Hamilton x Rosberg – A batalha final

hamilton-x-rosberg-2014

Lewis Hamilton e Nico Rosberg

O próximo domingo marcará o “Dia do Julgamento” pelo título da temporada 2014 da Formula 1. Dois companheiros de equipe – como há muito tempo não acontecia – decidirão somente entre eles quem será o campeão deste ano.

Apesar de Hamilton ter tido mais problemas mecânicos em classificações e abandonos durante a temporada, Nico Rosberg vem surpreendendo positivamente frente ao piloto mais rápido da Formula 1. Para muitos observadores especialistas, o único piloto que teria condições de lutar cabeça a cabeça com Hamilton no mesmo carro seria Fernando Alonso, mas Rosberg vem provando este ano que é um dos melhores pilotos do mundo, e chega em Abu Dhabi ainda com chances de se tornar campeão.

Hamilton tem hoje 334 pontos contra 317 de Rosberg. Numa situação normal, mesmo que Rosberg vencesse em Abu Dhabi, Hamilton precisaria apenas de um sexto lugar para ser campeão, pois ambos empatariam em pontos com o inglês tendo mais vitórias. Mas graças a pontuação dobrada na última corrida – novidade que deve ser abolida para 2015 – Hamilton vai precisar chegar em segundo lugar, caso Rosberg vença.

É muito difícil que outra equipe consiga vencer as Mercedes em Abu Dhabi em situação normal, tamanha é a superioridade da equipe alemã. Não apenas a unidade de potência do W05 é melhor, como o chassi e a aerodinâmica também estão um passo à frente da concorrência. Só um erro muito grande do piloto inglês ou problemas no carro – fato que já aconteceu várias vezes este ano – podem tirar o bicampeonato de Lewis Hamilton.

Vamos relembrar como foi a eletrizante disputa entre os pilotos da Mercedes até aqui:

Austrália – Albert Park, Melbourne; 16 de março

F1-rosberg-ricciardo-australia-2014-corrida

Nico Rosberg começa com uma vantagem de 25 pontos com a vitória na Austrália, após a corrida de Lewis Hamilton ter durado apenas duas voltas antes de ele ser forçado a abandonar por um problema na unidade de potência. O abandono de Hamilton permitiu que o alemão vencesse tranquilamente e mostrasse de forma instantânea o domínio do Mercedes W05. Tendo sido o único piloto não-Mercedes a chegar a menos de 1,5 segundos de Hamilton na classificação, Daniel Ricciardo, que mais tarde foi desclassificado, terminou quase 25 segundos atrás de Rosberg, um grande déficit, que salientou uma vantagem substancial de ritmo da Mercedes.

Hamilton: 0; Rosberg: 25. Rosberg lidera por 25.

Malásia – Circuito Internacional de Sepang em Kuala Lumpur; 30 de março

Após a frustração de Albert Park, Hamilton deu o troco na Malásia com uma vitória formidável de 17 segundos sobre Rosberg para reduzir a diferença em sete pontos. O campeão de 2008 se classificou na pole e venceu seu companheiro de equipe na bandeirada final por exatos 17,3 segundos. Rosberg só largou em terceiro depois de ser superado por Sebastian Vettel no sábado, mas passou o alemão na primeira volta para fazer a primeira dobradinha da temporada para a Mercedes.

Hamilton: 25; Rosberg: 43. Rosberg lidera por: 18.

Bahrain – Circuito Internacional do Bahrain, Sakhir; 06 de abril

Sob os holofotes no deserto, os companheiros de equipe da Mercedes travaram uma das melhores batalhas roda a roda que a Formula 1 já viu. Durante toda a corrida foi impossível saber quem venceria. Hamilton ultrapassou o pole Rosberg na curva um e, em seguida já teve que começar a se defender na curva três ainda na primeira volta. O alemão manteve-se muito perto e revidou na mesma curva na volta 19, mas Hamilton voltou à frente quase imediatamente na curva quatro. Eles tiveram outra batalha roda a roda novamente na volta 52, mas Hamilton foi capaz de se defender de seu companheiro de equipe, mesmo estando com pneus mais duros e lentos naquelas alturas. Sua segunda vitória da temporada viu Hamilton cortar a diferença em mais sete pontos.

Hamilton: 50; Rosberg: 61. Rosberg lidera por: 11.

