Stock Car – Comentários de sábado – Corrida do Milhão 2019

Ricardo Zonta

Gabriel Casagrande, P5: Foi um treino bem positivo para mim. O quinto lugar no grid está ótimo e na estratégia estamos muito bem para a corrida. Ainda poderíamos ter ido até um pouco mais para a frente, faltou apenas um décimo para entrar no Q4 e disputar a pole, mas acho que o mais importante é esse bom rendimento que mostramos hoje. Estamos com uma boa estratégia de combustível para fazermos a Corrida do Milhão. É claro que nós não sabemos como estão os outros carros, mas estou bem confiante de que lutaremos pela vitória amanhã. Fiquei contente com o rendimento do carro e tomara que amanhã seja um dia com casa cheia, arquibancada lotada e com certeza lutaremos para levar o Milhão para casa.

Ricardo Zonta, P7: Não tinha como prever o sétimo lugar, nem vi os tempos dos outros. Meu carro está muito constante, sempre virando tempos iguais. Se eu fosse para a parte final do treino, vendo essa constância, eu poderia brigar pelas posições da frente. Mas os pneus e combustível economizados agora vão fazer muita diferença no pit stop. Quem está mais à frente vai ter de colocar muito combustível, e o desgaste tem sido muito agressivo. A sétima posição é muito importante para nós, mas a minha cabeça estava voltada para ir para a pole.

Felipe Fraga, P9: A equipe me deu um carro perfeito para fazermos a pole position, tanto é que fui o mais rápido do Q1. Amanhã vou tentar recuperar, foi uma pena o bloqueio na freada da curva 1, mas gostaria de agradecer todos da equipe porque me deram um carro para brigar lá frente e esperamos fazer isso amanhã.

Julio Campos, P12: Com certeza, tínhamos carro para largar entre os seis, mas realmente não sabemos o que é melhor. Se é largar de sétimo pra trás até o décimo, ou na frente. O resultado não era o que a gente precisava, mas para amanhã temos carro para chegar na frente e o milhão ainda pode ser nosso!

Galid Osman, P14: Vai ser uma corrida de muita estratégia. É claro que quem avançou ao Q3 e Q4 vai usar mais combustível, então estamos numa posição confortável para fazer uma boa corrida e pontuar bastante, quem sabe até disputar a vitória. Fui muito atrapalhado por um outro competidor, mas fiquei até satisfeito com o nosso desempenho. Estamos numa posição intermediária, que não é o pior cenário.

Cacá Bueno, P15: Tudo pode acontecer amanhã, mas acho que poderíamos largar de nono ou de décimo no grid. Acabei passando um pouco reto ali na Curva da Junção, um trecho que tinha muito óleo de outro carro. Isso prejudicou alguns pilotos, principalmente porque teve o bloqueio no freio do meu carro e eu vinha em uma boa volta ali. Depois isso aconteceu novamente no S do Senna e prejudicou meus pneus. Vamos analisar os dados e pensar na melhor estratégia para amanhã, mas será uma prova bem difícil.

Gaetano di Mauro, P17: Foi uma pena estar no segundo grupo no Q1, porque havia óleo na pista, e a diferença estava muito alta, um segundo mais lento. Infelizmente isso atrapalhou o nosso trabalho do fim de semana todo, poderíamos estar bem mais à frente.

Valdeno Brito, P19: Estava tranquilo para entrar para o Q2, mas infelizmente teve um estouro de motor na curva zero que espalhou óleo na pista e não deram bandeira vermelha para que todos tivessem a mesma condição. Só conseguiu passar mais rápido quem estava mais leve, com pouco combustível, que foi o caso do Di Grassi. Mas amanhã é torcer para que esse fato vire vantagem para a gente, pois dei poucas voltas com o pneu e estou com combustível suficiente para não precisar fazer uma parada longa. Acredito que isso vai compensar para fazermos uma boa corrida.

Marcel Coletta, P25: A estratégia do nosso carro dependia 100% de fazer uma boa tomada de tempo, mas foi uma pena que a volta não veio no Q1 por um motivo externo. O carro de outro piloto quebrou e deixou óleo na pista, prejudicando todos os pilotos que estavam no segundo grupo do Q1. Nós vamos tentar algo positivo na corrida largando lá de trás, mas não será fácil.

Pedro Cardoso, P26: O carro do Átila teve a falha e ele tentou levar até os boxes, e foi encharcando a pista de óleo em um ponto fundamental da pista, que é na subida da reta e na Curva do Café”, explicou Pedro Cardoso, que estava logo atrás do #51 no momento. “Era no trajeto, em um ponto no qual os pilotos estão com o pé no fundo do acelerador. Não poder passar por ali, além do altíssimo risco de um acidente, prejudicou a todos no segundo grupo do Q1. Era o momento para o treino ser interrompido com bandeira vermelha para que a pista fosse limpa.

Lucas Foresti, P27: Tinha óleo na pista, isso fez com que tivéssemos que mudar o traçado para desviar desse óleo, inviabilizando um melhor tempo. Não entendi por que o treino não foi interrompido com bandeira vermelha, já que logo depois do término do nosso grupo o treino foi paralisado para que a pista pudesse ser limpa. Mas não adianta lamentar. vamos estudar a melhor estratégia e vamos tentar recuperar posições na pista.

Rafael Suzuki, P28: Não foi a classificação que esperávamos, tivemos um problema na bomba de combustível e assim não consegui marcar uma volta. Mas o regulamento dessa prova deixa ainda mais possibilidades em aberto para pensarmos em uma boa corrida de recuperação. O ponto alto de hoje foi o GP do Bem, na qual conseguimos mobilizar um grande número de doações para uma causa nobre, e isso com certeza nos traz uma motivação extra para a Corrida do Milhão.

Átila Abreu, P29: Aparentemente foi uma quebra de motor. O carro vinha normal, e não houve nenhum aviso, foi um problema repentino. Uma pena o que aconteceu, agora vamos ter de partir para uma corrida de recuperação. Vai ser uma corrida difícil, vamos pensar numa boa estratégia.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.