Luyendyk: Fórmula 1 pode aprender com os comissários da Indy

Arie Luyendyk no carro que venceu a Indy 500 em 1990

A Fórmula 1 pode aprender com a Indy após a controvérsia envolvendo Max Verstappen no GP dos EUA, diz o comissário Arie Luyendyk.

Verstappen ultrapassou Kimi Raikkonen na última volta da corrida, mas caiu para o quarto lugar, depois que os comissários julgaram que ele deixou a pista e ganhou uma vantagem.

Verstappen reclamou da penalidade, pois vários outros passaram dos limites de pista e ficaram impunes, chamando “um comissário idiota”, referindo-se a Garry Connelly.

Enquanto isso, Mika Salo, o comissário convidado e ex piloto para o fim de semana, enfrentou ameaças de morte de fãs de Verstappen irritados com a decisão.

Luyendyk, duas vezes vencedor da Indy 500, é um dos três membros permanentes no painel de administração da Indy, juntamente com Max Papis e Dan Davis.

Para melhorar a consistência, ele acha que a F1 deve considerar uma configuração semelhante, ao invés de mudar os membros-chave do painel de corrida a corrida.

“Você precisa de um painel fixo”, disse Luyendyk à GPUpdate.net. “Durante uma corrida, não há tempo para ser criativo com regras e penalidades”.

“O livro de regras é muito complicado e você não vai me dizer que um cara como Mika Salo, que apenas é um comissário por um fim de semana, conhece todo o livro de regulamentos”.

“Basta colocar alguns caras que estarão lá todos os fins de semana, que conhecerão melhor a personalidade dos pilotos, o que torna muito mais fácil julgar”.

Ele acrescentou: “Ser um comissário é um trabalho muito interessante no qual você tem muitas responsabilidades. Você precisa ser justo para com todos, e esse não foi o caso em Austin, por exemplo”.

“A punição para Verstappen foi uma decepção para os fãs e isso é ruim, porque a Fórmula 1 e os Estados Unidos não se acertaram até agora”.

IB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.