China – Shanghai International Circuit, Xangai; 20 de abril

Hamilton fez um hat-trick pela primeira vez em sua carreira para uma vitória fácil. Partindo da pole e com Rosberg tendo que lutar para abrir caminho do quarto lugar no grid, Hamilton liderou do início ao fim, sem a necessidade de olhar em seus espelhos retrovisores uma única vez. Rosberg levou 18 pontos para a casa e foi a terceira dobradinha consecutiva da Mercedes, para mais uma vez sublinhar o seu domínio sobre o resto do grid.

Hamilton: 75; Rosberg: 79. Rosberg lidera por: 4.

Espanha – Circuito da Catalunha, em Barcelona; 11 de maio

Hamilton estava na pole novamente no Circuito da Catalunha, mas desta vez a disputa foi apertada com o inglês tendo que se defender da aproximação de Rosberg no final da corrida. O alemão optou por uma estratégia de pneus diferente da de Hamilton no meio da corrida, o que lhe deu o pneu mais rápido no final. Ele tirou rapidamente uma diferença de quatro segundos para o líder, mas Hamilton cruzou a bandeira final 0,6s à frente e conquistou sua primeira vitória em Barcelona. Isto também lhe deu a liderança do campeonato pela primeira vez em 2014.

Embora a diferença entre os companheiros de equipe tenha sido mínima, a batalha entre eles fez com que chegassem quase 50 segundos à frente de Daniel Ricciardo, mostrando que as Flechas de Prata tinham ritmo para poupar.

Hamilton: 100; Rosberg: 97. Hamilton lidera por: 3.

Mônaco – Circuit de Monaco, Monte-Carlo; 25 de maio

Em Mônaco as tensões irromperam pela primeira vez, depois de Rosberg sair da pista na classificação provocando uma bandeira amarela na Mirabeau, que tirou a oportunidade de Hamilton melhorar seu tempo e marcar a pole. O alemão disse que foi um erro e os comissários concordaram, mas Hamilton não ficou convencido, o que o levou à sua primeira declaração forte do ano: “Não somos amigos, somos colegas”.

Com ultrapassagens virtualmente impossíveis na ruas do Principado, Rosberg teve a posição de pista que facilitou sua vitória para retomar a liderança do campeonato. Após a corrida, as tensões permaneceram elevadas, com Hamilton e Rosberg não se cumprimentando no pódio e posteriormente com a mídia declarando que a ‘Mercedes tinha que se preparar para uma guerra”.

Hamilton: 118; Rosberg: 122. Rosberg lidera por: 4.

Canadá – Circuito Gilles Villeneuve, em Montreal; 08 de junho

O domínio total da Mercedes chegou ao fim quando a F1 desembarcou na América do Norte com ambos os carros mostrando sinais de fragilidade. Hamilton foi forçado a abandonar a corrida com uma falha nos freios, enquanto Rosberg se arrastou até o fim para conseguir o segundo lugar atrás de Ricciardo e esticar sua vantagem.

No entanto, a corrida teve seu próprio momento controverso, depois de Rosberg cortar a chicane final, sob pressão de Hamilton. O alemão disse que foi um erro honesto e os comissários sentiram que ele não tinha ganhado uma vantagem duradoura. Mas com ar limpo e frio à frente, o alemão não sofreu a mesma falha nos freios que seu companheiro de equipe, que abandonou logo após ultrapassar Rosberg.

Hamilton: 118; Rosberg: 140. Rosberg lidera por: 22.

Áustria – Red Bull Ring, Spielberg; 22 de junho

Pela primeira vez em toda a temporada um carro Mercedes não começou a corrida na primeira fila do grid, já que as Williams conquistaram os dois primeiros lugares na classificação, com Massa em primeiro e Bottas em segundo. Rosberg largou em terceiro, enquanto que, depois de problemas nos freios e rodar na curva 2 na classificação, Hamilton alinhou apenas em nono.

Os dois carros da Mercedes se recuperaram na corrida com Rosberg batendo Hamilton em 1,9 segundos – a quantidade exata de tempo que ele perdeu em pitstops mais lentos.

Uma estratégia muito conservadora talvez tenha custado a Williams a chance de capitalizar sua primeira fila no grid, o que permitiu a Mercedes vencer novamente. Com 29 pontos à frente, essa foi a maior vantagem de Rosberg na tabela até agora em 2014.

