escolha dos jornalistas, mas frequentemente vejo materias sobre o Piquet e acaba tendo um recalque em relacao ao Senna.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Pr1meiro Stint, canal do Tiago Mendonça, desencavou aonde está a modelo que ficou nua ao lado do F3 de Piquet numa prova de F3 lá em Brasília

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

EU SOU DE 1984 , Depois da morte do Senna em 1994 a frustração era tão grande que passei a rever todos os vts possíveis que meu pai tinha em VHS , e com tempo praticamente revi todas as corridas da F1 DE 1984 pra frente . Dos títulos do Nelsao de 81 e 83 tinha revisto só as corridas decisivas Las Vegas 81 , Monza ,Europa e África 1983 .

No começo da Pandemia aproveitei e vi as temporadas completas 81,82 e 83 , Nelsão era um monstro cada corrida sensacional que ele fez que eu não conhecia, as vezes que nem ganhava mais arranca um pódio no final das corridas porque poupou melhor o pneu que os outros   , Prost só não brigou pelos títulos de 81 e 82 pelas quebras da Renault .

Interessante uma corrida de 81 na Holanda , um pega da porra do Jones e do Piquet nas ultimas voltas , cheio dos retardatários no meio , a vem  Andretti dá uma puta panca , e a corrida segue , pau comendo e carro de passeio andando na pista para ir socorrer o Andretti , uma hora Jones e o Piquet passam por um carro de passeios desses que estava indo atende Andretti andando no meio da pista com a corrida rolando .Negocio inimaginável hoje.

Pena ter pouco material do inicio da década de 70 e 60 , alguma coisa tem mais pouco , pelo menos que achei .

Share this post


Link to post
Share on other sites
18 minutes ago, alexandre dela plata said:

EU SOU DE 1984 , Depois da morte do Senna em 1994 a frustração era tão grande que passei a rever todos os vts possíveis que meu pai tinha em VHS , e com tempo praticamente revi todas as corridas da F1 DE 1984 pra frente . Dos títulos do Nelsao de 81 e 83 tinha revisto só as corridas decisivas Las Vegas 81 , Monza ,Europa e África 1983 .

No começo da Pandemia aproveitei e vi as temporadas completas 81,82 e 83 , Nelsão era um monstro cada corrida sensacional que ele fez que eu não conhecia, as vezes que nem ganhava mais arranca um pódio no final das corridas porque poupou melhor o pneu que os outros   , Prost só não brigou pelos títulos de 81 e 82 pelas quebras da Renault .

Interessante uma corrida de 81 na Holanda , um pega da porra do Jones e do Piquet nas ultimas voltas , cheio dos retardatários no meio , a vem  Andretti dá uma puta panca , e a corrida segue , pau comendo e carro de passeio andando na pista para ir socorrer o Andretti , uma hora Jones e o Piquet passam por um carro de passeios desses que estava indo atende Andretti andando no meio da pista com a corrida rolando .Negocio inimaginável hoje.

Pena ter pouco material do inicio da década de 70 e 60 , alguma coisa tem mais pouco , pelo menos que achei .

Isso ai. Nao da pra ficar so analisando numeros em planilha. Assistindo aos GPs e tendo nocao do que acontecia na epoca eh possivel ter um entendimento muito melhor.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...