MotoGP – Interesses comerciais

Losail, Catar

Colaboração: Carlos Alberto Goldani

Existe, entre as múltiplas razões para uma entidade organizar um campeonato mundial de esportes motorizados, uma que está tendo importância crescente. Além da competição entre fabricantes e pilotos, laboratório de tecnologias que possam ser portadas para motos comerciais, divulgação de marcas de patrocinadores e exploração do turismo nas cidades em que os circuitos estão localizados, os organizadores buscam a obtenção de lucros com direitos de hospedagem e venda de transmissão dos GPs em TV e outras mídias.

A Dorna Sports, S.L., uma empresa de gestão esportiva sediada em Madrid, ES, controla a parte comercial do mundial de motociclismo (MotoGP) desde 1992. A empresa, com o apoio dos fabricantes, promove a adequação do esporte com o desenvolvimento da tecnologia, como aconteceu na alteração para motores para 4 tempos quando os 2 tempos se tornaram insustentáveis em motos comerciais.

A prova de abertura é no próximo fim de semana no Losail International Circuit, uma pista construída em 2004 em Doha no Catar e que desde o ano de sua inauguração faz parte do calendário da MotoGP. O circuito também foi palco da primeira prova com luz artificial realizada em 2008. O emirado do Oriente Médio é um exemplo da importância do fator financeiro no mundial. O Catar, que deve sediar a próxima Copa do Mundo, é um assíduo frequentador das manchetes internacionais que denunciam a exploração de trabalhadores imigrantes em condições que beiram a escravatura. O índice de letalidade nas obras da Copa excede a todos os parâmetros aceitáveis. Entretanto o emirado investe muito capital para sediar a primeira etapa da temporada do mundial.

Existem duas óticas distintas para analisar a prova de Losail: (1) O Catar paga pelo privilégio de ter a primeira etapa nas últimas temporadas da MotoGP, tem como contrapartida a farta cobertura que recebe dos veículos de comunicações, potencializada por um período sabático de quase quatro meses. O circuito tem iluminação artificial planejada de forma a não causar o ofuscamento por reflexos, mesmo quando a pista está molhada. O horário da prova principal é adequado para o fuso horário dos países europeus. (2) A localização da pista no deserto e a ausência de obstáculos naturais em torno permite que o vento traga areia para o piso, aumentando os problemas de dirigibilidade aos protótipos.

Circuito de Losail, Catar

O clima nesta época no Catar apresenta uma média histórica entre 15° e 20° graus, nestas condições, depois que o sol se põe a queda da temperatura cria condições para a umidade do ar condensar em forma de orvalho. Este orvalho na pista não é perceptível aos pilotos, mesmo com as condições perfeitas de iluminação do circuito. É quase uma receita perfeita para acidentes, máquinas potentes equilibrando-se em janelas reduzidas de aderência encontram uma considerável redução de grip sem nenhum aviso prévio. A maioria das equipes encerrou prematuramente a última seção de testes no Catar ao cair a noite por causa deste fenômeno, o índice de quedas atingiu quase 50% dos pilotos que se aventuraram na pista. O excesso de acidentes foi atribuído ao orvalho no piso. O problema do orvalho é potencializado na medida em que a temporada começa cada ano mais cedo.

Com o número de etapas crescendo nos últimos anos o início do mundial está sendo antecipado. O Catar paga, muito, e insiste em hospedar a prova de abertura da temporada. Quando o calendário previa 18 etapas o mundial começava em abril, em 2018 com 19 etapas foi antecipado para 18 de março e este ano, com 20 provas programadas, a abertura programada para 08 de março. Quanto mais a data é antecipada, maior a possibilidade de ocorrência de orvalho. Antecipar o horário seria uma alternativa tecnicamente viável, porém implica em alterar a janela de transmissão para o importante mercado europeu e perderia o atrativo extra da prova noturna. Mudar o horário também resulta em realizar as provas das categorias de base mais cedo, com a complicação adicional do crepúsculo, em duas retas curtas os pilotos da Moto2 enfrentariam diretamente o ocaso do sol com todos os problemas de visibilidade decorrentes.

A prova da MotoGP está marcada para iniciar as 20:00hs, com faixas de temperatura aceitáveis nas duas corridas das categorias de acesso, porém se a temperatura e umidade do ar estiverem semelhantes às dos últimos testes os pilotos devem estar acelerando e disputando posições com a possibilidade de serem surpreendidos com a ocorrência do orvalho. Não é o melhor dos mundos no início de uma temporada que promete ser muito emocionante.

Tecnicamente este problema não aconteceria se a corrida fosse programada para o segundo terço da temporada, entretanto o contrato com o emirado é específico, a prova tem que inaugurar a temporada. Aparentemente nesta etapa a competitividade e segurança dos pilotos não são os itens mais importantes.

Carlos Alberto Goldani
Porto Alegre – RS

Quer ver todos os textos de colaboradores? Clique AQUI

Os artigos publicados de colaboradores não traduzem a opinião do Autoracing. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate sobre automobilismo e abrir um espaço para os fãs de esportes a motor compartilharem seus textos com milhares de outros fãs.

AS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.