Stock Car – Expectativas para a rodada de Velo Città 2019

Atila Abreu

Allam Khodair: É muito bom poder voltar a uma pista onde já temos uma base de acerto bastante competitiva, ainda mais porque sofremos com muitos altos e baixos este ano. Nosso carro apresentou alguns problemas de potência de motor na etapa de Cascavel que foram corrigidos e por isso estou confiante de que podermos brigar pelo pódio.

Átila Abreu: O Velo Città é sempre uma das pistas que eu gosto bastante desde que entrou no calendário da Stock Car. Infelizmente perdi a primeira prova deste ano lá por causa do acidente do começo do ano, mas estou feliz de ter a oportunidade de correr lá. Estou animado pela vitória de Cascavel e espero repetir isso, desde uma boa tomada de tempo, brigando pela pole, pelo Q3, e, com isso, brigar pela vitória, o que é a meta. O fato de ser um fim de semana curto será interessante, não haverá muito tempo para desenvolver o acerto. É fundamental o trabalho da equipe, chegar bem da oficina. É preciso uma equipe em sintonia, afinada, e quem tem isso leva vantagem. Temos de trabalhar para já sair com o carro bem acertado, porque serão dois treinos e já a tomada. É preciso um entrosamento meu com a equipe para acertar o carro, numa pista como o Velo Città, a posição de largada é muito importante.

Bia Figueiredo: É uma pista desafiadora, porque é uma das que mais tem curvas. É uma reta muito pequena, então ela é bem física. Já andamos muito bem lá, tivemos a chance de ter uma das melhores classificações, mas tivemos problemas que nos atrapalharam. Retorno com mais vontade ainda de melhores resultados. Vamos buscar largar mais à frente.

Cacá Bueno: A Cimed Racing tem um histórico muito bom para o Velo Città, sempre andamos bem desde que a Stock começou a correr nessa pista em 2017. Subi no pódio nessa pista nas três temporadas e agora estamos mais rápidos em classificação, então temos grandes chances de entrar novamente no Q3 igual fizemos em Cascavel para pontuar bem nas provas da rodada dupla.

Cesar Ramos: Gosto muito do traçado do Vello Cittá e, coincidência ou não, foi a última etapa desta temporada onde realmente fomos competitivos. Voltar para lá neste momento é muito positivo, porque acredito que poderemos retomar a busca pelas primeiras posições.

Felipe Fraga: A equipe vem crescendo no momento decisivo da temporada e as duas vitórias que conseguimos nas últimas etapas nos trouxeram de volta na briga pelo título. Eu venci no Velo Città nos últimos dois anos, é uma pista que eu gosto bastante, então vamos com tudo para seguir aproximando dos líderes.

Gabriel Casagrande: Gosto muito do Velo Città por ser uma pista sem retas longas, muito parecida com um kartódromo, sendo assim bem desafiante e exigente: o piloto cansa bastante nesta pista. O meu retrospecto é muito bom e vamos trabalhar bastante para manter esses bons números. Estou animado, como sempre, para mais essa. Nosso carro teve uma boa melhora do meio do ano para cá e já brigamos nas primeiras posições na etapa do início do ano no Velo Città, então tenho um bom pressentimento para esse final de semana. O objetivo agora passa a ser marcar o maior número de pontos para chegar na última etapa com chances matemáticas de título, mesmo que improvável. A vitória é consequência disso, já provei que a velocidade e ritmo nós temos o ano todo.

Galid Osman: Estamos trabalhando para recuperar a velocidade que tínhamos no começo do ano, e estou bem animado. As últimas três corridas foram mais difíceis, sobretudo a última, então a meta é voltar a andar na frente para tentar voltar para o top10 do campeonato.

Gaetano di Mauro: Estou bem animado em correr perto de casa. O Velo Città é uma pista na qual andamos bem no começo do ano, classificamos bem, e tudo isso dá uma força a mais para nós termos um bom fim de semana, animado. É trabalhar nos erros da última etapa para termos um bom fim de semana.

Julio Campos: O final de semana será para recuperar pontos e se manter entre os primeiros. Temos que voltar a acertar na tomada de tempo. Temos um carro rápido e o objetivo é largar entre os cinco primeiros para seguirmos na luta pelo título.

Lucas Foresti: Na pista tivemos bons resultados nas duas últimas etapas, mas tivemos também que lutar muito por uma recuperação. O mais importante, tanto para mim quanto para a equipe, é que estamos em evolução a cada corrida. No Velo Città vamos tentar largar mais a frente, para não precisarmos recuperar tantas posições na corrida.

Marcel Coletta: A expectativa é bem boa por já ter andado lá no Velo Città. Ao contrário de Cascavel, onde conquistei um top-10 sem nunca ter andado na pista, no Velo Città eu andei algumas vezes e em carros diferentes: Porsche, Stock Light e Stock Car. Chegar aos 18 anos é especial para mim, mas confesso que a idade não muda na hora de fazer o meu melhor dentro do carro.

Nelson Piquet Jr: Na primeira etapa deste ano, no Velo Città, tivemos algumas dificuldades. Foram duas provas com várias confusões e não conseguimos pontuar bem. Mas o carro estava bom e fizemos até a melhor volta da corrida 2. Espero que possamos contar com um bom carro novamente na classificação, já que na última etapa em Cascavel ficamos bem próximo do Q3 e largamos em oitavo. Infelizmente, nas corridas, eu não pude contar com o push-to-pass e isso atrapalhou muito. Mas largando lá na frente as chances são sempre maiores. Estamos chegando na reta final da temporada e vamos trabalhar muito para marcar bons pontos nestas últimas corridas.

Rafael Suzuki: O grande desafio é tentar manter o padrão de resultado que tivemos em Cascavel. É uma pista difícil, travada, que exige muito de um carro equilibrado em todos os sentidos. Tivemos alguns contratempos na visita anterior, bati, tivemos um bom potencial na classificação e nem tanto na corrida. Muita coisa se fez no carro da primeira vez que corremos lá e agora. É construir uma boa base e explorar as possibilidades numa pista difícil.

Ricardo Zonta: O Velo Città é uma etapa com programação mais curta, então é crucial chegarmos com um bom setup já no primeiro treino, pois temos pouco intervalo até a classificação. É uma pista, onde sempre estamos bem competitivos e temos uma base muito boa de trabalho para esse circuito. Então, confio em um ótimo final de semana. Na nossa última etapa lá no início da temporada larguei entre os seis primeiros e venci a corrida 2, somando 38 pontos na etapa. É uma etapa também com características bem importantes para pouparmos equipamento, pois o calor é sempre intenso e o traçado é bem definido com subidas, descidas, bem técnico.

Rubens Barrichello: Vai ser uma etapa muito importante, pois estamos chegando ao final do campeonato. Velo Città é um circuito que eu adoro. Além disso, aprendemos alguns parâmetros importantes na última prova e eu espero poder passar isso pra pista. Vamos ver se conseguimos ter um fim de semana bem competitivo, para nos mantermos cada vez mais próximo da liderança.

Valdeno Brito: Volto para Mogi com perfeitas condições de fazer duas boas corridas com objetivo de pódio.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.