Stock Car – Comentários de domingo – Londrina 2018

Daniel Serra

Marcos Gomes, P2/P17: A equipe fez um ótimo trabalho no box para conseguirmos passar o (Rubens) Barrichello. Tentei chegar próximo do Max (Wilson), mas aqui é muito difícil de ultrapassar e também precisei defender o segundo lugar. Ainda peguei um pouco de óleo na pista na parte final da corrida e perdemos um pouco de rendimento, mas conseguimos chegar em segundo, um bom resultado para nós. Na corrida 2, nós estávamos novamente entre os top-10, mas infelizmente eu recebi um toque do Nelsinho que me tirou da prova. Foi uma pena porque estávamos conseguindo mais alguns pontos importantes.

Daniel Serra, P3/P3: Claro que vim para a etapa em busca de uma vitória, mas, também não imaginava que sairia com dois pódios, então, não tenho do que reclamar. Vi que abrimos uma vantagem na classificação, mas temos apenas um terço do campeonato completado, embora esse resultado mostre a força da equipe.

Rubens Barrichello, P4/P2: Na largada da primeira corrida a aceleração do Max foi melhor, me pegou no pulo. Ali eu perdi a posição, mas o baque maior foi voltar em quarto do pit stop. O carro estava bom, mas ali também vi que teria de economizar para a segunda corrida. Foi na medida quase certa. Se eu tivesse um Hero Push hoje eu o usaria na hora certa, porque eu estava com um carro melhor que o do Di Grassi. De qualquer forma, um quarto e um segundo lugar traz bastante pontos.

Felipe Fraga, P5/P21: Nós mantivemos o terceiro lugar no campeonato, mas o desempenho do final de semana nosso foi abaixo do esperado e a diferença para o líder aumentou. Precisamos trabalhar mais para a próxima corrida, hoje tivemos problemas no pit-stop e eu ainda queimei a largada na corrida 2, então perdi vários pontos importantes. Acho que ganhar a segunda prova era difícil, mas tínhamos boas chances de subir no pódio se eu não tomasse a punição.

Átila Abreu, P6/P15: É lógico que estou aborrecido pela vitória que escapou aqui em Londrina. Tivemos um carro rápido em todas as etapas do ano, e em todas as etapas problemas nos impediram de transformar a performance em pontos no campeonato. Mas não é hora de apontar o dedo pra ninguém. O automobilismo é um esporte coletivo: ganhamos e perdemos juntos. Vamos tirar as lições do que aconteceu aqui hoje para voltar mais fortes no restante da temporada.

Cacá Bueno, P9/P7: O ambiente em Londrina foi maravilhoso, a torcida lotou as arquibancadas, mas foi uma pena nosso resultado final. Eu pedi autorização pelo rádio para antecipar a parada na corrida 2, mas eu deveria ter abortado a entrada no box. Entrei junto com tudo mundo e o pit acabou saindo ruim. Acho que acabei perdendo uns 10 pontos por esse erro nosso. Eu tenho que baixar dois décimos de classificação, o carro em ritmo de corrida é ótimo, mas precisamos também acertar os pit-stops. Nós estamos bem mais fortes do que no ano passado e foi uma pena não ter saído daqui com um pódio na corrida 2.

Thiago Camilo, P10/P4: Nossa estratégia estava dando certo, mandei o sapato no início da corrida e já tinha livrado três segundos para o Cacá. Como eu tinha usado muito o botão de ultrapassagem para chegar em décimo na primeira corrida, sabia que vários pilotos teriam mais pushes que eu, e sabia que faria uma parada longa porque precisava botar muito combustível, mas com tudo isso, se o safety car não tivesse entrado logo antes da abertura da janela de pit stops, eu teria vencido a corrida. Realmente hoje a vitória escapou por uma questão de sorte, mas saímos daqui certos de que a equipe está em evolução e vamos para a próxima corrida, em Santa Cruz do Sul, brigar pelas primeiras posições.

Ricardo Zonta, P13/desclassificado: Estamos em nono no campeonato, tomara que seja a pior posição no ano. Foi a primeira vez que tivemos um carro muito complicado, nunca tive um problema desse. Tentamos ser muito agressivos, foi indo, foi indo, e passamos do limite. O que fizemos na classificação e na corrida serve de aprendizado para as próximas provas. Obrigado aos que me proporcionaram ser premiado mais uma votação do Fan Push este ano.

Valdeno Brito, P16/P19: Infelizmente, largar da segunda metade do grid tem essas consequências. Bola pra frente pois Santa Cruz do Sul é uma pista onde tenho duas vitórias e tenho boas expectativas.

