Stock Car – Expectativas dos pilotos – Campo Grande 2019

Atila Abreu

Allam Khodair: Tivemos um bom início de ano, mas perdemos um pouco o caminho nas últimas corridas e as duas últimas etapas, onde fui vítima de dois acidentes que terminaram por me tirar da corrida, atrapalharam bastante nossos planos e pontuação. Por outro lado, estamos com uma boa condição de pneus para esta prova e, se soubermos tirar proveito disso, vamos nos dar bem e voltar a brigar pelo pódio.

Átila Abreu: Meu foco principal é ter uma boa classificação, até para conseguir largar no pelotão da frente e ter um bom ritmo para conseguir bons pontos. É uma etapa para pontuar bem e subir na tabela. É uma pista que tem um desgaste de pneu alto, mas tem muitos pontos de ultrapassagem, gosto bastante. Foi lá que conquistei meu primeiro pódio na Stock Car. Tivemos um bom resultado lá no ano passado e espero crescer na tabela e chegar aos dez primeiros mesmo tendo ficado fora de duas etapas.Cesar Ramos: Nossos resultados este ano estão um pouco abaixo do nosso potencial. Mas Campo Grande é uma pista que nos demos muito bem no ano passado e que gosto bastante. Então estou confiante de que poderemos dar a volta por cima nesta prova, porque já passou da hora de voltarmos a mostrar nossa força.

Cacá Bueno: Meu melhor resultado em um final de semana de 2018 foi em Campo Grande, quando consegui um quarto lugar na prova 1 e uma vitória na corrida 2, sendo o maior pontuador. Isso me motiva bastante para essa etapa. Quando andamos nesse tipo de asfalto abrasivo, nosso ritmo de corrida tem sido muito forte e consistente, conseguindo preservar bem os pneus. Vamos trabalhar forte para conseguirmos repetir o bom desempenho de 2018 aqui e focar especialmente na melhora em classificações.

Diego Nunes: Na última etapa, em Santa Cruz do Sul, não fomos muito bem. A equipe se empenhou bastante, os engenheiros estudaram muito os dados de lá. Estamos com várias modificações no carro e tenho certeza que voltaremos a ser competitivos.

Felipe Fraga: Nosso maior objetivo é conquistar o máximo de pontos possíveis para se aproximar dos cinco primeiros colocados do campeonato. O nosso histórico em Campo Grande é muito bom, gosto bastante da pista e as vitórias que conquistei aqui foram muito marcantes na minha carreira. Espero poder repetir isso no final de semana.

Gaetano di Mauro: Campo Grande é uma pista de muita precisão. Vai ser mais um fim de semana curto de apenas dois dias, no qual tudo acaba acontecendo muito rapidamente, mas vamos encontrar diferentes momentos de pista a cada saída pelo fato de não ser uma pista muito usada, mas com certeza é um desafio legal para nós pilotos. Estou animado para a corrida.

Galid Osman: É uma das poucas pistas em que nunca tive pódios na Stock Car, mas estou vindo de uma fase muito boa, na qual somei muitos pontos nas últimas seis corridas. Quero aproveitar essa fase para manter uma linha crescente e subir no campeonato. Estamos em nono, dentro da nossa meta, e agora é manter ou até mesmo crescer.

Gabriel Casagrande: Em Campo Grande estaremos bem competitivos. O carro da equipe mostrou que é muito bom nessa pista, tanto é que o Cacá (Bueno) e o Felipe (Fraga) ganharam as duas corridas na temporada passada. Com certeza estamos em uma evolução. O carro em Santa Cruz do Sul mostrou que é muito estável e confiável, tendo ritmo bom até com pneus usados. Com pneus novos também foi muito bom, então eu estou bem contente com a evolução do nosso time e estamos no caminho certo. Tivemos alguns problemas nas duas últimas provas, mas nossa hora está chegando e acho que nossa virada será em Campo Grande, então vamos com tudo.

Julio Campos: Campo Grande tem um traçado muito bacana, a cidade também é muito legal, e o clima geralmente ajuda bastante a ter público no autódromo. A pista está com muito problema de asfalto. Ano passado a sujeira acabou fazendo alguns carros pararem na segunda corrida, devido aos radiadores entupidos. Espero que esse ano esteja melhor a condição da pista para que a gente possa correr sem problemas desse tipo. A ideia é fazer mais pontos e diminuir a diferença para o líder do campeonato e seguir brigando pelo título.

