Porsche Carrera Cup – Na classe 4.0, Pedro Aguiar vence pela primeira vez

Porsche Cup 2019

A Porsche Império Carrera Cup iniciou os trabalhos em Interlagos com o quali para a rodada dupla deste sábado e as duas corridas adiadas da etapa do Estoril. E não faltou emoção. Pela Carrera Cup 4.0, Pedro Aguiar sustentou a liderança largando da pole, liderou todas as voltas e venceu pela primeira vez com estilo. Já na 3.8, Felipe Baptista fez magistral largada de quarto para primeiro e seguiu abrindo vantagem para o pelotão até a bandeira quadriculada.

Nas classes GT3 as disputas foram muito acirradas. Na 4.0, Adalberto Baptista prevaleceu no final após briga intensa com seus concorrentes diretos no campeonato: Sylvio de Barros e Rodrigo Mello. Já na 3.8, Chico Horta contou com muita perícia e uma boa dose de sorte. Ele largou da pole e segurou a vice-liderança desde a primeira curva -até com uma vantagem confortável sobre o terceiro a partir de metade da prova. Mas rodou no fim da reta faltando dois minutos. Só que outro competidor rodou no mesmo trecho menos de um minuto mais tarde, determinando a interrupção da prova com a bandeira vermelha. Valendo a classificação da volta anterior, Horta figurou em segundo no geral e vencedor na classe de entrada.

Antes das corridas, os carros de competição mais produzidos no planeta realizaram treinos livres e classificatórios para a sexta reunião do ano, a penúltima do campeonato de sprint.

O líder do campeonato, Vitor Baptista, parte da posição de honra na classe 4.0. Enzo Elias, que perdeu a liderança para Felipe Baptista ao abandonar a prova desta sexta-feira vencida pelo adversário, larga da pole na 3.8.

As corridas têm início às 10h35 com a 4.0. A primeira bateria da 3.8 larga às 11h20. Ambas serão transmitidas ao vivo pelos canais da Porsche Império Carrera Cup no Facebook e Youtube, além do site oficial. A transmissão pelo canal SporTV 3 tem início às 12h30 com as corridas da manhã em VT e as da tarde, com largada às 14h e 14h50, ao vivo.

As corridas
4.0
Na largada, o pole position Pedrinho Aguiar manteve o primeiro lugar à frente de Marçal Müller, que ganhou posições, e Marcel Coletta, Ricardo Baptista, Eloi Khouri e Vitor Baptista. Mais atrás, Rouman Ziemkievicz escapou na Descida do Lago, e Miguel Paludo e Werner Neugebauer subiram para 11º e 12º. Na GT3, Sylvio de Barros ponteou após a largada.

Na segunda volta, Vitor começou sua escalada ao passar Khouri, enquanto Coletta e Baptista deixaram Müller para trás. Duas voltas depois, Vitor Baptista passou Marçal no “S” do Senna e pulou para quarto. Sylvio chegou a dar uma espalhada, mas Adalberto Baptista não conseguiu a ponta na GT3, enquanto Paludo e Werner seguiam subindo, para nono e décimo no geral.

Faltando 13 minutos, Vitor tentou pressionar Ricardo Baptista, sem sucesso. Já Neugebauer tentou aproveitar a disputa entre Paludo e Barros e mergulhou por fora no “S” do Senna, mas acabou fora da pista, enquanto Miguel saltou para sétimo. Werner chegou a escapar mais uma vez no fim da reta principal e depois entrou nos boxes.

Vitor seguiu no ataque em cima de Ricardo, que chegou a sair da pista na entrada da Reta Oposta, mas manteve o terceiro lugar. Na GT3, Adalberto Baptista de tanto insistir conseguiu a ultrapassagem sobre Sylvio de Barros e assumiu a ponta da classe. Rodrigo Mello aproveitou e encostou em Sylvio.

A disputa continuou intensa entre Vitor e Ricardo, e Aguiar seguia com uma vantagem sobre Coletta sempre acima dos dois segundos. Paludo seguiu acelerando forte e passou Khouri para ficar em sexto.

A menos de dois minutos do fim, Vitor finalmente passou Ricardo, na segunda perna do “S” do Senna, mas, após uma tentativa de troco, o líder do campeonato acabou rodando após contato e perdeu três posições.

Nas voltas finais, começou a garoar, mas Pedrinho Aguiar manteve a liderança para conquistar sua primeira vitória 1s186 à frente de Marcel Coletta, com Ricardo Baptista, Marçal Müller, Miguel Paludo, Vitor Baptista e Eloi Khouri a seguir.

