F1 – Tempos mais velozes em Monza, mesmo com chuva

Pneus da Fórmula 1

O QUE APRENDEMOS DO TL1 E TL2

Não foi possível aprender muito sobre os pneus P Zero, já que quatro bandeiras vermelhas e a chuva atrapalharam ambas as sessões. As condições climáticas devem permanecer variadas no restante do fim de semana, então os dados adquiridos hoje podem acabar sendo muito significativos.

A chuva garantiu tempo de pista representativo para o Cinturato verde intermediário, bem como os pneus lisos. Isso deu às equipes uma valiosa visão inicial sobre os prováveis pontos de cruzamento, o que pode ser uma informação extremamente útil neste fim de semana. Apesar da chuva, o melhor tempo de hoje do TL2 já foi mais rápido do que o seu equivalente um ano atrás.

Até agora, a diferença de tempo entre os compostos médio e macio é de pouco menos de um segundo por volta, mas a evolução da pista em condições secas significa que isso deve mudar. Nas condições amenas de hoje, com a temperatura da pista atingindo cerca de 28 graus centígrados, os compostos mais macios geralmente funcionaram melhor.

Há um remendo do asfalto na segunda chicane, mais liso e escorregadio do que as outras partes da pista, especialmente quando há umidade.

O clima incerto esperado para o restante do fim de semana significa que pode haver diferentes formas de trabalhar pensando no treino classificatório, com times diferentes optando por trabalhar em acertos para pista seca ou molhada.

Charles Leclerc, da Ferrari, foi o mais rápido no TL1, de pneu médio, assim como no TL2, porém com pneu macio. A verdadeira imagem do desempenho relativo entre as equipes de topo, no entanto, ainda está indefinida.

MARIO ISOLA – GERENTE MUNDIAL DE MOTORSPORT DA PIRELLI

“Foi um dia de abertura complicado em Monza, mas isso não significa que não tenha sido útil, especialmente porque o clima parece incerto para o resto do fim de semana. Como resultado, as equipes fizeram o máximo para usar os compostos de pista seca e molhada, a fim de estarem preparadas para qualquer cenário. Os pneus para pista encharcada também foram usados, mas somente por alguns pilotos em poucas voltas. As duas sessões foram interrompidas várias vezes, o que significa que as equipes ainda não possuem todos os dados que necessitam sobre o comportamento dos pneus. O trabalho realizado no TL3 na manhã deste sábado será particularmente vital à medida que as equipes se preparam para o treino classificatório, dependendo de como o clima estiver”.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.