Stroll: 2018 difícil faz parte de “relação de amor e ódio” com a F1

Lance Stroll

Lance Stroll acredita que a difícil temporada que ele está enfrentando com a Williams faz parte de uma “relação de amor e ódio” com a Fórmula 1.

Stroll marcou um pódio e se classificou na primeira fila durante sua temporada de estreia na F1, com a Williams em 2017, mas as lutas da equipe em 2018 o levaram a resultados muito mais baixos.

Ele marcou pontos uma vez, terminando em oitavo no Azerbaijão, e teve dificuldade em sair da primeira parte das classificações, já que a equipe continuou lutando com seu FW41 de baixo desempenho.

Stroll ainda sente o burburinho de estar na F1 “o tempo todo”, apesar de ter ficado restrito a “pequenos momentos de glória” este ano. “Este esporte é um relacionamento de amor e ódio e você tem que ter orgulho nos tempos difíceis”, disse Stroll.

“Você tem que refletir sobre o passado e saber que houve bons momentos e (acreditar que há) bons tempos pela frente. Você tem que andar na montanha-russa. Assim é a F1″, comparou o canadense.

“Você sempre tem que manter o moral alto, manter-se positivo e desconectar-se da pista quando puder e chegar ao trabalho motivado e pronto, independentemente de qual seja a situação. Esse esporte muda o tempo todo e é só estar lá e esperar que seu momento brilhe”, comentou.

Stroll adaptou seus alvos durante a temporada difícil e disse que aqueles que sabem como funciona a F1 saberão que “o 12º ou 13º lugar na Williams é um bom resultado”. “É claro que os resultados não são os que queremos, mas ganhar pontos em Baku foi bom”, afirmou ele.

“As poucas vezes em que estive no Q2 foram boas, você tem que tirar tudo e como piloto é satisfatório. Sinto que dei um bom passo no inverno e estou muito mais adaptado ao carro do que no ano passado”, explicou.

A Williams tem pressionado para melhorar seu carro durante toda a temporada e trouxe várias melhorias antes das férias de verão, incluindo novas asas dianteiras e traseiras, para estabilizar seu equilíbrio.

Stroll disse que tem sido difícil avaliar o progresso da equipe neste ano, depois de ter obtido resultados positivos e negativos desde então, mas acredita que pode atingir melhoras durante o resto da temporada.

“Muitas vezes vemos alguma esperança depois de um bom fim de semana e depois no fim de semana seguinte (é mais difícil)”, lembrou ele. Como na Áustria, por exemplo, entrei no Q2 e estávamos muito mais perto e mesmo na frente de alguns dos concorrentes”.

“Então o fim de semana seguinte em Silverstone nós tivemos um problema que desapontou todo o mundo. Ainda é difícil chegar a uma conclusão sobre onde estamos com o desenvolvimento e onde estamos comparados com os outros”, declarou.

“O objetivo agora é continuar tendo alguns finais de semana consistentes com o objetivo de estar mais perto do grid. Então podemos chegar a uma conclusão de que estamos indo na direção certa”, concluiu Stroll.

Quer concorrer a uma réplica do capacete do Ayrton Senna? Clique AQUI e palpite sobre quem vai vencer o GP da Áustria da MotoGP!

EB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.