Oitavo no geral, Adalberto Baptista venceu na GT3 seguido de muito perto por Sylvio de Barros e Rodrigo Mello, com os dois a menos de um segundo do vencedor.

3.8
Na largada, Felipe Baptista atacou Chico Horta para assumir a liderança na segunda perna do “S” do Senna, enquanto Matheus Iorio abandonou a prova após um contato com Fran Lara – o carro #34 teve danos no radiador após coletar o carro de Enzo Elias, que seguiu na prova.

O safety car entrou na pista e ficou até faltarem 20 minutos para o fim. Na relargada, Baptista manteve-se à frente de Chico Horta, César Urnhani e Enzo Elias. Este assumiu o terceiro lugar na mesma volta ao passar Urnhani e logo depois pulou para segundo lugar após bela ultrapassagem na Junção sobre Horta. Mais atrás, Fran Lara quase rodou no Laranjinha, mas conseguiu segurar o carro.

Na abertura da quinta volta, Leo Sanchez teve bela disputa com Ramon Alcaraz e Fran Lara. Faltando 14 minutos para o fim, André Gaidzinski rodou no Pinheirinho e, na mesma volta, Fran Lara ficou parado bem no meio da curva no Bico de Pato, ficando em posição perigosa.

Já Enzo Elias, com danos na parte frontal de seu carro, entrou nos boxes e abandonou. Com isso, Chico Horta passou para seguindo à frente de Urubatan Jr., Marcelo Tomasoni e César Urnhani, com Márcio Mauro e Ramon Alcaraz travando belo duelo na GT3. Na décima volta, Mauro passou Urnhani para ficar em quinto no geral e terceiro na GT3. Mais atrás, Nelsinho Monteiro, Leo Sanchez, Zeca Feffer faziam grande duelo pelas últimas posições no top 10.

A menos de dois minutos da bandeirada, Alcaraz fez bela manobra na segunda perna do “S” do Senna para superar Urnhani e assumir o sexto lugar. Logo em seguida, Paulo Totaro ficou atravessado na entrada da Reta Oposta, mas conseguiu voltar para o traçado.

No fim, a garoa voltou a cair, e Chico Horta bateu no muro interno do “S” do Senna, o que deu a segunda posição a Marcelo Tomasoni. Segundos depois, Georgios Frangulis escapou numa dinâmica bem parecida, mas bateu com mais violência na proteção de pneus, e a bandeira vermelha foi agitada, encerrando a corrida.

Felipe Baptista ficou com a vitória, e, como houve a bandeira vermelha, a classificação válida foi a da volta anterior, com Chico Horta ainda terminando em segundo lugar no geral e vencendo na classe GT3. Marcelo Tomasoni, Urubatan Junior e Márcio Mauro completaram o top 5, à frente Ramon Alcaraz e César Urnhani.

Os qualis
4.0
No Q1 da 4.0, o primeiro a estabelecer um tempo competitivo foi Marcel Coletta, seguido por Miguel Paludo e Vítor Baptista. Ricardo Baptista fez o quarto tempo, seguido por Werner Neugebauer. A disputa pelo décimo e último lugar na superpole era entre Eloi Khouri, Sylvio de Barros e Adalberto Baptista. O melhor GT3 era Maurizio Billi, em oitavo.

Na parte final do Q1, não houve alterações entre os primeiros colocados, e os pilotos que avançaram à superpole foram Coletta, Paludo, Vitor, Ricardo, Werner, Alceu Feldmann (retornando à categoria após ter ficado fora em Portugal), Marçal Müller, Maurizio Billi, que garantiu a pole na GT3, Pedro Aguiar e Eloi.

Na superpole, Werner foi o primeiro a registrar um bom tempo, com 1m37s257. Em seguida, vinham Ricardo Baptista e Eloi Khouri. A três minutos do fim, os pilotos começaram a baixar da casa de 1m37s, com Werner seguido de Eloi, Vitor e Marçal. Faltando um minuto e meio, Paludo assumiu a pole e logo depois foi ultrapassado por Vitor.

No finalzinho, Coletta se posicionou em segundo lugar, mas a pole da primeira corrida de sábado ficou mesmo com Vitor Baptista, que pôde até tirar o pé na sua última volta lançada. Coletta fechou a primeira fila, seguido por Paludo, Feldmann, Müller, Ricardo Baptista, Aguiar, Kfouri, Neugebauer e Billi, este com a pole na GT3.

