Magnussen vai desistir da F1 se perder as esperanças de título

Kevin Magnussen

Kevin Magnussen diz que não quer ser “o melhor do resto” durante toda a sua carreira na Fórmula 1. “Só vou correr na Fórmula 1 enquanto acreditar que posso me tornar campeão do mundo”, disse o dinamarquês ao jornal BT.

O piloto de 26 anos começou sua carreira na McLaren, mas foi expulso um ano depois. Ele passou um ano problemático na Renault em 2016, antes de encontrar um lugar seguro na Haas. Mas ele diz que não está contente por pisar em água.

“Se em algum momento eu não acreditar mais que tenho a chance de ganhar o campeonato mundial, farei outra coisa. A longo prazo, não consigo me motivar para lutar pelo sétimo lugar ou pelo ‘melhor ou o resto’, esse tipo de coisa”, comentou ele.

“Só posso fazer isso se acreditar no objetivo final de ser campeão do mundo”, declarou Magnussen ao jornal dinamarquês. “Se eu não acreditar mais nisso, vou para outro lugar onde os carros são mais iguais, os concorrentes são bons pilotos de corrida e nós pilotamos em algumas pistas legais”.

Quando questionado sobre a categoria que tem em mente, Magnussen respondeu: “Acho que a F-Indy nos circuitos mistos é muito legal e à moda antiga. Eu não experimentei nenhuma pista oval. Mas há muitas categorias legais”, acrescentou.

Magnussen, no entanto, preferiria que a Fórmula 1 fizesse mudanças que melhorassem as perspectivas para os pilotos que não estão em uma das duas ou três melhores equipes. “Gostaria que fossem numa direção em que os carros fossem muito mais parecidos”, afirmou ele ao jornal Ekstra Bladet.

“E então o foco esteja mais na corrida e em um show de esporte a motor do que na tecnologia. A Fórmula 1 tem sido assim há muitos anos, mas agora a tecnologia é tão estranha que não é mais divertido de se assistir”, explicou Magnussen.

“Nos velhos tempos, era inovador e muito mais emocionante. Agora é chato. Quero alguns dos valores fundamentais que a Fórmula 1 tinha antes, que são o som, os carros velozes e os pilotos estrelas”, acrescentou.

Magnussen também acha que, embora os carros atuais estejam batendo recordes nos circuitos, é mais fácil para os jovens pilotos entrarem e prosperarem na F1 hoje. “A razão é porque a preparação é muito melhor do que era antes”, comparou ele.

“Hoje você tem o simulador, você pode assistir a todos os vídeos a bordo, conversar com muitos engenheiros e ver muitos dados. Quando entras na Fórmula 1, estás lá. Além disso, os carros são muito mais amigos do piloto do que eram há 15-20 anos. São muito mais previsíveis e eficientes, o que os torna mais fáceis de pilotar”, concluiu.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.