Stock Car – Comentários de sábado – Londrina 2018

Felipe Fraga

Marcos Gomes, P3: O nosso carro estava rendendo muito bem aqui no classificatório. Londrina é uma pista que consome muito os pneus, então o Q3 é sempre complicado. Talvez eu não precisasse ter arriscado tanto ali na minha volta, mas a minha vontade de fazer a pole position foi maior. Eu tentei o máximo que deu no S de alta, era uma parte que eu estava bem seguro nas outras voltas, e acabei dando uma ‘traseirada’ na saída da curva e perdi a retomada para a reta. Perdemos a pole ali, mas largando em terceiro nós temos boas chances de brigar pela vitória, principalmente porque o carro evoluiu muito de ontem para hoje. Agradeço todos do box por esse trabalho.

Felipe Fraga, P4: Foi um bom classificatório nosso hoje, o quarto lugar é positivo e também é importante destacar que estamos na frente do líder do campeonato no grid (Daniel Serra). É bom entrar no Q3, na etapa passada ficamos de fora, e agora temos totais condições de lutar pela vitória amanhã. Em Curitiba nós largamos em quinto e vencemos, então espero fazer uma boa largada para fazer algo parecido amanhã. O carro vem mantendo um bom desempenho em todas as pistas e nosso ritmo de corrida é sempre bom.

Julio Campos, P5: Estamos melhorando, ficando cada vez mais competitivos. Só não sairei um pouco mais à frente, provavelmente em terceiro, porque dei uma erradinha no último trecho do Q3. Mas estamos na briga. Sabemos que as corridas serão pegadas e que temos carro para ir para a frente. Acertamos o carro muito bem para as condições de prova. Acredito que temos todas as possibilidades de sair daqui talvez já em terceiro do campeonato, já que a diferença para o Felipe Fraga é de apenas quatro pontos, ou até em segundo e ainda reduzir a desvantagem em relação ao Daniel Serra.

Cacá Bueno, P9: A pista estava bem quente hoje e acabei perdendo um pouco a traseira no Q1, o que quase me tirou do Q2. Entramos por um milésimo e daí mexemos um pouco na pressão e nas barras traseiras, daí o carro deu uma equilibrada no Q2, por isso demos uma boa melhorada. Eu acho que na sequência não tivemos chances de passar para o Q3 justamente pelo excesso de tentativas no Q1, quando precisei dar mais voltas do que eu gostaria e aqui o desgaste de pneus é bem alto. Depois no Q3 todos os carros também ficaram saindo de traseira, mas o meu acabou ficando assim um pouco antes. Eu esperava largar mais à frente, entre os cinco primeiros, então ficou um pouco mais complicado para amanhã, mas vamos traçar uma boa estratégia. Ainda precisamos achar um acerto melhor para quando estamos com pneus novos para brigarmos pela pole na próxima.

Átila Abreu, P10: Treino é treino e jogo é jogo, não é uma posição tão ruim, mas longe do que esperávamos, imaginávamos estar entre os seis primeiros, no Q3. Vamos entender o que aconteceu com o carro. No Q1 tive de andar muito, não deu pra dar uma volta só, tive de dar três e aí no Q2 você já fica com menos pneu. É uma soma de fatores, mas esse era o nosso potencial hoje, vamos trabalhar para amanhã.

Ricardo Zonta, P11: É uma pista difícil de ultrapassar, mas largar em 11º é bastante importante para sair do bolo e das confusões. É claro que gostaríamos de largar entre os seis primeiros, o que era nosso objetivo, e ainda temos de estudar os dados. Mas o carro é rápido na sequência de voltas. Talvez para uma volta só tenhamos de evoluir um pouquinho, mas vamos para uma boa corrida.

Thiago Camilo, P12: Considerando o carro que tive nas primeiras etapas de 2018, posso dizer que nosso acerto está evoluindo, mas ainda faltou um pouquinho (dois décimos de segundo) para chegar no Q3. Por outro lado, em 2017 venci a primeira e um acidente na largada me impediu de disputar a segunda corrida. Com isso três pilotos fizeram mais pontos que eu no fim de semana. Amanhã, largando em 12º, preciso chegar entre os dez primeiros da Corrida 1 para largar na frente na Corrida 2 e fazer muitos pontos. O regulamento não privilegia muito a vitória, então tenho que aproveitar um momento em que provavelmente não vou brigar pela vitória na primeira corrida para fazer uma estratégia de muitos pontos.