Diego Nunes, P18/P5: Tivemos que abortar a primeira corrida, porque se você não esta entre os doze primeiros as vezes é melhor abandonar e ir para a segunda prova. Fui o segundo carro, ou o terceiro a entrar no pitstop, e foi rápido, ganhamos acho que umas cinco posições no pit e mais umas três ou quatro na pista, deu certo a estratégia dessa vez. Uma pena em Curitiba, que podíamos ter feito igual e saído com mais pontos. Agora temos que acertar a primeira e segunda corrida, largar mais pra frente e continuar na meta de pontos, mais de vinte por etapa. Vamos continuar trabalhando para isso.

Lucas Foresti, P19/P14: A primeira corrida foi bem legal, com uma evolução muito boa em uma pista bem travada. A segunda foi para esquecer. A única coisa boa da etapa foi ter ganhado o último Hero Push, já que na próxima corrida ela terá outro nome. Queria agradecer a cada um que votou e espero poder recompensar o esforço de vocês com um bom resultado em Santa Cruz do Sul. Sobre este fim de semana não tenho muito o que dizer.

Nelsinho Piquet, P20/P18: Vamos tirar o positivo, foi mais um fim de semana de aprendizado, sabíamos que esse ano seria assim. Foi uma corrida difícil, mas o carro tem melhorado, tenho aprendido mais sobre o limite. Toda hora estou aprendendo novas pistas e quando estou pegando já é hora de ir para outro circuito. Largando onde estamos, entre 15º e 20º, é muito perigoso, todos arriscam muito. No momento em que formos para pistas que conheço, como Goiânia e Interlagos, as coisas vão ser diferentes, vamos largar mais à frente, não se envolvendo das confusões e muda bastante.

Rafael Suzuki, P22/P16: Nosso fim de semana em Londrina se resume em altos e baixos. O ponto alto foi a classificação, onde conseguimos passar para o Q2. Faltou apenas um detalhe para estar entre os 10. Então, tivemos um sábado muito bom. Mas sofremos um revés no domingo. Perdemos o ritmo muito cedo na corrida 1, o que não é normal no acerto do carro e o carro teve reações totalmente fora do nosso controle. Ainda não sabemos o que aconteceu, mas acredito que algo possa ter quebrado no carro o que acabou ‘matando’ o nosso domingo. Mas tenho certeza de que iremos reagir. Com todo o trabalho e competência da equipe, acredito que estaremos mais fortes em Santa Cruz. Foi nosso primeiro dia ruim no ano, então vamos continuar trabalhando e voltar a brigar na frente.

Sérgio Jimenez, P23/P8: Foi um final de semana, que começou muito bem, ontem andamos na frente na maioria dos treinos, mas na classificação tivemos um problema, podíamos ter largado mais para frente, o que facilita bastante no desempenho da corrida em uma pista como Londrina, mas nosso saldo é positivo. Estamos na quarta corrida da equipe e sabemos que estar entre os oito em uma categoria como a Stock Car nos deixa satisfeitos. A equipe fez um ótimo trabalho e tínhamos um carro com um ritmo muito bom de corrida.

Guilherme Salas, P24/abandonou: Vinha num ritmo razoável, porque a estratégia era tentar um resultado melhor na corrida 2. Então, eu vinha economizando os pneus. Mas do meio para o final da prova, quebrou a mangueira de óleo e isso me obrigou a abandonar ainda na corrida 1.

Guga Lima, P25/P20: Ficou um gosto amargo hoje. Tínhamos um carro competitivo e chances de ficar em uma boa posição na segunda corrida. É ruim ficar sem pontuar quando se tem boas chances como essa de somar muitos pontos, mas isso é do esporte e só nos resta olhar pra frente.

Denis Navarro, P26/abandonou: Nós viemos com uma estratégia inteira para privilegiar a segunda corrida, estava na frente do Diego (Nunes) que chegou em quinto na prova 2, então eu tinha grandes chances de terminar no top-5 dessa segunda prova. Infelizmente fui tirado da prova e é inadmissível um piloto com a experiência do (Antonio) Pizzonia fazer isso. É a segunda que ele faz isso comigo, mas ele teve a punição correta da direção de prova. É bem difícil, mas é coisa de corrida e vamos pensar na próxima.

Bia Figueiredo, abandonou/P13: Era um fim de semana para marcar pontos. A gente vem evoluindo o carro, não chegamos no ponto em que podemos e vamos chegar, mas levar uma batida logo na largada da primeira é triste. Daqui a duas semanas tem mais e vamos buscar pontos.

EB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.