Stock Car – Comentários de sábado – Londrina 2017

Marcos Gomes

Marcos Gomes

Marcos Gomes, P6: Um lugar na terceira fila está de bom tamanho para a largada desse domingo. Como estou um pouco distante da briga pelo campeonato, eu tentei arriscar tudo por uma pole position e acabei passando um pouco fora do traçado no S de alta e perdi tempo ali. Os carros estão muito próximos aqui em Londrina e amanhã será muito importante usar os pushes na hora certa para lutar pelas posições.

Diego Nunes, P7: Como aqui em Londrina é muito apertado, a gente conseguiu pensar bem sobre o carro do treino da manhã, e mexemos bem no setup e aí acertamos na veia para a classificação nesse calorzão. O carro voltou a funcionar. O único problema é que a gente toma um pouco de motor, pois não estamos com um muito bom, tomando um décimo, um décimo e meio, mas com certeza se não fosse isso a gente estaria brigando entre os cinco. Só de saber que o carro voltou ao normal nós já estamos animados.

Rafael Suzuki, P8: Foi muito bom, mais uma vez, largar entre os dez, não ficamos em nenhum treino fora dos dez primeiros, então eu acho que mostra uma consistência da equipe. Mais importante que conseguir uma boa posição de largada é que nós viemos de uma boa sequência, essa é a quarta ou quinta vez que fomos para o Q2 e ficamos próximos do Q3, e sempre muito competitivos. Essa é uma boa posição pra mim pensando na corrida porque a estratégia será mais fácil. A equipe está de parabéns, tem feito um trabalho fantástico, fazendo um trabalho redondinho.

Gabriel Casagrande, P10: O treino superou as nossas expectativas e largar por fora até que não é ruim, pois aqui a parte de dentro fica muito truncada na primeira curva. Do lado de fora existem mais opções. Somos décimo no campeonato, largamos em décimo e quem termina em décimo larga na pole. E aqui é muito difícil passar. Vai que acontece isso, né? Mas a ideia é ir pra frente!

Cesar Ramos, P12: Estamos todos felizes com este resultado. Era algo que já estávamos buscando há algumas etapas e que enfim conseguimos consolidar. E olha que, na verdade, eu até imaginava que poderíamos estar ainda um pouco mais à frente pelo desempenho que o carro vem apresentando ao longo do final de semana. O resultado amanhã será ainda melhor.

Antonio Pizzonia, P13: A gente sabe que o desgaste será grande e vários pilotos vão optar por abortar a primeira bateria para focar na segunda. Acho que será uma corrida bastante estratégica, mais ou menos como foi a última no Velo Città, onde passamos o tempo todo praticamente discutindo táticas. Quando se parte da posição em que estou, a meta naturalmente passa a ser entrar entre os 10 primeiros para se beneficiar do grid invertido da segunda prova. A verdade é que chegamos aqui com alguma limitação de pneus e um furo logo na saída do treino da sexta-feira nos obrigou a fazer uma mescla de vários pneus. Com isso, só no qualifying, com os pneus novos, é que acabei tendo um carro mais equilibrado, mas sem condições de fazer a minha parte e tirar aqueles ´pelinhos´.

Marcio Campos, P15: O carro é muito bom e, com duas corridas pela frente, estou certo de que vamos brigar por muitos pontos. Já é a segunda vez consecutiva que consigo chegar ao Q2 e isso mostra que estamos consolidando nossa posição.

Ricardo Zonta, P16: Sem dúvida a pista mudou muito para o segundo grupo, e teve pilotos que nunca se classificaram à frente entre os 15 também cortaram caminho. Isso é uma falta de respeito entre os competidores, o que não é leal, sempre é preciso respeitar o limite da pista. Não adianta cortar caminho e ir na terra para tentar entrar. É preciso ser justo com aqueles pilotos que não cortaram o caminho e seguiram na pista.