3.8
No começo do treino da 3.8, a trinca que vem dominando o campeonato, formada por Felipe Baptista, Enzo Elias e Matheus Iorio, eram os únicos abaixo da casa de 1m40 e ocupavam os três primeiros lugares. Depois, vinham Marcelo Tomasoni e os pilotos da GT3, com Chico Horta, o estreante Lucas Salles, Márcio Mauro, Fran Lara, Nelson Monteiro e Urubatan Jr.

Durante o Q1, a disputa pelo décimo lugar era entre Paulo Totaro e Nelson Monteiro, mas Marco Billi chegou para a briga nos minutos finais. Faltando um minuto, os ponteiros já estavam dentro do box esperando pela superpole enquanto Nelson Monteiro sustentava o décimo lugar apesar de uma fritada de pneu que comprometia o equilíbrio do carro #87. Monteiro era o décimo, seguido por Urubatan Jr e Zeca Feffer. Lucas Salles vinha na liderança da GT3 e em quarto no geral.

Os dez classificados para a superpole foram na seguinte ordem: Felipe Baptista, Enzo Elias, Matheus Iorio, Lucas Salles, Matheus Iorio, Marcelo Tomasoni, Fran Lara, Chico Horta, Marco Billi e Nelson Monteiro.

Na superpole, Enzo Elias tomou a liderança, com Felipe Baptista e Matheus Iorio se revezando no segundo lugar à frente de Fran Lara e Chico Horta. A vantagem de Enzo era de 0s3 para o terceiro, e Lucas Salles pulou para quarto. A ordem se manteve, com Lara em quinto à frente de Mauro, Horta, Tomazoni, Billi e Monteiro.

O que eles disseram:
“Teve um pouquinho de nervosismo, primeira vez liderando e mantendo uma boa distância, mas o carro começou a ficar desequilibrado. Acertei o carro para ficar melhor no começo da prova, mas no fim ficou um pouco traseiro. Além disso, começaram a cair umas gotinhas, e tive de ir me adaptando. Mas foi muito bom e estou muito feliz pela minha primeira vitória. Queria agradecer a todos da minha família que me apoiam, a minha namorada não pôde estar, mas fico muito feliz por todos.”
Pedrinho Aguiar

“No começo, a chuva estava bem fraquinha, e a pista não estava tão ruim. Consegui fazer uma largada muito boa, saltei muito bem, freei tarde. Quando olhei pelo retrovisor para ver quem estava atrás, vi alguns carros batendo, um deles o Iorio, que poderia ter sido um dos que disputariam a corrida comigo. Depois ouvi pelo rádio que o Enzo tinha abandonado. Isso não é tão legal, eu gosto de ter uma corrida com disputas e tudo mais, mas para o campeonato foi maravilhoso. Estou bem feliz com a corrida, a pista estava bem escorregadia agora no fim. No fim da reta estavam caindo muitos pingos, mais do que na outra parte da pista. Agora é comemorar mais uma vitória, igualei o Enzo com três. Antes de entrar no carro, iquei bravo com a corrida do Vitor, ele estava tentando ultrapassar a corrida inteira, e houve um toque. Foi um toque de corrida, mas por ser meu irmão, fiquei um pouco bravo. Sabemos que é toque de corrida, mas depois do que aconteceu com o meu irmão, vou correr por ele e vencer. Eu já entrei no carro determinado, e consegui uma grande vitória para ele ficar feliz. Na largada eu já consegui demonstrar isso. Estou bem feliz e ele também deve ter ficado, mesmo tendo acontecido aquilo com ele, mas, por eu ter ganho, ele deve ter ficado muito feliz.”
Felipe Baptista

“Foi bem legal, o meu carro estava melhor do que o do Sylvio no começo, e ele me segurou, mas no fim o carro dele estava bem melhor e fiz o que pude para segurar. Cada parte da corrida, cada um estava mais rápido, mas deu para segurar no fim.”
Adalberto Baptista

“Estava muito aborrecido quando saí do carro: vinha fazendo uma corrida ótima, larguei da pole no geral, vinha rápido com ritmo bom e tudo… até que rodei no final da reta. Fiquei P da vida, tirei o cabo do rádio e voltei a pé para o box. Então cheguei lá e os mecânicos me receberam com festa, falaram da bandeira vermelha. Foi com sorte hoje, mas isso faz parte das corridas e no fim volto para casa contente pelo que fizemos aqui hoje. Amanhã tem mais”
Chico Horta

