Stock Car – Comentários de sábado – Interlagos 2017

Cesar Ramos

Cesar Ramos, P4: Eu e toda a equipe estamos muito felizes por termos alcançado a segunda fila, algo inédito para equipe. Nosso carro está muito competitivo e, desde o treino da manhã, já tínhamos certeza que daria para largar entre os dez primeiros. Mas conseguimos ir mais longe, com voltas muito consistentes nas três divisões da classificação. Agora vamos buscar fazer uma boa largada, um bom pitstop, e isso será essencial para chegarmos no pódio.

Diego Nunes, P7: Foi nossa segunda melhor classificação do ano, a gente teve um problema hoje pela manhã que deu uma atrapalhada, mas conseguimos se sair bem na tomada de tempos. Agora é focar na corrida e terminar o ano com um bom resultado.

Augusto Farfus, P9: O balanço dessa minha primeira corrida solo na Stock Car até agora, sem dúvida, é extremamente positivo. Termino o sábado triste, porque tinha muito mais na manga do que a gente colocou, errei na Curva da Junção na minha volta rápida e isso nos custou uma vaga no Q3. Mas, considerando que estamos em Interlagos, uma das pistas mais técnicas, e por ser minha primeira corrida como titular, acho que está bem positivo. Temos uma boa estratégia de pneus para amanhã, para fazer uma prova de ataque. Não tenho nada a perder, então vamos trabalhar para buscar um pódio. O grid está cheio, meus adversários estão afiados, mas eu também estou.

Felipe Lapenna, P10: Fizemos uma ótima classificação e foi um final de semana que começamos bem desde os treinos, o que nos deixa numa situação mais confortável, ontem mesmo no treino livre fomos oitavo sem colocar pneu zero e hoje de manhã eu vinha para uma volta muito rápida e acabei errando no último trecho e rodando. Na classificação, eu sabia que era só fazer o básico que passaria para o Q2. Aí no Q2 falta aquele ‘pelinho’. Eu acertei a volta perfeita, fiz de tudo, o carro estava ótimo, mas faltou pouco.

Sérgio Jimenez, P11: Foi muito importante classificar bem, porque será uma prova só nesta etapa. Foi nossa melhor classificação do ano. A volta foi boa e acho que só não fomos para o Q3, porque não acertamos na calibragem. No meio da volta, o carro começou a perder rendimento. Mas a equipe fez um bom trabalho. Amanhã, a corrida será curta, mas acho que estamos com um carro equilibrado. Agora é acelerar o máximo e fazer muitos pontos para entregar o melhor resultado possível nesta minha última corrida pela Hot Car Bardahl.

Denis Navarro, P12: Fizemos um bom treino classificatório ao passar para o Q2 e podíamos até ter entrado para o top-10, mas o carro acabou escapando um pouco de traseira na última chicane, justamente naquela que seria a minha melhor volta. De qualquer maneira, fico satisfeito pela evolução do carro em todos os treinos desde as últimas etapas e vamos trabalhar para encerrar o ano brigando lá na frente amanhã.

Lucas Foresti, P13: Interlagos é uma pista que todos conhecem de trás para a frente e isso torna tudo muito difícil e competitivo. Todos os pilotos que passaram ao Q2 ficaram separados por menos de meio segundo – e são 15 os que participam dessa fase. A sétima fila não é um mau resultado. Essa pista proporciona muitas ultrapassagens e em muitos casos o vencedor foi definido nos últimos segundos. Teremos emoção para mais de metro este fim de semana e espero encerrar essa passagem pela Full Time Academy com um pódio.

Allam Khodair, P14: Faltaram alguns detalhes para que pudéssemos levar o carro mais para frente. Agora é tentar fazer uma boa largada, ganhar posições e tentar chegar o mais à frente possível. Nosso carro é rápido e, dependendo do que acontecer na prova, temos totais condições de escalar o pelotão.

