F1 – Últimas evoluções das UPs Ferrari, Mercedes e Honda

UP Ferrari – Hungria 2019

Spa Francorchamps e Monza são duas pistas que podem ajudar o SF90 a não fechar o ano de 2019 sem vitórias. Mattia Binotto também sabe disso: “Nas próximas pistas devemos estar bem, mas os outros são fortes e não devemos subestimá-los”. Ganhar os dois ou pelo menos um dos dois eventos; esse é o objetivo da Ferrari. Por esta razão, a equipe italiana trará a segunda evolução de sua unidade de potência para a pista já em Spa. Uma evolução que visa melhorar mais a eficiência do que potência adicional. Ao mesmo tempo, mas não menos importante, melhorar a confiabilidade que penalizou dramaticamente Vettel e Leclerc em algumas corridas do campeonato, privando-os aqui e ali de resultados muito importantes.

A potência da UP Ferrari não é o problema da Scuderia até agora. Mas uma parte elétrica da UP não está à altura, devido a problemas de resfriamento que, entre outras coisas, não permitiram o uso avançado da CE (central eletrônica) até o momento. Na classificação pouco se ouve, graças a uma bateria já totalmente carregada no início da volta, e de fato de acordo com uma equipe concorrente haveria cerca de 15 hp de vantagem em relação a UP Mercedes. Mas na corrida é um enorme problema que tem um impacto importante na parte endotérmica. Forçar essa parte da UP significa colocar o consumo elétrico em risco. Os engenheiros de Maranello trabalharam na eficiência do V6 para aliviar os efeitos de uma peça híbrida de não tão alto desempenho. Mas eles não esperam milagres. Estamos muito perto do limite de desenvolvimento italiano do V6.

Lembremos que a UP Italiana 064 sofreu mudanças importantes em termos de layout no último inverno, a fim de afunilar a parte central e traseira do SF90 o máximo possível. Para todos os carros movidos pela UP Ferrari, a mudança mais importante e visível é a eliminação do segundo intercooler posicionado na última temporada no topo do V6. Os dutos direcionados para o compressor, posicionados atrás de um radiador, passavam pelas laterais do intercooler com a consequência direta de um importante aumento na seção frontal. Na especificação de 2019, o ar que sai do compressor passa na parte superior do ICE (motor de combustão interna) para entrar na parte superior do intercooler. No fundo há a saída do ar resfriado que sobe para a admissão do endotérmico. A Ferrari optou então por uma aderência dinâmica do motor (airscope) com uma forma triangular muito agressiva semelhante à de 2017, dividida em duas etapas para o suprimento do compressor e para o resfriamento do ERS.

O que é certo é que as próximas duas corridas são bastante apropriadas para o SF90. É absolutamente essencial concretizar pelo menos uma vitória. Após as vitórias da Mercedes e da Honda com a Red Bull, a Ferrari teoricamente tem ótimas chances nos circuitos de motor e com carga aero média/baixa e baixa/muito baixa.

Em Monza, pelo menos de acordo com as últimas informações coletadas e exceto por surpresas de última hora, a Mercedes vai estrear sua mais recente evolução da UP, da qual os alemães não esperam muito, pelo menos não oficialmente. Os problemas de resfriamento, ligados ao conceito aerodinâmico e de chassi do W10, são um obstáculo bastante importante na busca pelo desempenho máximo. As atualizações que foram levadas à pista na Alemanha darão uma mão importante se as condições austríacas de extremo calor reaparecerem. Caso contrário, nada de excepcional. A especificação que será introduzida em Monza será a última evolução de um conceito macro realizado por algumas temporadas.

Mas referindo-se ao GP da Itália de 6-7-8 de setembro, a Ferrari terá que lidar apenas com a Mercedes, já que a Red Bull provavelmente vai sacrificar a corrida – tomando punição de grid – para estrear a evolução mais recente e esperada da UP Honda e seus 25 hp de potência adicional.

UP Mercedes 2019

Em compensação, pela primeira vez há algumas semanas em Brixtown, o protótipo da UP de 2020 da Mercedes, obviamente monocilíndrica, foi ligada. Entende-se que é a maior atualização da equipe alemã desde o distante ano de 2014, ou seja, desde quando a era turbo híbrida da F1 começou.

AS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.