Lucas Foresti: Tivemos um bom final de semana em Santa Cruz do Sul, na última etapa da categoria. Fechamos a maioria dos treinos entre os primeiros e na corrida um problema mecânico nos tirou da prova mais cedo, mas apresentamos um bom ritmo e brigamos pelas primeiras posições o tempo em que estivemos na pista. Espero que possamos manter um bom desempenho para a etapa de Campo Grande e assim conquistar bons resultados nas duas corridas do final de semana.

Marcel Coletta: Além dessa minha pole position marcante, também me sinto bem confiante pelo bom retrospecto que a Cimed Racing tem em Campo Grande. Tenho certeza que estou na melhor equipe para buscar um bom resultado nessa pista. Claro que agora o carro é diferente do que guiei em 2018, mas é sempre bom disputar uma etapa em autódromo que já conheço.

Marcos Gomes: A pista tem um desenho legal o que nos deixa muito confortáveis para pilotar. Sem contar que as áreas de escape são muito grandes e deixam os riscos de acidentes bem menores. A preocupação maior fica por conta do desgaste dos pneus. O asfalto é muito abrasivo e, principalmente na tomada de tempos, só nos permite uma volta rápida.

Nelsinho Piquet: Gosto da pista de Campo Grande. Nosso carro vem evoluindo e tem melhorado neste tipo de traçado. Também conheço o circuito relativamente bem, então acredito que temos boas chances de repetir um pódio lá. Nossa meta agora é trabalhar para evoluir ainda mais e ir em busca do Top-6 do campeonato”, afirmou Piquet, que na etapa passada estreou um novo capacete, com o layout bem parecido com o usado por seu pai, o tricampeão de Fórmula 1, Nelson Piquet. “Deu sorte!

Pedro Cardoso: Foi minha primeira vitória na Stock Light, e aquilo tirou um peso enorme das minhas costas e me ajudou muito na preparação para chegar até a Stock. Então, chegar a Campo Grande e não se lembrar daqueles momentos é impossível. É uma pista bem desafiadora porque exige muito dos pneus, que se desgastam muito rápido. Acertar a volta na classificação também é essencial, porque só há uma chance de se fazer o máximo com pneus novos. O traçado é muito divertido, com uma reta longa e uma curva de alta no final e algumas freadas fortes; as áreas de escape também deixam a pista mais segura. A cidade é muito legal, sempre com muito público e um pessoal muito fã da Stock Car.

Rafael Suzuki: É uma das pistas com traçado mais legal do calendário, com vários pontos de ultrapassagem. Foi em Campo Grande que comecei a treinar em carros de fórmula quando saí do kart. Acumulei uma boa quilometragem lá em testes. O asfalto está muito agressivo com os pneus, trazendo um desgaste muito acentuado. Então quem souber dosar o ímpeto nos momentos certos, aliado a uma boa estratégia, vai conseguir trazer um bom resultado, sem sombra de dúvida.

Ricardo Zonta: Temos o objetivo de conquistar um bom resultado e recuperar alguns pontos perdidos nas últimas etapas. Vamos na luta para tentar fazer um bom fim de semana e somar o maior número possível de pontos.

Rubens Barrichello: Essa é uma etapa que também gosto bastante. O layout do circuito é muito bom. As corridas em Campo Grande são sempre muito competitivas e requerem uma estratégia perfeita, principalmente em relação aos pneus. Tivemos alguns problemas nas últimas etapas, mas estamos estudando todos os dados para poder voltar ao pódio e brigar pela liderança do campeonato novamente. Estamos motivados para andar bem em Campo Grande.

Valdeno Brito: Estou ansioso para a próxima etapa em Campo Grande, pista extremamente abrasiva. Assim como em Santa Cruz vai ser um jogo de xadrez em relação à estratégia. A equipe vem de um momento bom, foram dois Q3 nas duas últimas etapas, importante fazermos novamente uma boa classificação para realizarmos boas corridas. Estou em busca de um pódio.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.