Stock Car – Comentários de sábado – Argentina 2017

Júlio Campos

Júlio Campos

Julio Campos, P4: Em Londrina eu tinha talvez meu melhor carro do ano, com potencial mínimo de largar entre os cinco, mas tivemos um problema e não passamos do Q1 por erro nosso. Aqui, estamos com os dois carros muito rápidos e espera que consigamos terminar as duas corridas muito bem. Sim, temos chance de pódio, e vamos lutar por ela. Por isso, amanhã a estratégia contará bastante.

Antonio Pizzonia, P5: Estou muito feliz com o resultado. Dei uma erradinha no Q3, a volta não foi tão boa, mas estamos evoluindo bastante e no caminho certo. Em termos de estratégia, o desgaste dos pneus abrirá um leque muito grande para muita gente. Pelas nossas posições no grid, estamos um pouco amarrados, talvez não compense arriscar uma troca de pneus. Tem muita coisa para se pensar e analisar antes da prova de amanhã, mas o mais importante será preservar os pneus o máximo possível.

Diego Nunes, P6: Eu fui para o tudo ou nada no Q3, vale a pena arriscar tudo, infelizmente não deu certo, mas a gente sabe que o carro esta bom, e teremos uma excelente corrida. Vamos pra cima brigar pelo pódio.

Allam Khodair, P7: A situação era realmente preocupante. Eu não queria jogar a toalha, mas o tempo corria contra nós e percebi que até alguns mecânicos estavam começando a desanimar. Saí do carro com uma sensação mista. Alívio por ter conseguido classificar mesmo diante de todas as dificuldades, na base da superação, e, ao mesmo tempo, o gostinho de que se nosso início de final de semana não tivesse sido tão ruim, teríamos brigado pelas primeiras fileiras. Mas não tenho dúvidas de que saímos no lucro. Com o ritmo de que temos apresentado em corridas e agora largando dentro do Top10, vamos brigar pelo primeiro pódio do ano. Em toda minha carreira, poucas vezes vi tamanha dedicação e foco do corpo de mecânicos e de nossa parte técnica. Todos dedicados a fazer o carro funcionar para a classificação. Foi o esforço de cada um deles que fez com que conseguíssemos colocar o carro na pista. Estão todos de parabéns e sou muito grato por isso.

Átila Abreu, P8: Esperava estar no Q3 e largar entre os quatro primeiros, sempre estive entre os melhores nos treinos. Porém, desde o primeiro treino, não conseguimos virar na primeira volta, o carro tem demorado a gerar temperatura e não se acha o equilíbrio ideal. Na curva 1 o carro é muito dianteiro na primeira volta e bom no restante da pista, e nas outras voltas fica bom na primeira curva e nem tanto nas outras. Se pegar os trechos eu teria tempo para entrar fácil. Performance do carro tem, mas o problema é gerar temperatura e aproveitar o melhor do pneu. Amanhã tem previsão de chuva, no Q2 dei três voltas no mesmo décimo, talvez nosso carro tenha bom ritmo de corrida, pode ser uma vantagem para nós. Vamos trabalhar para amanhã ser um grande dia

Marcos Gomes, P10: Eu vinha com muita expectativa de entrar para o Q3, mas infelizmente não foi possível. Nós vamos estudar os dados para ver o que aconteceu com o carro e depois trabalhar em cima da estratégia. Se fizermos uma boa corrida 1 amanhã trocando os pneus, eu acredito que poderemos vir fortes para lutar pela vitória na segunda prova. O desgaste de pneus aqui é muito grande e certamente será decisivo amanhã.

