Lente de aumento: GP Barcelona 2005. Por Rafael Ligeiro

Räikkönen ‘rabisca’ obra espanhola

O prateado da McLaren surgiu em Barcelona como se fosse um rabisco arruinando a obra Dona Maar, de Pablo Picasso. Kimi Räikkönen venceu o Grande Prêmio da Espanha de Fórmula 1, quinta etapa da temporada, e adiou o sonho de Fernando Alonso em faturar o primeiro lugar diante dos compatriotas ibéricos. Partindo pela segunda vez consecutiva na pole position em 2005, Kimi não enfrentou dificuldades para chegar ao resultado em uma prova emocionante desde as voltas iniciais.

Largada

Na largada, Alonso trouxe ao torcedor espanhol a sensação de que a quarta vitória no campeonato parecia certa. Após as cinco luzes vermelhas se apagarem, o piloto da casa tracionou melhor que Mark Webber (Williams-BMW) e, sem dificuldades, assumiu a segunda colocação. O australiano da Williams também foi ultrapassado por Ralf Schumacher (Toyota), na freada da curva Elf. Na zona de pontos ainda estavam Jarno Trulli (Toyota), Giancarlo Fisichella (Renault), Michael Schumacher (Ferrari) e Juan Pablo Montoya (Williams-BMW). Räikkönen manteve a ponta e a bandeira amarela foi acionada, para remoção dos dois carros da Minardi que ficaram parados no grid por problemas mecânicos. Patrick Friesacher conseguiu largar dos pits, porém Christjian Albers abandonou e, logo na primeira volta, havia apenas 17 carros na pista.

Na volta seguinte, o safety car voltou aos boxes. E a relargada reservou uma disputa entre grandes rivais por posições intermediárias. O colombiano Juan Pablo Montoya, voltando às pistas após duas corridas de ausência, mergulhou sobre a Ferrari de Michael Schumacher na reta principal e assumiu o sétimo lugar. Aliás, o início de prova foi um calvário para Schumacher.

Novamente os compostos Bridgestone demoraram mais tempo em relação a rival francesa Michelin para atingir a ‘temperatura ideal’. Isso ficou claro pela facilidade com que Montoya passou o alemão e, especialmente, pelo fraco rendimento de Michael. Durante algumas voltas, o heptcampeão teve de suportar pressão de David Coulthard, da Red Bull. Na ponta, com uma sucessão de voltas mais rápidas, Räikkönen aumentava sua vantagem para Alonso. No 16o giro, a diferença estava em 13s5. Pouco depois, já era superior a 26 segundos, o que deu ao finlandês o ‘luxo’ de voltar à frente do rival após seu pitstop, na 25a volta.

Além de ficar distante do líder da prova, Alonso chegou a ter o segundo posto ameaçado pela dupla da Toyota. Com menos gasolina e – conseqüentemente – carros mais leve que a Renault do espanhol, Ralf e Trulli se aproximaram do líder da temporada. Após esboçar diversas tentativas de ultrapassagem, Schumacher entrou no pit para reabastecimento, na 19a volta. Na volta seguinte foi a vez do companheiro de equipe, Jarno. Alonso parou na 27a.

Torcida Alonso

Três pilotos foram beneficiados após a primeira bateria de pits. Dois eram italianos. O primeiro foi Trulli, que ganhou posição sobre Ralf na briga interna da Toyota graças a uma volta veloz antes de seu reabastecimento. O outro foi Giancarlo Fisichella, que parou dois giros após o companheiro de Renault, Fernando Alonso. Apesar do mesmo tempo nas paradas (7s9), Físico levou vantagem por ter pegado voltas de pista livre depois do pit de Fernando e pulou para 2o. Já quem parecia se dar muito bem era Michael Schumacher.

Beneficiado pelo bom rendimento do F2005M com pouco combustível, o alemão ‘voou’ nas voltas que antecederam sua entrada no box. Chegou a ficar atrás apenas de Kimi, e cravou a melhor volta da primeira metade da prova, em 1m16s019. Após reabastecimento, voltou na 4a colocação.

E no meio do caminho havia um furo…

Depois de largar em 8o lugar e diante de todas as dificuldades da Ferrari nesse início de campeonato, chegar atrás apenas de Raikkonen, Fisichella e Alonso poderia ser considerado algo positivo para Schumacher. E tudo se encaminhava para um resultado ainda melhor. Na 40a volta, a Renault teve de trocar o bico do carro de Fisichella. O italiano perdeu mais de 35 segundos no pit e voltou à pista apenas em 11o. Schummy subiu para a terceira colocação. Porém, quatro voltas mais tarde, a decepção se fez presente nos membros do time de Maranello.

