Mercedes: F1 pode ser mais imprevisível

Bernie Ecclestone e Toto Wolff

Toto Wolff acredita que a Fórmula 1 pode ficar menos previsível. As quatro fabricantes de motores têm até 15 de janeiro para chegar a uma lista de propostas para responder a uma série de questões sobre as atuais unidades de potência, após os planos para um motor independente terem sido bloqueados.

O chefe da Mercedes aceita que o objetivo de Bernie Ecclestone é aproximar o grid, e salienta que sua equipe está disposta a colocar alguns dos seus próprios interesses de lado. “Está muito claro que queremos seguir em frente, e eu estou tendo muito boas discussões com Bernie todos os dias sobre para onde as coisas devem ir”, disse ele ao site Autosport.

“Às vezes temos opiniões diferentes, alvos diferentes, e eu sei e absolutamente aceito qual é a sua meta. Seu produto é difícil de vender, se você sabe antes do início qual equipe vai ganhar. Do mesmo modo, e ele aceita isso, como ele disse muitas vezes, que precisamos otimizar o desempenho da Mercedes”, explicou Wolff.

“Agora precisamos alinhar, encontrar um compromisso e perguntar o que podemos fazer para tornar (a F1) um pouco menos previsível, dar-lhe um pouco mais de variabilidade. De sua perspectiva, pelo que entendi, há outros jogadores que são muito mais oportunistas, que só pensam em sua própria causa. Bernie é o responsável pelo show, e você precisa ouvi-lo”, prosseguiu.

Perguntado se um consenso era possível, Wolff acrescentou: “Sim, é claro. Nos esportes, nos negócios, como em qualquer outro relacionamento, é questão de compromisso, encontrar o melhor. Nós estamos tendo discussões a portas fechadas – e estamos fazendo o comentário controverso na imprensa – o que é necessário, mas eu não quero participar desse jogo”.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.