“Eu estava com problema de freio, que não estamos conseguindo achar, estava travando a roda traseira e também a dianteira. Isso pode ter nos tirado a vitória hoje, mas vamos trabalhar pensando na corrida de amanhã”
Marcel Coletta

“É um fim de semana muito importante para nós, pois será decidido o representante brasileiro no Junior Program global da Porsche e isso nos dá uma responsabilidade grande. Os treinos foram bons, não conseguimos testar tudo que queríamos, mas mesmo assim conseguimos nossa primeira pole position do ano. Estou muito feliz com o trabalho da equipe. Na corrida, que correspondeu a segunda de Portugal, largamos em quinto e tentei fazer uma prova com a cabeça. Perdi uma posição na largada, mas retomei depois pois tinha um bom ritmo. Acabei tocando com meu adversário e levei a pior, perdendo duas posições. Não era o que imaginávamos para hoje, mas são pontos importantes. Vamos nos concentrar para amanhã, é um outro dia, como se fosse um outro fim de semana. Vamos focar para conseguir o melhor resultado possível. Temos todas as ferramentas para conseguir um bom resultado e pontuar bem”.
Vitor Baptista

“Preferia ter ganho a corrida, é óbvio, mas meu objetivo era continuar em primeiro no campeonato. Num determinado momento da corrida, eu estava mais rápido do que eles, mas não dava para arriscar, sem freio ABS, corre o risco de dechapar o pneu e perder pontos importantes. Fiquei ali comboiando, esperto, se sobrasse alguma coisa para mim, eu aproveitava, senão também, amanhã é outro dia, vamos batalhar e tentar de novo.”
Rodrigo Mello

Resultados:
Corrida 2 (Estoril)
4.0
1. Pedro Aguiar – 27:44.160
2. Marcelo Coletta – a 1.186
3. Ricardo Baptista – a 10.000
4. Marçal Muller – a 10.353
5. Miguel Paludo – a 10.747
6. Vitor Baptista – a 11.637
7. Eloi Khouri – a 13.982
8. Adalberto Baptista (*) – a 22.835
9. Sylvio de Barros (*) – a 22.994
10. Rodrigo Mello (*) – a 23.395
11. Maurízio Billi (*) – a 27.370
12. Carlos Ambrosio (*) – a 37.623
13. Dominique Teysseyre (*) – a 53.760
14. Werner Neugebauer – 5 voltas
15. Rouman Ziemkiewicz (*) – 17 voltas
(*) GT3 Cup

Corrida 2 (Estoril)
3.8
1. Felipe Baptista – 24:21.714
2. Franciso Horta (*) – a 19.100
3. Marcelo Tomasoni – a 22.062
4. Urubatan Junior (*) – a 23.094
5. Márcio Mauro (*) – a 28.948
6. Ramon Alcaraz (*) – a 38.830
7. Cesar Urnhani (*) – a 39.538
8. Nelsinho Marcondes (*) – a 44.180
9. Nelson Monteiro (*) – a 46.098
10. Marco Billi (*) – a 47.354
11. Leonardo Sanchez (*) – a 49.180
12. Fran Lara (*) – a 49.331
13. Zeca Feffer (*) – a 50.270
14. André Gaidzinski (*) – a 59.736
15. Eduardo Menossi (*) – a 1:11.622
16. Georgios Frangulis (*) – a 1:12.414
17. SangHo Kim (*) – a 1:12.482
18. Paulo Totaro (*) – 1 volta
19. Enzo Elias – 8 voltas
20. Matheus Iorio – 14 voltas
(*) GT3 Cup

Quali
4.0
1. Vitor Baptista – 1:36.285
2. Marcel Coletta – 1:36.358
3. Miguel Paludo – 1:36.451
4. Alceu Feldmann – 1:36.672
5. Marçal Müller – 1:36.789
6. Ricardo Baptista – 1:36.817
7. Pedro Aguiar – 1:36.838
8. Eloi Khouri – 1:36.860
9. Werner Neugebauer – 1:36.860
10. Maurizio Billi (*) – 1:37.535
11. Sylvio de Barros (*) ñ 1:38.008
12. Adalberto Baptista (*) ñ 1:38:025
13. Rouman Ziemkiewicz (*) ñ 1:38:360
14. Rodrigo Mello (*) – 1:38.539
15. Dominique Teysseyre (*) – 1:39.293
(*) GT3 Cup