Hamilton: 136; Rosberg: 165. Rosberg lidera por: 29.

Grã-Bretanha – Circuito de Silverstone, Towcester; 06 de julho

Um erro de julgamento de Hamilton na classificação em Silverstone fez com que ele abortasse a última volta com a pista secando e melhorando. “Eu simplesmente não me sentia bem. Nenhuma outra razão para isso”, foi a explicação do britânico. Seu companheiro de equipe achou que valia a pena tentar, acertou e fez a pole. “Estávamos perdendo três ou quatro segundos nas últimas curvas quando elas estavam muito molhadas, por isso havia uma oportunidade de fazer uma melhoria real e achei que deveria continuar”, explicou o alemão.

Mas na corrida do domingo, Rosberg teve seu primeiro abandono da temporada, quando uma falha atingiu sua caixa de câmbio. Hamilton não cometeu nenhum erro e aproveitou o infortúnio de seu companheiro de equipe para vencer com uma margem de mais de 30 segundos sobre Valtteri Bottas.

Hamilton: 161; Rosberg: 165. Rosberg lidera por: 4.

Alemanha – Hockenheimring, Hockenheim; 20 de julho

Havia mais na classificação em Hockenheim para Hamilton, que caiu no Q1 devido a mais uma falha nos freios e alinhou apenas em 15º por ter sido incapaz de tomar parte no Q2. Rosberg, por sua vez, largou da pole position e devidamente converteu sua vantagem em uma vitória de mais de 20 segundos sobre Bottas. Hamilton veio lutando com o pelotão com algumas ultrapassagens agressivas para terminar em terceiro e limitar os danos. Ele poderia ter conseguindo mais, se o safety-car tivesse ido à pista quando um guincho entrou para recuperar o carro encalhado de Adrian Sutil no final da corrida. Mas o safety-car não entrou, e o défice para Rosberg aumentou novamente.

Hamilton: 176; Rosberg: 190. Rosberg lidera por: 14.

Hungria – Hungaroring, Budapeste; 27 de julho

f1-hamilton-fogo-hungria-2014

A Hungria testemunhou mais um drama na classificação para Hamilton, já que seu carro pegou fogo no início do Q1, resultando em uma largada para a corrida do pitlane. Rosberg largou da pole, mas o safety-car entrou num momento ruim para o alemão, que se viu no meio do pelotão depois que fez sua troca de pneus.

Houve muita tensão no rádio quando a Mercedes pediu a Hamilton para deixar Rosberg – que estava numa estratégia diferente no momento – passar, mas o britânico não deu ouvidos. Rosberg se aproximou mais tarde na corrida, mas Hamilton foi capaz de manter-se à frente na última volta para tomar o último lugar do pódio. A vitória foi de Daniel Ricciardo.

Hamilton: 191; Rosberg: 202. Rosberg lidera por: 11.

Bélgica – Circuito de Spa-Francorchamps, Stavelot; 24 de agosto

Spa-Francorchamps viu sem dúvida o momento mais dramático da batalha interna da Mercedes, quando Rosberg e Hamilton se tocaram pela liderança na Les Combes na segunda volta.

O pneu traseiro esquerdo de Hamilton foi perfurado instantaneamente durante a colisão e, como ele tentou voltar aos boxes sem perder muito tempo, os pedaços de pneus que foram se soltando pelo caminho causaram danos críticos à carroceria. Nesta ocasião não foi possível Hamilton fazer mais uma corrida de recuperação e, depois de lutar para para tentar voltar à disputa, ele abandonou a seis voltas do final.

Com uma nova asa dianteira trocada pela equipe e sem os comissários o punindo pelo erro, Rosberg conseguiu continuar e ampliou sua vantagem na tabela sobre Hamilton, ao terminar em segundo lugar, atrás de Daniel Ricciardo. Mas a história de Spa não termina aí, no entanto, com Hamilton dizendo a repórteres na noite de domingo que na reunião pós-corrida da Mercedes, Rosberg admitiu ter causado a colisão “de propósito”.

Hamilton: 191; Rosberg: 220. Rosberg lidera por: 29.

Itália – Autodromo Nazionale Monza, Monza; 07 de setembro

Com as tensões ainda elevadas na Mercedes, Hamilton conquistou sua primeira pole position desde a Espanha em Monza, mas fez uma largada ruim e entregou a liderança a Rosberg. Logo a seguir ele ultrapassou os adversários que o haviam ultrapassado na largada e começou a pressionar Rosberg, apesar dos apelos da equipe para poupar os pneus para o final.