Betinho Valério, P12: Estamos evoluindo e isso é muito bom. Aqui em Buenos Aires eu consegui meu primeiro Q2 da temporada. Como estreante em uma categoria que não permite treinos, esse foi um resultado importante. Agora a meta é o top 10. É o melhor acerto de carro que tive no ano todo. E, conforme o pneu vai se desgastando, o meu tempo não cai tanto quanto o dos concorrentes. Então, a perspectiva é boa. Temos um probleminha de motor, infelizmente, mas ainda assim é o melhor carro que tive em 2017 – e está se comportando bem no estilo que gosto de pilotar. Isso tudo me deixou bem confiante e agora é ver até onde conseguimos chegar. A meta é marcar o máximo de pontos que for possível.

Ricardo Zonta, P13: Tenho de agradecer por ter entrado no Q2, foi meio que na sorte porque a minha volta não foi tão boa, perdi um tempo na última curva. Arriscamos tudo e quase não deu para entrar no Q2. Eu esperava mais aderência no Q2, mas o carro estava bastante difícil de guiar, a pista é bem agressiva com os pneus. Tentamos abusar o máximo do balanço do carro para essa volta lançada e temos de focar agora no desgaste de pneus para a corrida, que promete ser bem difícil.

Cacá Bueno, P14: Vou torcer para vir chuva neste domingo e quanto mais coisas improváveis acontecerem na corrida, pode ser melhor para nós. Tem sido um final de semana muito difícil para o nosso carro: trocamos o motor na sexta-feira e praticamente não treinei no segundo livre também. Como eu não tive essa chance de testar um bom setup e desenvolver o carro, o resultado acabou sendo abaixo do esperado. Eu precisei dar duas voltas a mais que a maioria dos pilotos no Q1 e isso me deixou sem pneus para o Q2.

Galid Osman, P15: Cometi um pequeno erro na curva 1 que me custou a volta rápida. Não sei se iria para o Q3 (os três outros carros das equipes de Andreas Mattheis, de Camilo, Pizzonia e Julio Campos, ficaram entre os seis da última sessão), tinha chance, mas certamente não era pra largar de 15º. Agora é paciência, estratégia e sorte. Vamos para uma rodada dupla, tenho um bom carro e possibilidade de marcar ótimos pontos.

Lucas Foresti, P18: Mas não tem nada perdido, não. Amanhã teremos duas corridas provavelmente na chuva, o que vai embolar tudo. Se não chover também estamos no bolo. Estamos animados e vamos para cima.

Felipe Lapenna, P19: O carro estava legal, acabei passando um pouco da freada na curva três, e depois o Márcio Campos rodou na minha frente e atrapalhou, faltou um décimo para entrar no Q2 que era nossa meta. Aqui não estava tão fácil, mas foi uma pena não ter encaixado a volta. Amanhã a corrida é muito longa, os pneus estão acabando, então tem muita coisa para acontecer.

Rafael Suzuki, P20: Não foi a classificação que queríamos, mas não é o fim do mundo, a gente tem potencial, o fato de estarmos largando mais pra trás, abre a cabeça para estratégias diferentes. Agora é pensar e ir atrás dos pontos.

Denis Navarro, P21: Nós tivemos problemas para achar um bom acerto nos treinos livres e isso acabou atrapalhando o nosso desempenho no classificatório. Nós vamos pensar agora na estratégia para a corrida e estamos esperando um resultado melhor amanhã. Vamos ter que privilegiar uma das duas provas, até porque os pneus estão durando muito pouco aqui em Buenos Aires.

Guilherme Salas, P22: Começamos muito mal esse final de semana. Trabalhamos muito no carro e tivemos uma pequena melhora, mas não o suficiente para classificar bem. Agora vamos trabalhar em uma estratégia para as corridas de amanhã. As condições dos pneus farão muita diferença aqui, e ainda há grande possibilidade de chuva, então tudo pode acontecer.

Gabriel Casagrande, P23: Não conseguimos encontrar o melhor acerto do carro e isso influenciou diretamente no nosso resultado na tomada de tempos. Por isso vou torcer pela chuva, pois será igual para todo mundo e teremos mais chances. Caso contrário, vamos fazer uma corrida para limitar o prejuízo.

EB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.