Stock Car – Comentários de sexta-feira – Corrida do Milhão 2018

Valdeno Brito

Valdeno Brito: Estou contente com o desempenho do carro e sei que dá para tirar um pouco mais. Ele está um pouco traseiro, mas nada que não possa ser ajustado. Hoje foi um dia onde três décimos separaram os 15 primeiros foi inferior a quatro décimos. Ou seja, não dá pra descansar nos louros, temos que seguir nessa pegada.

Cacá Bueno: A velocidade média de 203 km/h é um marco para a Stock Car, e a tendência é que ela seja ainda mais rápida amanhã.

Felipe Massa: Certamente a prova em um anel externo trará ainda mais emoção a já movimentada Stock Car. Os carros vão andar muito próximos e a expectativa é que a briga pelo Milhão dure até a curva final.

Felipe Fraga: A briga pela pole será decidida por detalhes, talvez até em milésimos de segundo.

Lucas Foresti: Fui segundo no primeiro treino e no segundo o resultado da tabela não mostra nossa realidade, pois nós não estreamos pneus novos! E, mesmo assim, o carro está um foguete. Toda a equipe Cimed Racing está rápida e a tendência é que a gente evolua ainda mais amanhã com sapatos novos.

Ricardo Zonta: Como são apenas duas curvas, os tempos ficam muito próximos, e isso faz com que a corrida seja mais competitiva e emocionante para todos. Testamos várias coisas para aumentar a velocidade de reta. Os treinos foram muito importantes para saber que caminho tomar amanhã. Na corrida, com o botão de ultrapassagem, vamos chegar a 280 km/h.

Átila Abreu: O treino foi bem corrido em razão do atraso pelas mudanças na pista pela manhã, ficou tudo muito justo. Não deu tempo de analisar o que fazer entre um treino e outro. É um circuito pouco exigente, com duas curvas e duas retas, não tem muito o que inventar. Ainda precisamos de mais velocidade de reta entre as curvas 1 e 2 porque o carro está um pouquinho arisco, não está saindo tão bem das curvas, o que faz perder na velocidade de reta. Vamos tentar buscar um outro conceito e trabalhar para estar bem na classificação.

Thiago Camilo: Sem dúvida Goiânia é uma pista onde sempre andei bem e tenho sorte na Corrida do Milhão. Esse ano a prova será disputada num traçado diferente, no anel externo do circuito, que nenhum piloto em atividade na Stock Car conhece. Confio na equipe para encontrar um bom acerto e buscar esse milhão.

Bia Figueiredo: Espero que a minha experiência em acertar carros para fazer curvas só para um lado possa ajudar a equipe, trazer alguma vantagem técnica, mas as corridas da Indy em ovais e essa da Stock ar em anel externo são bem diferentes. Aqui não é exatamente um oval, praticamente não existe inclinação nas curvas, há uma curva bem fechada e freadas fortes, não há muros de concreto como nos ovais e os carros são totalmente diferentes, admitem muito mais o contato.

Nelsinho Piquet: São só duas curvas, mas pista é muito boa, adorei e estou bem animado para a corrida. A pista é 10! Tivemos uma parada grande, com uma grande revisão e muitas coisas trocadas. Ainda temos de ficar mais próximos dos líderes, mas foi apenas o primeiro dia. Temos de trabalhar bastante, ainda falta um pouco de performance.

Guilherme Salas: A expectativa era brigar entre os 10 primeiros. O primeiro treino foi de adaptação à nova pastilha, que é muito diferente da anterior, e para ver o equilíbrio do carro. No último treino, conseguimos fazer voltas rápidas tanto com pneus velhos, como com dois pneus novos. Terminamos em quarto lugar e o resultado foi melhor do que a expectativa. Agora é focar para amanhã. Achei o anel externo legal, ‘divertido’ e vai ser uma corrida emocionante, mas me preocupa um pouco a parte da reta oposta, que já é meio ‘virando’. Ali, quem estiver defendendo posição, terá de respeitar alguma linha, porque se isso não acontecer, podemos ter acidentes, e andamos naquele ponto a 250 km/h.

Rafael Suzuki: Foi aquém do esperado. O carro parecia bom no shakedown, mas nos treinos não conseguimos achar o acerto ideal. Tivemos um problema com a telemetria e foi difícil adquirir informações. Está um pouco distante do real potencial. O importante é que, mesmo não tendo a telemetria, vamos trabalhar com alguma base para melhorar bem e tentar largar entre os 15. Amanhã, a condição de pista, a temperatura será outra. Hoje, em virtude dos atrasos, andamos bem tarde, com a pista fria. E amanhã classificamos com a pista bem quente e isso pode dar uma bagunçada também.

Felix da Costa: O Lucas e o Bruno estão rápidos também, nossos carros estão velozes. Mas hoje não vale nada. Temos que manter o foco, analisar tudo e continuar a melhorar o carro. Não podemos dormir (no ponto) aqui, por se que alguém melhora um décimo e você já perde posições.

Bruno Baptista: Meu primeiro dia foi positivo, conseguimos trabalhar bem e evoluir bastante no acerto. Então, estou feliz com o que fizemos. Eu dei uma erradinha na minha volta com pneu bom, mas isso é normal nessa fase. O carro mostrou muito potencial nestes treinos livres. Então acho que foi um dia bem interessante em termos de desenvolvimento do carro. O importante agora é manter o ritmo forte do trabalho e focar no que pode ser melhorado para amanhã. O dia de hoje foi muito bom. Amanhã espero que seja ainda melhor.

Quer concorrer a uma réplica do capacete do Ayrton Senna? Clique AQUI e palpite sobre quem vai vencer a Corrida do Milhão da Stock Car!

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.