Muito pressionado, Rosberg aparentemente ‘rachou’ e travou os pneus de forma a danificá-los na chicane e perdeu a posição para Hamilton.

Hamilton: 216; Rosberg: 238. Rosberg lidera por: 22.

Cingapura – Marina Bay Street Circuit, Cingapura; 21 de setembro

Hamilton estava na pole em Cingapura com Rosberg a seu lado mais uma vez. Mas uma falha eletrônica impediu o alemão de sair para a volta de aquecimento e ele foi empurrado para dentro do pitlane e largou de lá.

Mas os problemas no W05 de Rosberg eram sérios e ele não tinha desempenho sequer para lutar contra os Marussias e Caterhams. A equipe tentou trocar o volante na primeira parada mas não adiantou. Rosbert abandonou na volta 15.

Hamilton não parou na entrada do safety-car, o que significou que ele teve que abrir grande diferença na parte final da corrida para poder trocar os pneus e ainda ter tempo de se recuperar para vencer, e retomar a liderança do campeonato.

Hamilton: 241; Rosberg: 238. Hamilton lidera por: 3

Japão – Autódromo Internacional de Suzuka, Suzuka; 05 de outubro

Embora Rosberg tenha conquistado a pole, foi Hamilton quem continuou sua série de vitórias em um Suzuka.

Em condições traiçoeiras, Rosberg liderava o pelotão atrás do safety-car antes da corrida ser suspensa. Rosberg manteve a liderança após o reinício, mas na volta 25 ele estava lutando por aderência e Hamilton entrou da faixa do DRS. Duas voltas depois, ele ultrapassou Rosberg por fora para assumir a liderança na curva 1.

A corrida seria interrompida logo após o acidente de Jules Bianchi e o aumento na liderança do campeonato por Hamilton nem foi comemorado, já que o paddock esperava ansiosamente por notícias do piloto da Marussia.

Hamilton: 266; Rosberg: 256. Hamilton lidera por: 10.

Rússia – Sochi Autodrom, Sochi; 12 de outubro

Uma performance dominante de Hamilton fez o inglês dominar o TL2, TL3, Q1, Q2, Q3 e liderar a corrida do início ao fim, na primeira visita da F1 a Sochi.

Uma tentativa de ultrapassagem com uma longa travada de pneus (parecida com a de Monza) de Rosberg na curva dois na volta de abertura, obrigou o alemão a parar para substituir seus pneus. Depois de cair para o fundo do grid, Rosberg, de alguma forma fez seus pneus durarem 52 voltas para fazer uma corrida de recuperação, chegar em segundo lugar e limitar os danos das suas chances de título.

Hamilton: 291; Rosberg: 274. Hamilton lidera por: 17.

Estados Unidos – Circuito das Américas, Austin; 02 de novembro

Rosberg conquistou a pole no Texas, mas Hamilton continuou sua série de vitórias com a quinta consecutiva.

O alemão liderou durante as primeiras voltas, mas um ajuste na asa dianteira pedido por Hamilton na primeira parada provou ser eficaz. Isso deu a Hamilton a confiança que precisava para superar seu companheiro de equipe na volta 24 freando mais tarde na curva 12 para não mais perder a liderança e ampliar sua vantagem na tabela.

Hamilton: 316; Rosberg: 292. Hamilton lidera por: 24.

Brasil – Autódromo José Carlos Pace, em São Paulo; 09 de novembro

Precisando deter a vantagem de seu companheiro de equipe, Rosberg teve o fim de semana quase perfeito no Brasil. Ele foi o mais rápido em todas as sessões em Interlagos. Tudo o que faltou para o “grand slam” foi a volta mais rápida da corrida.

Rosberg prometeu aprender com sua falha em converter a pole position numa vitória em Austin e foi capaz de manter o seu companheiro de equipe atrás ao longo das 71 voltas, ainda que ajudado por uma rodada de Hamilton, que estava forçando muito o ritmo antes de uma parada para troca.

O triunfo de Rosberg – seu primeiro desde julho – reduziu a diferença para o final da temporada, que promete ser cardíaco neste domingo em Abu Dhabi

Hamilton: 334; Rosberg: 317. Hamilton lidera por: 17.

AS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.