Villeneuve: F1 não é mais “extrema” como já foi

Jacques Villeneuve

Campeão mundial de 1997, Jacques Villeneuve não é um grande fã da F1 de hoje. O canadense atualmente é comentarista de televisão.

“A F1 deixou de ser extrema”, disse Villeneuve ao site russo f1news.ru. “Motor que dura apenas uma corrida (é extremo), sabe? Pneus se desgastando rapidamente porque eles são muito rápidos, e não porque não são fortes o suficiente”.

“Às vezes, agora, um carro de F1 na corrida é mais lento do que um carro da GP2 na fase de classificação – o que é absolutamente errado. A forma como se desenvolveu a F1, para mim, está no caminho errado, e a situação está ficando cada vez pior. No próximo ano, os pilotos vão usar apenas cinco motores para toda a temporada – no meu ponto de vista, está se tornando mais parecido com corridas de resistência”, finalizou ele.

Há uma sensação no paddock de que a decisão de Mark Webber de deixar a F1 e se juntar à Porsche no Campeonato Mundial de Endurance ocorreu devido a um pensamento parecido com o de Villeneuve. Alex Wurz, outro ex-piloto de F1 que atualmente lidera o projeto do carro da Toyota no WEC, acha que a briga com Sebastian Vettel na Red Bull também contribuiu.

“Mark ainda está com fome e eu acho que ele quer ir para um lugar onde o foco maior está nas corridas”, afirmou Wurz à TV alemã Sky. “O campeonato de endurance é simples, todos os pilotos são pagos para pilotar, a corrida é o foco, há muito menos política do que na F1. Estou convencido de que Webber já viveu o suficiente de política, o que eu posso entender, porque eu senti o mesmo quando terminei a minha carreira na F1. Eu não tenho dúvida de que ele vai ter muita diversão no WEC”.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.