O circuito de Yas Marina – Por Flavio Xandó

Continuação de Abu Dhabi, visita obrigatória para o fã de Formula 1

Tive a felicidade de ficar hospedado no Yas Hotel, que é o hotel construído dentro do autódromo. Aqueles que já viram o grande prêmio pela TV vão logo reconhecê-lo, pois sua arquitetura é ímpar. Já impressiona o fato de ter sido construída uma ilha artificial para conter todo o complexo (autódromo, hotéis e outras atrações). Na verdade era uma ilha bem menor que foi ampliada artificialmente. Isso é comum na região uma vez que em Dubai (cerca de 130 Km dali), há a famosa ilha em forma de palmeira e outras que receberam estruturas impressionantes.

yas-marina-flavio-615

Como se vê a pista passa por baixo do hotel, sob um pequeno corredor suspenso que liga os dois grandes prédios arredondados que formam o Hotel. Este é sem dúvida o melhor lugar para se hospedar para ver o grande prêmio. Mas na época da corrida o valor da hospedagem é caríssimo. É onde ficam pilotos, chefes de equipe e endinheirados turistas que reservaram sua estadia com mais de um ano de antecedência. É tão prático que basta cruzar uma ponte sobre a pista que se tem acesso ao centro de imprensa, ao padock e aos boxes do autódromo e diversas áreas de arquibancadas cobertas por um teto que relembra as tendas dos beduínos do deserto.

 Pórtico de entrada do autódromo

De imediato algo que chamou demais minha atenção foi a extrema li mpeza da pista. Impecável!! Não há uma irregularidade, um único pedaço de papel e o asfalto parece tão novo e limpo que com algum exagero poderia dizer que daria para comer sobre pista, de tão limpa!!

 Diagrama da pista

Na figura acima podemos ver o circuito. Na parte superior, onde ficam os barcos (Marina) é onde também se localiza o Yas Hotel e o pequeno túnel citado. A pista em si tem características polêmicas. Com exceção de uma ou duas curvas de maior velocidade e algumas “retas tortas”, a pista tem muita reta-chicane. Há quem compare seu traçado às pistas de rua. É de criação de Hermann Tilke, o badalado arquiteto de autódromos endeusado pela FIA nos últimos anos. Comenta-se que os pilotos não morrem de amores pelo traçado pela grande quantidade de curvas de 90 graus e retas-chicanes. Mas a categoria Moto GP vai realizar corridas neste autódromo e isso vai requerer algumas mudanças que infelizmente não sei precisar. Mas tornará a pista um pouco diferente.

Há fora do complexo do autódromo uma “praça de hotéis”, que fica perto o suficiente para ter acesso a pé ao evento. São hotéis diversos como Crowne Plaza, Park Inn, Radisson, etc. de preços mais acessíveis e ainda bem perto do “show”.

Sou suspeito para falar, pois a experiência de conhecer ao vivo uma pista assim tão sofisticada, em um local tão exótico fez com que me apaixonasse pelo circuito. Aliás, o grande prêmio de Abu Dhabi tem algo de especial. É o único que começa de dia e termina de noite. Uma conveniente forma de diferenciá-lo das demais corridas e ajustar seu horário aos gostos do espectador europeu.

 Vista do Yas Hotel e parte da pista iluminada

Tive a oportunidade de conferir a iluminação da pista. Fabulosa!! Há postes com luzes a cada 10 ou 15 metros extremamente potentes. De noite a pista ficava acesa pois há atividades diversas no autódromo como passeios, test-drive e até aulas de pilotagem (adiante falarei mais a respeito). Cada poste de luz é composto de 5 fileiras de luminárias que totalizam 26 lâmpadas. Nestes dias que observei a pista de noite apenas a fileira superior de cada poste estava ligada!! E já parecia mais que suficiente para uma corrida. Imaginem com todos os refletores ligados ao mesmo tempo!!! Dessa forma observei a pista com apenas 25% da capacidade de iluminação. Incrível!! Com tudo ligado a noite certamente vai virar dia.

 Um dos pontos de iluminação – 26 refletores de alta potência

Falando em atividades noturnas, caso alguém visite o local, não cometam o erro que cometi. Quis passear na pista, caminhar ou correr. Mas o atendente do hotel disse que não podia. Fiquei desapontado, fazer o quê… Mas um belo dia vi pessoas andando de bicicleta e correndo (a pé) na pista. Descobri então que todas 3ª feiras a pista é aberta gratuitamente para visitação e como um local de lazer. Já não dava mais tempo para eu ir correr, pois a pista abre das 18:00 às 20:00. Mas os leitores aqui se visitarem o local poderão fazer o que eu quis, mas não consegui, traído pela informação imprecisa do concierge do hotel.

 

 Passeio noturno na pista – corrida, caminhada e bicicleta

Andando na pista afinal!

