Um bom domingo

Bruno Aleixo na Corrida do Milhão 2019

Por: Bruno Aleixo

Abro esta coluna, a primeira de muitas, todas as segundas feiras (agradecendo ao Adauto, pelo espaço e confiança), fazendo uma vergonhosa confissão: estive de corpo presente em apenas duas provas da Stock Car. Sim, como jornalista que milita no automobilismo, é uma grande lacuna. Em minha defesa, escrevo que morei em Belo Horizonte a vida toda e lá não tem autódromo. E gastar uma grana para viajar e ver uma corrida, só se for Fórmula 1, é o que eu pensava. Mas começo a mudar de ideia.

Morando em São Paulo há dois anos, estive em Interlagos no início de 2018, para ver a corrida de duplas que marcou o começo daquela temporada, e no último domingo, para assistir à Corrida do Milhão, evento que a Stock Car tratou de transformar em sua “Indianápolis” particular. Nas duas oportunidades, a impressão foi a mesma: o produto Stock Car é generoso com quem vai ao autódromo, tirando pequenos problemas aqui e ali.

O domingo da Corrida do Milhão, no autódromo, foi bastante agradável. As arquibancadas estavam cheias (bem mais que na corrida de duplas de 2018 embora, naquela ocasião, uma tempestade tenha castigado Interlagos, é bom que se diga), havia atrações para todos os gostos. Carros expostos, corridas de Stock Light e Old Stock, visitação aos boxes com ampla participação dos pilotos, entre outros atrativos. Aliás, para quem gosta de verdade, recomendo comprar a credencial que dá acesso ao Paddock: a Stock mantem uma garagem com carros que já foram usados até recentemente e que ficam abertos! É a chance de um simples mortal ter a sensação de sentar em um carro de corrida.

O que falta, então, para que a Stock ganhe a repercussão necessária e consiga retomar o interesse do brasileiro por corridas de automóvel? De cara, mais divulgação. Ao longo da semana, não houve quase nada na cidade de São Paulo que lembrasse que haveria uma corrida em Interlagos naquele final de semana. Um pecado em uma cidade que sempre é bastante movimentada, mas que, neste final de semana, com exceção dos shows de Sandy & Júnior, nada de especial tinha a oferecer. Quem sabe quantas pessoas poderiam se interessar por se dirigir a Interlagos para passar uma boa manhã de domingo, caso soubessem que lá haveria uma corrida?

O outro ponto é algo que quero discutir na edição do Loucos por Automobilismo desta semana, com meus amigos Fábio Campos (@camposfb) e o graaaaaaaande Adauto Silva (@adautoracing): como principal categoria do automobilismo, a Stock precisa urgentemente de um conselho de notáveis que se ponha a estudar alternativas a este “Botão de Ultrapassagem”. Sim, eu sei que se trata de uma categoria monomarcas e, confesso, não sei qual é a melhor solução para possibilitar mais ultrapassagens na pista. Mas a que existe hoje, certamente está longe de ser de boa qualidade.

O “Botão de Ultrapassagem” incomoda na TV, mas na arquibancada ele é ainda pior. Em alguns momentos, sequer é possível saber que houve uma ultrapassagem, tal a diferença de velocidade proporcionada pelo equipamento. No fim, as pouquíssimas ultrapassagens realizadas na freada do S do Senna, sem a ajuda do dispositivo, foram as que levantaram as arquibancadas. Isso sem contar que a Old Stock, que não conta com “Botão de Ultrapassagem” e proporcionou um maravilhoso festival de pneus fritando e carros freando lado a lado na entrada da famosa primeira curva de Interlagos.

Em resumo, a Stock Car tem potencial para retomar o interesse do público brasileiro por corridas, já que o espetáculo está pronto nas suas mãos. Alguns ajustes aqui e ali e já teremos uma Nascar para chamar de nossa.

P.S.: como disse no início, este espaço me foi cedido pelo Adauto Silva que, na pura confiança, vai deixar eu escrever minhas bobagens aqui toda segunda feira. Espero que vocês gostem!
P.S 2: vamos continuar o papo? Então deixe seu comentário aí embaixo e me siga no Twitter: @brunoaleixo80.

Bruno Aleixo

AS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.