Os 25 pilotos que morreram na F1

f1-san-marino-1994

San Marino – 1994

O esporte que curtimos é uma atividade de alto risco. Não existe como mitigar todos os riscos quando carros ou motos estão em circuitos correndo uns contra os outros a altíssimas velocidades.

Como homenagem a todos que perderam suas vidas nos esportes a motor, nós olhamos para trás e listamos os 25 pilotos mortos durante um fim de semana de Grand Prix, na sequência da morte de Jules Bianchi, nove meses após um acidente devastador no GP do Japão.

1. Onofre Marimon (ARG) aos 30 anos

31 de julho de 1954: Acidente horrível em um Maserati durante os treinos para o GP da Alemanha na pista antiga de Nurburgring – foi dada a ele a extrema-unção pouco depois.

Onofre-Marimon

Onofre Marimon

2. Luigi Musso (ITA) aos 33 anos

06 de julho de 1958: Ele se envolveu em disputas emocionantes, mas perigosas com Peter Collins e Mike Hawthorn. Foi enquanto perseguia Hawthorn em uma Ferrari rival no Grande Prêmio da França que ele encontrou seu fim, seu carro acerta uma vala e sai capotando. Musso ainda foi levado quase sem vida ao hospital, onde morreu de ferimentos na cabeça pouco depois. Hawthorn, ironicamente morreu depois que se aposentou, em um acidente de carro.

Luigi-Musso

Luigi Musso

3. Peter Collins (GBR) aos 26 anos

03 de agosto de 1958: Foi a morte de Collins que provocou a aposentadoria de Hawthorn. Collins, cuja natureza rebelde o viu expulso da escola com 16 anos por passar mais tempo no recinto de diversão do que a sala de aula, foi lançado de sua Ferrari quando atingiu uma vala em Nurburgring, de forma assustadoramente semelhante a Musso, e ele bateu em uma árvore sofrendo ferimentos graves na cabeça que o levaram a morte.

f1-peter-collins

Peter Collins

4. Stuart Lewis-Evans (GBR) aos 28 anos

25 de outubro de 1958: Lewis-Evans, companheiro de equipe de Stirling Moss, tinha garantido dois pódios naquela temporada em seu carro Vanwall. Morreu de queimaduras graves que sofreu no GP do Marrocos no fim da temporada. O dono da equipe Tony Vandervel ficou tão chocado que, apesar de a equipe vencer o campeonato de construtores, ele saiu do esporte no final do mesmo ano.

stuart-lewis-evans

Stuart Lewis Evans

5. Chris Bristow (GBR) aos 22 anos. Aaln Stacey (GBR) aos 26 anos

19 de junho de 1960: Bristow e Stacey morreram com diferença de minutos em uma dupla tragédia que atingiu o GP da Bélgica em Spa-Francorchamps. Bristow, conhecido como o “homem selvagem da Formula 1” por abandonar a prudência ao competir, foi decapitado quando o impacto do acidente o fez voar para fora de seu Cooper em direção a uma cerca de arame farpado. Inacreditavelmente Stacey morreu no mesmo local – Moss tinha ficado gravemente ferido nos treinos no dia anterior – depois de um acidente quando um pássaro voou no rosto dele cegando o piloto da Lotus.

Chris-Bristow

Chris Bristow

7. Wolfgang von Trips (ALE) aos 33 anos

10 de setembro de 1961: A linha tênue entre o sucesso e a tragédia estavam em plena floração neste caso, já que o aristocrata alemão só precisava terminar em terceiro no GP da Itália para ganhar o campeonato. No entanto, sua Ferrari tocou com Jim Clark e ele perdeu o controle rodando duas vezes antes de atingir uma barreira lateral, que também resultou na morte de 15 espectadores.

Wolfgang-von-Trips

Wolfgang von Trips

8. Carel de Beaufort (HOL) aos 30 anos

02 de agosto de 1964: Também de uma família nobre, ele foi o primeiro holandês a marcar pontos na Fórmula 1 e seu carro, na maioria das vezes um Porsche, sempre se destacou pela cor laranja. No entanto, um acidente nos treinos para o GP da Alemanha em Nurburgring deixou-o lutando por sua vida com ferimentos no peito, perna e cabeça e apesar de ser movido para um hospital especializado em Colônia, não foi suficiente para salvar sua vida.

