WTCC sensacional em Curitiba. Por Daniel Böhler – 04/03/2008

Vai começar o WTCC 2008

O céu estava limpo mais uma vez em Curitiba, sol forte e muito calor marcavam presença no Autódromo Internacional. Arquibancada lotada, carros sensacionais na pista, beldades nos pits, clima tenso nos boxes e festivo no público. O que poderia ser melhor para quem aprecia automobilismo de primeiríssima qualidade? As 9:00 horas os carros do WTCC entraram na pista para realizar o Warm Up, as BMWs dominaram a sessão ocupando os três primeiros lugares com o brasileiro Augusto Farfus Jr., Jorg Müller e Andy Priaulx, respectivamente. Farfus Jr. mais uma vez pulverizou o recorde da pista e na melhor de suas passagens registrou o tempo de 1:24:237. O primeiro Seat a figurar nos tempos foi o do sueco Rickard Rydell com o tempo de 1:24:713. Robert Huff com seu Chevrolet Lacetti cravou 1:24:947 na melhor de suas voltas e completou o top5.

Seats dominam largada

Tudo parecia estar a favor da equipe BMW com os carros da equipe alemã demonstrando sempre mais velocidade durante o fim de semana. No entanto, já na primeira corrida, os Seats dispararam na frente logo na largada deixando para trás o curitibano que na primeira passagem estava na 5ª posição. Era visível a superioridade dos Seats nas retomadas e retas sendo notável também a supremacia das BMWs na parte mais travada da pista. Na volta 3 Farfus ultrapassa Jorg Müller e juntos vão ao encalço de Gabriele Tarquini. Passadas 5 voltas eles chegam no italiano, Farfus sai mais forte da curva do pinheirinho e posiciona o seu carro ao lado de Tarquini com preferência para a primeira tomada do S de alta e consegue a ultrapassagem, Müller mergulha para cima do carro número 11 logo após, na curva da vitória, que antecede a longa reta de Curitiba, e também foi feliz na manobra.

Farfus lidera BMWs

Nas passagens seguintes os pilotos da BMW tiraram a diferença para o sueco Rickard Rydell e Farfus se aproximava muito nas curvas de baixa velocidade, chegou a esboçar alguma tentativa de ultrapassagem novamente na curva do pinheirinho, mas não ameaçou o sueco. Na última volta o brasileiro foi muito pressionado pelo companheiro de equipe, que chegou a colocar o carro lado a lado, mas Farfus não aliviou e fez o S de alta por fora, numa manobra muito bonita e Jorg Müller teve que se contentar com o 4º lugar. Andy Priaulx chegou em 5º lugar e foi o que marcou a melhor volta da corrida na 10ª passagem com 1:25:100. O francês Yvan Muller sagrou-se vencedor da primeira etapa com a velocidade média de 149.14 Km/h. Os pilotos da Chevrolet mais uma vez não contaram com a sorte em Curitiba, como no ano passado, na primeira corrida nenhum deles conseguiu completar.

Farfus persegue Seats

Na segunda bateria Farfus largou em 6º, devido a regra de grid invertido da WTCC, na qual o primeiro colocado da primeira bateria larga em 8º na segunda e assim sucessivamente. O brasileiro não conseguiu fazer muita coisa e manteve a 6ª colocação no final. Andy Priaulx pressionou Tarquini, mas este não cedeu e confirmou a vitória no dia do seu aniversário. O italiano comemorou muito a sua conquista. A equipe Seat também estava eufórica com a primeira colocação do seu piloto e os mecânicos vibraram com a chegada dele nos boxes. Felix Porteiro, Jorg Müller e Yvan Muller completaram os 5 primeiros.

Seats dominam as retas

A impressão que tive anteriormente sobre os Seats e BMWs estava equivocada. Os turbodiesel da Seat são bem superiores aos carros alemães nas retas. A diferença podia ser verificada no olho. As BMWs chegavam coladas nos carros espanhóis na curva do pinheirinho e até esboçavam alguma tentativa de ultrapassagem na pequena reta que antecede o S de alta. Mas na reaceleração eles disparavam na frente, obstando o avanço da equipe germânica. A Seat com certeza está na frente no quesito velocidade enquanto a BMW está melhor nos setores que necessitam de maior estabilidade e aderência. A Chevrolet foi muito consistente nos treinos e classificação, sempre com bons tempos, só necessita de um pouco mais de sorte. Enfim, a Seat está na frente tanto no campeonato de construtores quanto de pilotos seguidos de perto pela BMW. A competição está só começando e com certeza essas duas equipes brigarão muito até a última corrida, cada uma com suas peculiaridades tentando superar a concorrente a cada prova.

Yvan Muller vence primeira bateria

Daniel Böhler, de Curitiba especial para o Autoracing

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.