Rafael Suzuki, P14: O décimo lugar era o objetivo, mas acho que não iríamos passar para o Q3. Ainda falta um pouquinho para isso. Mas foi positivo. Acho que minhas voltas foram boas, não teve erros no Q1 e, obviamente, no Q2, eu precisava de um ou dois décimos para passar para o Q3. Eu arrisquei num lugar onde daria para arriscar, mas o carro não aceitou e saí da pista. Mas o importante é que não estragou nada no carro, foi só o capô. Então, o objetivo agora é mirar o décimo lugar na corrida 1, para largar em primeiro na corrida 2. Temos de fazer uma boa largada e um bom pit stop e vamos pensar neste Top-10 na primeira prova e já ir com bons pontos para a segunda corrida.

Antonio Pizzonia, P15: Eu estava no limite da passagem ao Q2 e a equipe me pediu para dar uma volta a mais por segurança. Era uma decisão difícil, sei disso, mas o carro começou a ficar um pouco traseiro por causa do desgaste dos pneus. De qualquer forma, acho que o carro está até mais competitivo para uma situação de prova do que de classificação. Continuo otimista. Vou ter de remar um pouco, quem sabe priorizando um pouco mais a segunda corrida, mas ainda vamos discutir bastante as estratégias.

Nelsinho Piquet, P19: O fim de semana aqui em Londrina mais uma vez está sendo de aprendizado para nós. Não é uma pista fácil, mas ficar a menos de um décimo do Diego Nunes e do Ricardo Maurício é pouco, embora o suficiente para não largar entre os primeiros, mas faz parte. Há outras equipes também andando na frente, mas isso é normal, há fases boas e mais difíceis. Isso vai servir para desenvolvermos. Doi um pouco largar no meio da confusão, e o importante é se livrar de problemas. A pista é estreita e difícil de passar, mas o importante é continuar evoluindo e ficar próximo dos companheiros de equipe.. A cada vez que vou para a classificação conheço um pouco mais da característica do pneu e das pistas. Cada pista que vamos é praticamente nova, mesmo eu tendo andado de Fórmula 3 é bem diferente. Cada décimo que você perte, abusando um pouco, faz diferença no fim do dia. Mas vamos continuar aprendendo, estamos aqui não para passar uma temporada só.

Bia Figueiredo, P20: A gente sempre teve uma pequena defasagem no trecho de baixa, o primeiro trecho, durante todo o fim de semana. Trabalhamos nisso e fomos reduzindo a diferença para os carros mais velozes, mas não a ponto de chegar ao Q2. Estou um pouco decepcionada por um lado porque achei que daria, mas satisfeita por outro porque sei que estamos dando passos à frente.

Denis Navarro, P26: Eu acabei me atrapalhando um pouco no tráfego do classificatório e não consegui abrir a volta da maneira que eu gostaria. Não é o nosso melhor final de semana, seis décimos pode não parecer muita coisa, mas na Stock Car é, então vamos tentar pensar em uma boa estratégia para amanhã. Ainda temos um problema de freio, mas confio em um ritmo melhor para a corrid.

Lucas Foresti, P27: Perdi muito tempo no terceiro setor por conta de algo que não sabemos o que é. Agora vamos analisar o carro com os engenheiros, dissecar a telemetria e ver o que podemos fazer para testarmos essa melhoria no warm up de amanhã cedo.

Guilherme Salas, P29: Pela manhã, quando íamos sair para o último treino, ligamos o carro e vimos que o câmbio estava quebrado. Ontem, não tinha nenhum barulho, apenas um desequilíbrio na hora de redução. Para a classificação, fomos às cegas, porque não tínhamos passado pneus novos, então tivemos de ir no chute. E no nível da Stock, que é tão alto, não adianta chutar. Agora é pensar numa corrida de recuperação amanhã.

EB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.