Mercedes domina enquanto 2015 chega para algumas equipes

f1-hamilton-vence-eua-2014

Hamilton vence GP dos EUA de 2014

Por: Lorenzo de Luca e Adauto Silva

A temporada está chegando ao fim – com ambos os títulos vencidos pela Mercedes, que tem dominado o grid em todos os tipos de circuitos, enquanto algumas equipes começaram (algumas com muita antecedência) o desenvolvimento de seus carros de 2015.

Mesmo no Texas, não houve mudança na história. A Mercedes mostrou todas as suas vantagens, apenas deixando os outros com meras migalhas. A diferença das Flechas de Prata para o resto foi de quase dois segundo por volta e foi esta lacuna que forçou todas as outras equipes a concentrarem os seus recursos em 2015 – com a exceção da Williams e da Red Bull.

Gráfico de ritmo de corrida + estratégia (clique na imagem para ampliá-la)

Legenda pneus: M – Médio. S – Macio. (U) – Usado. (N) – Novo

Duas das maiores decepções em 2014 foram a Lotus e a Ferrari. A equipe de Enstone sofreu um êxodo significativo de técnicos e foi abandonada pela Renault, que anteriormente havia apoiado muito a equipe. A outra – Ferrari – manteve-se estagnada em uma crise técnica que dura anos. Em Austin, como dito anteriormente, tivemos a oportunidade de ver essas duas equipes testando coisas novas para 2015. A mais óbvia foi sem dúvida o nariz de 2015 da Lotus

Protótipo do nariz da Lotus de 2015:

O nariz é experimental, obviamente, e não a versão final que vamos ver no E24, que será muito semelhante ao dos modelos Mercedes e Ferrari – atendendo, assim, o novo regulamento para 2015. O novo desenho tem a forma de um bico de pato, muito baixo na ponta com uma espécie de protuberância abaixo dela e depois se expandindo para criar um pouco de efeito Venturi. O downforce criado pelo nariz na extremidade frontal, tem o efeito colateral de interromper o fluxo de ar que vai para o difusor traseiro, afetando, portanto, a sua eficácia (basta olhar para Grosjean lutando durante o TL1) e o equilíbrio geral do carro. Sem dúvida, a equipe Lotus terá que começar seu projeto em uma folha limpa, que também terá que incorporar a nova unidade de potência Mercedes.

A equipe mais ativa em relação à evolução para 2015 foi a Ferrari. Em Austin, o cavalinho rampante aproveitou os treinos livres usando o carro de Kimi Raikkonen para estudar os fluxos de ar e testar novos materiais para o carro de 2015. Na sexta-feira, vimos o carro de Raikkonen repleto de sensores para estudar os fluxos de ar provenientes do nariz e como eles interagem com as palhetas voltando-se para os tanques laterais. Isto foi feito provavelmente tendo em vista uma mudança na suspensão dianteira – da pull rod para push rod, que não somente vai levar a um centro de gravidade mais baixo, como também a benefícios aerodinâmicos, uma vez que perturba menos o fluxo de ar.

Houve também uma nova asa traseira, que de acordo com rumores, será o novo conceito em que os engenheiros irão basear o projeto da asa traseira de 2015.

Nova asa traseira da Ferrari:

Como podemos ver, a nova asa traseira tem placas laterais diferentes, com duas aberturas que trazem o fluxo de ar do lado de fora e o acelera sob o perfil principal – para aumentar sua eficiência. Menos impressionante, mas muito importante foi a nova suspensão traseira introduzida em Austin,

Suspensão traseira revista da Ferrari:

Ajuste mostrado dos pontos de fixação do braço superior para melhorar a tração, o ponto mais fraco do F14-T.

A Red Bull confirmou seu papel de “melhor do resto”, em Austin, e para confirmar isso, temos apenas de olhar para as diferentes configurações escolhidas para seus pilotos; Ricciardo com mais downforce e Vettel com menos downforce – e a partir da configuração de Vettel nós podemos ver como são grandes as habilidades aerodinâmicas do RB10 em comparação com Ricciardo, que, como todos os outros pilotos, usou uma configuração de médio \ alto downforce

Comparação das asas traseiras da Red Bull:

A asa traseira utilizada pelo tetracampeão mundial foi a mesma utilizada em Spa Francorchamps, sem grelhas nas placas laterais e um plano principal quase neutro, combinado com apenas um assento de macaco mais estreito. Ao contrário de Ricciardo, que usou uma “configuração padrão” com 3 grelhas nas placas laterais da asa e um assento de macaco duplo para mais downforce.

Houve uma nova asa traseira na Force India também. Ela foi projetada para mais downforce e tem 5 grelhas na placa lateral, uma maca colocada na aba DRS, e um assento de macaco combinado com a asa.

Nova asa traseira da Force India:


Interlagos
O GP do Brasil será realizado neste final de semana e só problemas mecânicos ou erros dos pilotos poderão impedir a Mercedes de vencer novamente. O clima também pode ser um fator, mas o mais provável é que Hamilton e Rosberg disputem a vitória. Atrás deles a briga deve acontecer principalmente entre Red Bull e Williams, com Ferrari e McLaren disputando um pouco atrás. Atenção para a Toro Rosso, que errou no acerto de corrida em Austin, mas tem um carro que vem sendo muito bem desenvolvido pelo ótimo James Key.

*Conheça a seção Matérias Técnicas do Autoracing

AS - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.