Quali
3.8
1. Enzo Elias – 1:38.594
2. Felipe Baptista – 1:38.710
3. Matheus Iorio – 1:38.893
4. Lucas Salles (*) – 1:39.095
5. Fran Lara (*) – 1:39.244
6. Marcio Mauro (*) – 1:39.728
7. Francisco Horta (*) – 1:39.732
8. Marcelo Tomasoni – 1:39.733
9. Marco Billi (*) – 1:39.771
10. Nelson Monteiro (*) – 1:40.556
11. Urubatan Junior (*) – 1:40.685
12. Zeca Feffer (*) – 1:40.848
13. Ayman Darwich (*) – 1:40.893
14. Ramon Alcaraz (*) – 1:40.965
15. Paulo Totaro (*) – 1:41.018
16. Cesar Urnhani (*) – 1:41.067
17. André Gaidzinski (*) – 1:41.402
18. Nelsinho Marcondes (*) – 1:41.545
19. Georgios Frangulis (*) – 1:42.072
20. Eduardo Menossi (*) – 1:42.107
21. SangHo Kim (*) – 1:42.376
22. Leonardo Sanchez (*) – 1:42.769
(*) GT3 Cup

Os campeonatos
Carrera Cup 4.0
1. Vitor Baptista, 140 pontos
2. Marçal Müller, 126
3. Ricardo Baptista, 106
4. Marcel Coletta, 100
5. Eloi Khouri, 96
6. Miguel Paludo, 84
7. Pedro Aguiar, 81
8. Werner Neugebauer, 65
9. Alceu Feldmann, 59
10. Rodrigo Mello, 44
11. Sylvio de Barros, 41
12. Adalberto Baptista, 40
13. Maurizio Billi, 33
14. Dominique Teysseyre, 29
15. Carlos Ambrósio, 22
16. Rouman Ziemkiewicz, 18
17. Tom Filho, 14
Daniel Schneider, 14
Foressi, 14
20. Carlos Renaux, 4
21. Rodolfo Toni, 3
22. Neto, 2

GT3 Cup 4.0
1. Rodrigo Mello, 55 pontos
2. Sylvio de Barros, 54
3. Adalberto Baptista, 52
4. Maurizio Billi, 38
5. Dominique Teysseyre, 36
6. Carlos Ambrósio, 28
7. Rouman Ziemkiewicz, 22
8. Foressi, 21
9. Tom Filho, 19
10. Carlos Renaux, 6
11. Rodolfo Toni, 4
12. Neto, 3

Carrera Cup 3.8
1. Felipe Baptista, 146 pontos
2. Enzo Elias, 140
3. Matheus Iorio, 114
4. Marcelo Tomasoni, 96
5. Urubatan Jr., 79
6. Fran Lara, 74
7. Nelson Monteiro, 73
8. Francisco Horta, 60
9. Ramon Alcaraz, 56
10. Marco Billi, 45
11. Cesar Urnhani, 41
12. Nelson Marcondes, 38
13. Ayman Darwich, 22
14. Paulo Totaro, 21
15. Murilo Coletta, 20
16. Andre Gaidzinski, 19
Leonardo Sanchez, 19
18. Pedro Marreiros, 16
Eduardo Menossi, 16
20. Raphael Reis, 12
Zeca Feffer, 12
Márcio Mauro, 12
23. José Carlos Vitte, 10
24. Alessandro Marchini, 7
25. Sang Ho Kim, 6
26. Gustavo Kiryla, 5
27. Matheus Coletta, 0
Georgios Frangulis, 0
Paulo Pomelli, 0

GT3 Cup 3.8
1. Fran Lara, 57 pontos
2. Urubatan Jr., 56
3. Nelson Monteiro, 49
4. Francisco Horta, 38
Ramon Alcaraz, 38
6. Cesar Urnhani, 28
7. Marco Billi, 26
8. Nelson Marcondes, 23
9. Paulo Totaro, 12
Ayman Darwich, 12
11. Andre Gaidzinski, 11
12. Márcio Mauro, 6
13. Alessandro Marchini, 5
Zeca Feffer, 5
José Carlos Vitte, 5
16. Leonardo Sanchez, 3
17. Eduardo Menossi, 2
18. Sang Ho Kim, 0
Georgios Frangulis, 0
Paulo Pomelli, 0

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.