Felipe Fraga, P16: O problema de hoje com certeza não foi esse um centésimo que faltou para passar pro Q2. Nós saímos um pouco tarde do box e faltou acertar uma boa volta. Vamos para cima amanhã tentar fazer uma corrida de recuperação e conseguir encerrar a temporada na frente.

Rafael Suzuki, P17: Não foi a tomada que esperávamos, mas muita coisa pode acontecer amanhã. Estamos trabalhando para solucionar algumas dificuldades que tivemos, mas sei que teremos um carro competitivo para a corrida, para buscarmos uma recuperação e bons pontos para encerrar o campeonato.

Julio Campos, P20: Foi muito difícil. Não foi nada do que a gente estava esperando. Vamos ver agora o que podemos fazer para melhorar o ritmo do carro para a corrida. O Pizzonia relatou as mesmas dificuldades. Além disso, treinamos no grupo 1 e bem na hora em que o sol saiu e aumentou a temperatura da pista. O pessoal do grupo 2 pegou o asfalto em condições mais favoráveis e vários nos passaram no finalzinho. Estávamos certos que entraríamos no Q2. Mas é isso aí: esse é o jogo, as cartas estão dadas e temos que tentar melhorar.

Ricardo Zonta, P21: Optamos por uma linha de acerto do carro mas na hora do quali a temperatura estava mais alta e ficamos fora do ritmo para aquelas condições de pista. Vamos tentar uma corrida de recuperação amanhã para acabar bem o ano.

Antonio Pizzonia, P22: Foi frustrante porque meu carro estava tão competitivo e equilibrado pela manhã que não fizemos nenhuma alteração para a classificação. Mas não sei o que aconteceu, não sei se foi o aumento da temperatura, que o carro ficou inguiável. Antes mesmo de fechar a primeira volta já informei a equipe sobre o que estava acontecendo. Era dianteiro em curvas de baixa e traseiro nas de alta. Não era o final de ano que a tente projetava, principalmente depois destas últimas etapas em que demos um grande salto à frente.

Tuka Rocha, P23: Por um décimo não largamos lá na frente entre os seis primeiros. Foram milésimos e temos um bom carro para a corrida e acho que amanhã é pensar na prova e em um bom resultado para fechar o ano com chave de ouro. Gosto muito de Interlagos e vou lutar para chegar entre os dez primeiros e conquistar um resultado positivo.

Átila Abreu, P24: Corridas são corridas, realmente a posição de largada é ruim. Vem sendo um fim de semana difícil. Só tem uma corrida, então vamos tentar arriscar um pouco na estratégia e tentar o que der. Vamos tentar salvar o máximo de pontos para terminar o campeonato da melhor forma.

Cacá Bueno, P26: Eu tinha uma expectativa de ter uma bom rendimento aqui em Interlagos igual conseguimos ter em Goiânia na corrida passada quando subimos no pódio. Identificamos que o carro estava saindo muito de frente, o que é até estranho porque normalmente os carros saem mais de traseira nas condições de hoje em Interlagos. Agora vamos analisar o carro e descobrir o motivo desse rendimento. Largando lá de trás o nosso objetivo é tentar somar pontos e um top-10 seria um grande lucro.

Guga Lima, P27: Estou feliz pelo Jimenez, que conseguiu o primeiro Q2 para a equipe este ano. Acho que eu tinha um bom carro para passar também, fiquei só a meio segundo do 15o colocado. Mas, na minha segunda volta, fui atrapalhado e perdi um pouco de tempo. Agora vamos pra cima. Amanhã é a última etapa e vamos tentar reverter essa situação e fazer uns bons pontos para terminar o ano bem.

Gabriel Casagrande, P30: A gente encontrou muita dificuldade nas quatro últimas tomadas de tempo da temporada, o que dificulta bastante nosso trabalho nas corridas, mas Interlagos é um autódromo onde dá para ultrapassar e estamos empenhados em fechar o ano entre os dez primeiros.

EB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.