F1 – Whiting descarta as alegações de manipulação do VSC de Vettel

Carro de Segurança Virtual

O diretor de corridas da Fórmula 1, Charlie Whiting, rejeitou as alegações de Sebastian Vettel de que o sistema da Virtual Safety Car está aberto a manipulações de pilotos.

O VSC foi introduzido em 2015 e, quando implementado, os pilotos devem reduzir sua velocidade e permanecer acima de um tempo mínimo estabelecido pela FIA pelo menos uma vez em cada setor.

Vettel parou nos boxes no VSC no GP da Espanha e caiu do segundo para o quarto lugar – atrás de Valtteri Bottas e Max Verstappen – onde permaneceu pelo resto da corrida.

Vettel aceitou que ele saiu dos boxes com pneus frios, custando-lhe tempo, mas reconhece que a natureza do sistema VSC está aberta ao abuso dos pilotos.

“É o mesmo para todos”, disse ele. “A FIA está nos fornecendo um sistema que nos faz seguir um tempo delta. Então todo mundo tem que desacelerar em 40 por cento”.

“Mas acho que todo mundo está ciente de que você pode ter uma maneira mais rápida de enganar o VSC, além de seguir o delta, salvando a distância”.

Whiting, no entanto, discordou do ponto de vista de Vettel, afirmando: “Eu não sei do que ele está falando, honestamente”.

“O VSC tem um mapa na ECU [Unidade de Controle Eletrônico], que é 30% mais lento que uma volta rápida. Os pilotos têm que seguir essa volta. É medido a cada 50 metros de percurso ao longo da pista”.

“Ele mede onde o piloto está em relação à volta de referência e dá a você mais ou menos. A cada 50 metros, os pilotos são lembrados se estiverem acima ou abaixo”.

“Eles podem ficar negativos, mas desde que sejam positivos uma vez em cada setor de triagem e na primeira linha do carro de segurança”.

IB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.