Carel-de-Beaufort

Carel de Beaufort

9. John Taylor (GBR) aos 33 anos

08 de setembro de 1966: Mais uma vítima de Nurburgring desta vez com queimaduras infligidas após uma colisão entre seu Brabham e o carro do belga Jacky Ickx nas voltas iniciais do GP da Alemanha. Ele sobreviveu durante quatro semanas antes de finalmente sucumbir aos seus ferimentos.

John Taylor

John Taylor

10. Lorenzo Bandini (ITA) aos 31 anos

10 de maio de 1967: Lorenzo Bandini foi outro que não sobreviveu em razão de queimaduras graves – que cobriram quase três quartos de seu corpo – quando o tanque de combustível de sua Ferrari explodiu após um acidente durante o GP de Mônaco.

Lorenzo-Bandini

Lorenzo Bandini

11. Jo Schlesser (FRA) aos 40 anos

07 de julho de 1968: Mesmo o piloto de testes John Surtees tendo dito que o F1 da Honda não estava apto para a corrida, a equipe foi em frente e entrou no GP da França. Infelizmente Surtees provou que estava certo quando Schlesser foi envolvido em chamas quando seu carro saiu da pista no início da corrida. Sua morte não impediu seu sobrinho Jean-Louis Schlesser de entrar no automobilismo.

Jo-Schlesser

Jo Schlesser

12. Gerhard Mitter (ALE) aos 33 anos

01 de agosto de 1969: O piloto tcheco morreu durante o treino para o GP da Alemanha em Nurburgring com sua BMW. Suspeita-se que houve uma quebra de suspensão ou direção e a BMW retirou seus outros carros da corrida.

Gerhard-Mitter

Gerhard Mitter

13. Piers Courage (GBR) aos 28 anos

21 de junho de 1970: Herdeiro “etoniano” (estudou no Eton College, escola de grande prestígio fundada em 1440 por Henrique VI da Inglaterra) de uma antiga e grande cervejeira britânica que era mais conhecido por seu interesse em corridas de cavalos, morreu quando uma das rodas de seu De Tommaso rompeu com o impacto em um acidente no GP da Holanda em Zandvoort.

Piers-Courage

Piers Courage

14. Jochen Rindt (AUT) aos 28 anos

05 de setembro de 1970: Seria justo dizer que sua morte foi o perfil mais alto até o trágico acidente de Senna? Ao contrário de seu compatriota Von Trips, a morte não o privou do título, já que ele é o único a ganhar postumamente. Rindt, cujos pais foram mortos em um bombardeio aliado durante a Segunda Guerra Mundial e, como resultado ele foi criado na Áustria por seus avós, morreu quando sofreu ferimentos fatais na garganta por ter deslizado sob o cinto de segurança em um acidente durante os treinos para o GP da Itália em Monza.

Jochen-Rindt

Jochen Rindt

15. Roger Williamson (GBR) aos 25 anos

29 de julho de 1973: Incrivelmente ele bateu e morreu exatamente no mesmo lugar de Piers Courage em Zandvoort três anos antes. Apesar dos melhores esforços de seu rival e amigo próximo David Purley para tirá-lo de seu carro em chamas – enquanto os comissários de pista faziam nada – Williamson morreu sufocado. Purley foi posteriormente homenageado com uma medalha por heroísmo pela Rainha Elizabeth II.

Roger-Williamson

Roger Williamson

16. François Cevert (FRA) aos 29 anos

06 de outubro de 1973: Seu sobrenome era Goldenberg, mas durante a Segunda Guerra Mundial – seu pai se juntou a Resistência – a fim de não atrair a atenção por ser judeu e a família adotou o sobrenome de sua mãe. A morte de Cevert em Watkins Glen foi duplamente trágica, já que ele iria substituir seu companheiro (e amigo) de equipe Tyrell, Jackie Stewart como piloto número um. Sua habilidade tinha persuadido o escocês a se aposentar, e a morte de Cevert o levou a fazê-lo uma corrida antes do planejado, assim, ele encerrou sua carreira com 99 GPs.

f1-François-Cevert

François Cevert

17. Helmuth Koinigg (AUT) aos 25 anos

06 de outubro de 1974: Promissor piloto austríaco decapitado quando seu Surtees bateu em Watkins Glen exatamente um ano após Cevert.