Schumacher fora da briga

Com um furo no pneu traseiro esquerdo, o alemão foi obrigado a fazer um pit extra. Retornou em 8o. E o que parecia improvável, aconteceu: uma volta depois, o problema se repetiu, desta vez no pneu dianteiro esquerdo. Schumacher se arrastou durante quase todos 4730 metros de extensão do circuito para chegar aos boxes ferrarista e abandonar o Grande Prêmio.

Um dos beneficiados com os problemas do alemão foi Felipe Massa. O piloto da Sauber chegou a ocupar a 6a posição, melhor de um brasileiro na corrida. Após seu segundo pitstop, o carro de Massa não possuía mais o mesmo rendimento e estabilidade. Na 64a volta, o paulista abandonou com o pneu traseiro esquerdo totalmente esfacelado, problema semelhante ao de Michael Schumacher.

Tranqüilidade e confusões

Mesmo com um trabalho de box 1s1 mais lento do que Alonso na segunda parada, na 49a volta, Kimi Raikkonen manteve um ritmo tranqüilo na ponta. Visivelmente sem forçar seu McLaren-Mercedes no segundo trecho da corrida, sustentou vantagem na casa dos 22 a 25 segundos em relação ao espanhol. Com uma vitória ‘telegrafada’ do piloto da McLaren, a transmissão da prova ibérica deu mais atenção ao pupilo Alonso e para algumas disputas por posições no circuito de Montmeló. E uma das mais interessantes envolvia os pilotos da Toyota, na luta pelo terceiro lugar.

Na 48a volta, Ralf Schumacher iniciou ataque a Jarno Trulli. Depois de paradas de Box semelhantes (Trulli foi apenas um décimo mais veloz que Ralf), a disputa continuou até as últimas voltas. Já o australiano Mark Webber teve ‘trabalho dobrado’. Na 52a volta, o companheiro de Williams, Nick Heidfeld, com o carro mais leve, tentou ultrapassagem na reta principal. Webber conseguiu segurar a posição pouco antes da curva Renault, depois de ficarem praticamente emparelhados desde a reta principal. Na volta seguinte, Heidfeld conseguiu a ultrapassagem, porém caiu para 10o lugar depois de parar para reabastecimento.

Mas Webber, de fato, não teria ‘vida fácil’ nas próximas voltas. Na 58a, a vantagem para Fisichella cai para menos de 0s5. Durante quatro voltas, o australiano tentou segurar a quinta colocação, mas novamente sofreu ultrapassagem na reta dos boxes, pouco antes do ponto de freada para a curva Elf. No paddock, Flavio Briattore comemora a manobra de Fisichella, que garante ao time de Enstone mais um ponto no Mundial de Construtores.

Kimi vence

Enfim, Raikkonen recebeu a bandeirada após 66 voltas percorridas em 1h27m16s830 (média de 209,844 km/h). Essa foi a terceira vitória de ‘Ice Man’ na Fórmula 1. Fernando Alonso, em meio a diversos acenos aos fanáticos ‘Alonsomaniacos’, chega 22s6 depois. Na briga da Toyota, Trulli leva vantagem e chega ao pódio, 0s9 à frente de Ralf Schumacher. Após excelente recuperação, Fisichella termina em quinto e ainda crava a volta mais rápida de corrida, justamente no último giro, com 1m15s641. Mark Webber, Juan Pablo Montoya e David Coulthard completam a zona de pontos.

O pódio

Nono colocado na corrida, Rubens Barrichello viveu um fim de semana pouco produtivo. No treino de sábado, o brasileiro fez o 9o melhor tempo, mas a Ferrari detectou um problema no motor do F2005M de Rubens e teve de trocá-lo. Conforme regulamento, o brasileiro foi punido com 10 posições no grid pela troca. Porém, como a BAR não disputou a prova e Nick Heidfeld e Tiago Monteiro também mudaram seus propulsores, Rubinho largou em 16o. Na corrida, optou por apenas uma parada para reabastecimento e chegou apenas a ocupar a sétima colocação.