Tendo perdido a oportunidade de andar na pista eu tinha que descobrir uma forma de resgatar este prazer, para mim uma real necessidade! Aconteceu naturalmente. Eu estava lá a convite da AMD (fabricante de microprocessadores) para um evento que aconteceu no Media Center (Centro de Imprensa do autódromo). Aliás, impressionante como tudo que vi por ali. Cheguei quase uma hora mais cedo meio, já com planos “malignos”. Do centro de imprensa caminhei até o paddock (fundo dos boxes). Lá descobri um portão destrancado e… Dúvida cruel, entrava ou não entrava? Claro que entrei, não havia ninguém por perto. E já que estava aberto…

Foi alegria pura. Eu me vi nos boxes do autódromo. Minha máquina fotográfica a mil!! Foram mais de 100 fotos só nestes 60 minutos que fiquei explorando a parte mais nobre da pista, reta de largada, boxes, etc. Seguem algumas dessas fotos com comentários.

 Boxes com a torre de cronometragem ao fundo

 

 Final do grid de largada e arquibancadas

 

 Podium

Na sequência apresentarei 3 fotos que merecem explicação prévia. Quando estamos no local alguns detalhes que passam despercebidos na TV afloram aos nossos olhos. A primeira foto da seqüência abaixo é o pórtico da linha de chegada/largada com o sinal luminoso para a largada e um monitor que indica, por exemplo, corrida interrompida, safety car, etc. A segunda foto é a cabine na qual provavelmente fica o Charles Whiting para comandar a largada do grande prêmio. Na terceira foto eu me encontro dentro da cabine de largada com todos os comandos à mão. Tive que exercer uma força sobre humana para não apertar nenhum daqueles comandos, posso garantir!!

 Pórtico de largada

 

 Acesso ao comando de largada na reta

 

 Painel de controle de largada

Minha vontade era mostrar muitas das dezenas de fotos que tirei deste local e de outros pontos do autódromo, etc. E seriam mais fotos não fosse um guarda que em certo momento me viu no literalmente meio da pista e me convidou educadamente a sair e me perguntando como tinha ido parar lá. Ele disse que não era permitido. Isso eu imaginava, mas não tinha como não por meus pés ali.

 Reta de largada – visão mais ampla

 

 Umas das curvas 90 graus da pista (área de escape e soft-wall ao fundo)

 

 Localizando-me nos bastidores do Yas Marina Circuit

 

 Fundos dos boxes/paddock com vista para a Marina

Mas ver tudo isso sem carros na pista seria muito “vazio”. Mas eis que surgem certo dia carros diversos no circuito. Não sei precisar ao certo que tipo de monoposto era, mas eram bem rápidos. Determinados dias da semana há no circuito o “Track Day”, uma atividade (paga e disponível para quem quiser) para experimentar a pista em carros diversos. Há inclusive um F1 de dois lugares para passeios, estes carros que vi andando que pareciam F3, e até um carro de F1 que parece sem um modelo 2008. Caso alguém saiba precisar que carros são estes será uma informação extremamente bem vinda.

 Track-Day – carros na pista para degustação!!

 

 Carro do Track Day em datalhe

 

 

 F1 2008??? Quem souber favor me ajudar!!

Quando acabou a aventura de pista dirigi-me ao Media Center, pois afinal estava ali para trabalhar, participar do evento da AMD e não tietar o autódromo. Mas outra surpresaestava a me aguardar. Todas as paredes do centro de imprensa (todas mesmo) tinham uma decoração estranha. Pareciam muitas e muitas letras. Chegando um pouco mais perto percebi do que se tratava. Vejam a foto abaixo com atenção.

São nomes de pilotos de F1 de todos os tempos. Todos mesmo!! No pedaço que fotografei acima (uma das várias fotos de todas as paredes) há nomes como Jan Lamers, Bernd Schneider, Johnny Herbert, Emanuele Pirro, Martin Donneley, Jean Alesi, Rene Arnoux… Mas havia todos os nomes como Ayrton Senna, Nelson Angelo Piquet, Rubens Barrichello, Emerson Fittipaldi, Louis Hamilton, Sebatian Vettel, Alain Prost, Jim Clark, Clay Regazzoni, Alberto Ascari, … Enfim todos os protagonistas da F1 desde seu começo até hoje!! Confesso que esta descoberta causou-me admiração e emoção, pois é um reconhecimento ao talento de todos que passaram por este apaixonante esporte!

Flavio Xandó

Não perca a matéria que originou esta e sua continuação!
Capítulo 1: Abu Dhabi, visita obrigatória para o fã de Formula 1

PS: Não sou colaborador frequente do Autoracing, mas eventualmente tenho sido convidado a trazer algumas de minhas experiências para este grande site. Em 2005 falei da “Incrível Tecnologia da Formula 1 (visita aos boxes da Ferrari), em 2009 contei uma experiência emocionante sobre corridas online em “Pode jogar com todos menos com o Xandó” e em 2010 relatei o lançamento de um notebook Lenovo ocasião na qual participei de uma corrida de kart em “Deixando o Thiago Camilo para trás”. Agradeço muito meu amigo Adauto Silva ou apenas Junior pela oportunidade de trazer um pouco de minhas experiências e emoções para este incrível site.

Este texto foi originalmente publicado no site FORUMPCs e especialmente adaptado para o AUTORACING a convite de meu amigo Adauto Silva

AS – www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.