Helmuth-Koinigg

Helmuth Koinigg

18. Mark Donohue (EUA) aos 38 anos

19 de agosto de 1975: Muito popular, ele se queixou de uma dor de cabeça depois de um acidente no warm-up para o GP da Áustria – que resultou na morte de um comissário de pista -, mas quando ele foi levado a um hospital no dia seguinte já era tarde demais, pois tinha sofrido uma hemorragia cerebral e entrado em coma.

Mark-Donohue

Mark Donohue

19. Tom Pryce (GBR) aos 27 anos

05 de março de 1977: Pryce morreu num acidente bizarro. Durante o GP da África do Sul, um comissário atravessou a pista sem olhar para socorrer um carro que havia parado do outro lado. Pryce o atropelou e o extintor de incêndio que o comissário levava bateu na cabeça de Pryce matando-o instantaneamente.

Tom-Pryce

Tom Pryce

20. Ronnie Peterson (SUE) aos 34 anos

11 de setembro de 1978: Um piloto carismático de primeiro nível que, embora tenha sido o número dois de Mario Andretti na Lotus, tinha vencido duas corridas naquele ano (África do Sul e Áustria) ao chegarem para o GP da Itália. No entanto, ele quebrou as duas pernas em um acidente logo após a largada e os coágulos de sangue que se formaram nos membros selaram seu destino. Ele morreu no dia seguinte.

Ronnie Peterson

Ronnie Peterson

21. Gilles Villeneuve (CAN) aos 32 anos

08 de maio de 1982: Pai do futuro campeão mundial Jacques, Gilles foi um dos pilotos mais queridos e carismáticos da história. No entanto, sua carreira teve um fim trágico na classificação para o GP da Bélgica em Zolder quando ele fraturou o pescoço depois de tocar em Jochen Mass, decolar e ser arremessado para fora de sua Ferrari. Médicos o mantiveram vivo até sua esposa chegar e visitá-lo no hospital, onde morreu mais tarde naquela noite.

Gilles Villeneuve

Gilles Villeneuve

22. Ricardo Paletti (ITA) aos 23 anos

13 de junho de 1982: Em apenas seu segundo GP, a corrida canadense, ele não conseguiu ver que o pole Didier Pironi, ex-companheiro de equipe de Villeneuve, tinha parado no grid (não conseguiu largar) e bateu na traseira dele. Embora Pironi e funcionários tenham tentado libertá-lo do carro, a tarefa ficou quase impossível quando o carro da Osella explodiu em chamas.

Ricardo-Paletti

Ricardo Paletti

23. Roland Ratzenberger (AUT) aos 33 anos

30 de abril de 1994: Um piloto que mesmo na morte foi ofuscado pelo acidente fatal de Senna no dia seguinte. Ele morreu depois de ter fraturado o crânio em uma terrível batida contra o muro na classificação para o GP de San Marino, em Imola – sua decisão de não ir para o box depois de sair da pista na volta anterior e ter danificado sua asa dianteira, tornou ainda mais trágico, mostrando como ele estava desesperado para se classificar para o grid com sua Simtek.

Roland-Ratzenberger

Roland Ratzenberger

24. Ayrton Senna (BRA) aos 34 anos

01 de maio de 1994: O lendário brasileiro tinha planejado levantar a bandeira nacional austríaca como um tributo a Ratzenberger após o GP de San Marino, mas ao invés disso ele correu para a morte também. O tricampeão considerado por muitos como o melhor piloto de todos os tempos, sofreu fraturas de crânio e lesões cerebrais, após bater no muro da curva Tamburello a 240 km/h e um braço de suspensão penetrar em sua cabeça.

ayrton-senna-sorriso

Ayrton Senna

25. Jules Bianchi (FRA) aos 25 anos

17 de julho de 2015. O promissor piloto francês morre 9 meses depois de sair da pista e bater num guindaste que estava retirando outro carro que havia saído no mesmo lugar no GP de Suzuka de 2014. Bianchi teve lesão cerebral axonal difusa e nunca recobrou a consciência nos 9 meses que passou em coma.

F1-bianchi-japao-2014-rosto-quinta

Jules Bianchi

Outros pilotos de F1 também morreram em acidentes, mas em outras categorias ou quando não era um fim de semana oficial de corrida de Formula 1.

AS - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.