Volta-a-volta

Volta 1: Safety car entra na pista para que houvesse condições de segurança para a remoção dos dois carros da equipe Minardi que ficaram parados no grid. Patrick Friesacher (15o) larga dos boxes na volta seguinte, mas Christjian Albers (14o) abandona

Volta 2: O safety car volta aos boxes e a bandeira verde é acionada. Montoya ganha o 7o lugar de Michael Schumacher

Volta 5: Montoya roda no setor central, mas volta rapidamente à pista. A vantagem de Raikkonen (1o) para Alonso é de 5s1

Volta 9: Líder Raikkonen completa volta 5s3 à frente de Alonso

Volta 10: Vitantonio Liuzzi (Red Bull) roda e fica preso na brita. Fim de corrida ao italiano

Volta 12: Vantagem de Raikkonen para Alonso é de 8s5

Volta 14: Assim como Liuzzi, Patrick Friesacher perde o controle do carro, sai da pista e abandona a corrida

Volta 16: Diferença entre Kimi e Fernando sobe para 13s5. O finlandês anota a volta mais rápida até então, com 1m16s104

Volta 17: Mark Webber faz seu primeiro pitstop (9s9)

Volta 19: Ralf Schumacher se aproxima de Alonso na briga pela vice-liderança. Vantagem na volta seguinte é de apenas 0s5

Volta 20: Raikkonen lidera, 21s8 à frente de Alonso

Volta 24: Ralf Schumacher faz seu primeiro reabastecimento (dez segundos)

Volta 25: McLaren executa o pit de Raikkonen (8s6). Jarno Trulli também pára nessa volta e supera o companheiro de Toyota Ralf Schumacher na pista

Volta 27: Alonso gasta 7s9 no reabastecimento. Coulthard e Massa também fazem suas paradas

Volta 29: Fisichella, Heidfeld e Montoya fazem seus reabastecimentos. Montoya tem problemas no engate da mangueira de combustível e volta ao pit na volta seguinte. Michael Schumacher consegue a melhor volta da primeira metade da corrida: 1m16s019. Fisichella volta à frente de Alonso na briga interna da Renault

Volta 31: Parada de pit de Jacques Villeneuve (Sauber-Petronas)

Volta 32: Michael Schumacher pára no pit pela primeira vez (8s8). Cai da segunda para a quarta colocação

Volta 33: Na briga pela 7a posição, Webber perde o ponto de freada, e é ultrapassado por Barrichello. Na volta, o brasileiro faz seu único pit na corrida (11s) e volta em 12o

Volta 35: Vantagem de Raikkonen para o segundo colocado Fisichella, é de 25s8

Volta 36: Fisichella tira 0s5 e desvantagem para o líder Raikkonen cai para 25s3. Montoya ultrapassa Barrichello na briga pelo 10o lugar

Volta 40: Fisichella pára no Box para trocar o bico de seu Renault. Perde 35s3 e volta em 11o

Volta 43: Mark Webber faz seu último pit (9s4)

Volta 44: Schumacher faz pit extra para trocar pneu traseiro esquerdo furado (13s4). Volta à pista em 8o

Volta 45: Novamente um pneu Bridgestone da Ferrari de Schumacher fura. Desta vez é o dianteiro esquerdo. O alemão se arrasta durante quase uma volta inteira para chegar ao pit e abandonar

Volta 49: Kimi Raikkonen e Fernando Alonso fazem suas últimas paradas. Kimi gasta 7s3 e Alonso, 6s2.

Volta 51: Jacques Villeneuve abandona. Ralf faz seu reabastecimento (6s3). Coulthard também entra para seu último pit

Volta 52: Jarno Trulli gasta 6s2 no pitstop

Volta 53: Felipe Massa faz sua segunda e última parada para reabastecimento na corrida. Nick Heidfeld ganha 6o lugar do companheiro de Williams, Webber, e vai para sua última parada. A equipe de Box trabalha em seis segundos

Volta 56: Kimi Raikkonen coloca uma volta de vantagem sobre Rubens Barrichello

Volta 62: Fisichella passa Webber e assume 5a colocação

Volta 63: Kimi Raikkonen ultrapassa Montoya e coloca uma volta de vantagem sobre o companheiro de McLaren

Volta 64: Felipe Massa abandona com problema no pneu traseiro esquerdo

Volta 66: Bandeirada. Giancarlo Fisichella ainda faz a volta mais rápida da corrida, com 1m15s641.

Texto e dados por Rafael Ligeiro

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.