Sérgio Jimenez, P17: Viemos remando, mudando algumas coisas no carro e acertamos para o classificatório. Ainda faltou um pouco, mas ficamos muito perto. O carro estava legal, mas faltou aquele detalhe ‘fino’ pra gente pular para o Q2. Nos treinos, não colocamos pneus novos e o carro andou muito bem com pneus usados, então se tivesse entrado entre os 15, acho que teríamos largado mais à frente. O carro é bom de corrida, então agora temos de nos livrar das confusões. Aqui a largada é sempre um problema, porque vai para quatro curvas de primeira e segunda marchas e sempre acontecem incidentes. Vamos tentar achar uma estratégia boa e quem sabe disputar um pódio na segunda corrida. Em ritmo de prova, temos condições, mas ai vai depender de sorte, acertar a estratégia para atingir este objetivo. Estou bem preparado, treinei bastante neste um mês sem provas. Mas quem não estiver vai sofrer com o cansaço, que pode provocar erros.

Tuka Rocha, P18: Foi uma das tomadas mais equilibradas que a Stock Car já teve. Faltou muito pouco, mas fizemos dois ótimos treinos e temos um carro muito bom para a rodada dupla de amanhã. Vamos tentar fazer uma corrida consistente para ganhar posições e sair daqui com um bom resultado.

Galid Osman, P19: Tinha carro para ir bem mais pra frente.

Allam Khodair, P20: Foi um resultado muito abaixo do que esperávamos, ainda mais após o treino desta manhã, onde conseguimos apresentar um desempenho competitivo. Agora vamos ter que apostar em uma prova de recuperação que nos permita somar o maior número de pontos possíveis e, dependendo do que acontecer na corrida, chegar ao pódio.

Átila Abreu, P21: Foi um balde de água fria, já que o carro esteve muito bem nos dois treinos livres. Sabíamos que para tentar ir ao Q3, teríamos de deixar o carro um pouco dianteiro no Q1 e vir melhorando, mas ficou um pouco mais dianteiro do que deveria. O primeiro grupo tinha os mais rápidos nos treinos e poucos entraram no Q2. É claro que as categorias que andaram antes deixaram a pista em condições bem adversas e nosso carro, um pouquinho dianteiro, não conseguiu ser competitivo. Mesmo assim, achei que conseguiria entrar. Mas percebemos que um monte de carros começou a cortar a chicane na terra, ganhando três ou quatro décimos, e a direção de prova se eximiu. Mas independentemente disso, nosso carro pecou um pouquinho no acerto, poderíamos ter sido um pouco mais ousados, sabendo das condições da pista. É complicado largar atrás, mas vamos lá, corridas são corridas, vamos tentar dar a volta por cima.

Julio Campos, P23: Não pudemos usar os pneus novos, mas hoje à tarde no qualifying a temperatura estava muito próxima daquela registrada ontem, quando fui o segundo mais rápido. Não entendi a falta de velocidade. O carro estava um pouquinho traseiro, mas não estava tão fora do normal. A gente tem um carro muito mais rápido. Fizemos alguma coisinha que não encaixou e acabamos ficando fora, mas corridas são assim mesmo. É lógico que a prioridade é a prova de fundo, mas pensando em somar pontos também na primeira..

Lucas Foresti, P24: Estamos com dificuldades em algumas curvas, o que acaba atrapalhando nosso desempenho como um todo. Agora vamos ter um problemão pela frente: outros 23 carros no mesmo segundo que o meu em uma pista bastante apertada. Mas temos duas corridas pela frente e nada está perdido.

Guilherme Salas, P26: Fiz o que pude. Praticamente não treinei na sexta e hoje pela manhã também tive alguns problemas, então o carro não estava com um bom acerto. Vamos para mais uma corrida de recuperação, amanhã.

Guga Lima, P27: Está bem quente dentro do carro e é preciso estar focado para não perder o rendimento. Faltou um pouco, mas chegamos mais perto dos melhores tempos na classificação, foram só três décimos para estar no Top-15. Foi muito competitivo e já era esperado, mas nosso carro evoluiu e espero que amanhã esteja bom para fazermos uma corrida de recuperação.

Felipe Lapenna, P28: Outra vez uma chuva de água fria no Lapenna, na primeira volta o carro ficou um pouco traseiro, uma pena. No caso do Suzuki a gente teve um dos melhores resultados da equipe de largada, ele fez uma volta boa, ficou a meio décimo do Q3, uma coisa que pra nós seria hoje o auge, mas gostei bastante, amanhã duas estratégias diferentes para os dois carros.

EB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.