Piloto da Semana: GP da Áustria – 06/07/2016

Lewis Hamilton

Lewis Hamilton

Nome: Lewis Hamilton. Nascimento: 7 de janeiro de 1985, em Stevenage (Inglaterra). Equipe: Mercedes GP (Fórmula 1). Títulos: Multicampeão no Kart (entre 1996 e 2000); Campeão britânico de Fórmula Renault (2003); Campeão europeu de Fórmula 3 (2005); Campeão da GP2 (2006); Três vezes campeão da F1 (2008, 2014 e 2015).

Lewis Hamilton conquistou a vitória no GP da Áustria após uma colisão com seu companheiro de equipe Nico Rosberg na última volta.

Lutando pela liderança no Red Bull Ring, Hamilton colocou por fora de Rosberg na curva 2 e fui empurrado para fora da pista em mais um toque entre os pilotos da Mercedes.

Rosberg sofreu danos severos em sua asa dianteira e acabou sendo ultrapassado não só por Hamilton, mas também por Max Verstappen (Red Bull) e Kimi Raikkonen (Ferrari).

Foi um final empolgante para um GP que começou com Hamilton finalmente convertendo a pole position na liderança após a primeira curva, algo que ele ainda não havia conseguido em 2016.

Largando em sexto depois de cumprir uma punição pela troca da caixa de câmbio devido à sua batida no último treino livre, Rosberg ganhou uma posição e completou a primeira volta em quinto.

Logo após ganhar a quarta posição de Jenson Button (McLaren-Honda), Rosberg parou para trocar os pneus ultramacios pelos macios na 10ª passagem.

Com Rosberg voltando em 15º a 30s do líder, Hamilton fez um ótimo trabalho para extrair o máximo dos pneus ultramacios que haviam sofrido bolhas tão rapidamente nos treinos – ajudado pela temperatura mais baixa.

Apesar de Hamilton ter conseguido segurar o segundo colocado Raikkonen, Rosberg reduziu a vantagem do britânico para 21.9s antes do primeiro pit-stop de Hamilton na 21ª volta.

Uma troca lenta da roda traseira esquerda também atrapalhou Hamilton, e ele voltou alguns segundos atrás de Rosberg. Raikkonen parou na passagem seguinte, mas retornou em sexto atrás da dupla da Red Bull.

Sebastian Vettel (Ferrari) permaneceu na pista e assumiu a liderança, mas seu pneu traseiro direito explodiu na reta principal apenas cinco voltas depois, com a Pirelli apontando detritos no circuito como a causa.

Vettel ficou parado na pista e provocou a entrada do safety car. Na relargada, Rosberg manteve a ponta à frente de Hamilton, Verstappen, Daniel Ricciardo (Red Bull) e Raikkonen, com as Mercedes rapidamente abrindo vantagem.

Ambos pararam mais uma vez; Hamilton entrou quando restavam 19 voltas e colocou pneus macios usados. O pit-stop novamente não foi dos melhores, e uma perda de tempo adicional na curva 2 permitiu que Rosberg se mantivesse à frente após sua parada na passagem seguinte.

Os dois tiveram de passar Verstappen, que estava cuidando de seus pneus em um trecho de 56 voltas até a chegada, antes de iniciarem um duelo fantástico que terminou com o toque na última volta e uma vitória crucial para Hamilton.

Atrás de Verstappen, Raikkonen completou o pódio à frente de Rosberg e Ricciardo, que fez uma parada no final para colocar os ultramacios. Button se manteve entre os líderes e terminou em sexto, seguido por Romain Grosjean (Haas) e Carlos Sainz (Toro Rosso).

Campeão da Fórmula 1 em seu segundo ano, na ocasião o mais jovem da história na categoria. Esse feito foi alcançado pelo inglês Lewis Hamilton. Após uma grande temporada de estreia pela McLaren em 2007, com quatro vitórias (Canadá, Estados Unidos, Hungria e Japão) e o vice-campeonato, Hamilton corrigiu a “injustiça” do ano anterior, quando perdeu o título tendo 17 pontos de vantagem para o segundo colocado, restando duas provas para o final.

Em 2008, o inglês teve cinco vitórias (Austrália, Mônaco, Inglaterra, Alemanha e China), e só não conquistou mais uma devido a uma punição discutível na Bélgica. Uma temporada fantástica, engrandecida pelo desafio imposto pela Ferrari e pelo brasileiro Felipe Massa, em uma questão decidida apenas nas curvas finais da última etapa em Interlagos. Em 2009, a McLaren só reagiu na segunda metade da temporada, tempo suficiente para que Lewis vencesse dois GPs: Hungria e Cingapura.

Em 2010, com um carro melhor, ele encarou o poderio da Red Bull e chegou a liderar o campeonato, com três vitórias (Turquia, Canadá e Bélgica). No ano seguinte, em um ano conturbado, conseguiu ao menos outros três triunfos (China, Alemanha e Abu Dhabi). Em 2012, mais três vitórias (Canadá, Hungria e Itália), mas o título não veio devido a muitas quebras do carro da McLaren.

Após seis anos na McLaren, Lewis Hamilton decidiu mudar de ares e está na Mercedes desde 2013. Decisão que tem se mostrado acertada: obteve quatro pole positions e uma vitória (no GP da Hungria) em seu primeiro ano, e já no segundo foi campeão ao obter sete poles e 11 vitórias nas 17 etapas iniciais: Malásia, Bahrain, China, Espanha, Inglaterra, Itália, Cingapura, Japão, Rússia, Estados Unidos e Abu Dhabi.

Em 2015, o domínio foi ainda maior. Em 19 etapas, foram 11 poles e dez vitórias (Austrália, China, Bahrain, Canadá, Inglaterra, Bélgica, Itália, Japão, Rússia e Estados Unidos). O tri foi confirmado com três provas de antecipação. O ano de 2016 não começou bem, mas Lewis Hamilton já está em plena recuperação, tendo vencido as provas de Mônaco, Canadá e Áustria. A briga pelo quarto título é uma realidade. Por isso, ele é o Piloto da Semana do Autoracing!

Lewis Hamilton (F1) obteve a vitória entre os internautas com 44% dos votos. Max Verstappen (F1) ficou na segunda posição com 26% dos votos.

Texto: Eduardo Behling e Leandro Schmidt – www.autoracing.com.br

 

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.